Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Alfabeto Literário #E Estou a ler

Estou a ler:

De momento estou a ler - e quase a terminar - o livro secreto deste mês: o Em Teu Ventre de José Luís Peixoto.

 

Não é propriamente o meu estilo de livro favorito, não adoro a escrita do autor, mas lê-se bastante bem. Só acho que ele escreve demais para dizer muito pouco, ou serei talvez eu que não sei apreciar a poesia deste autor mas... Parece-me pouco natural, pouco espontâneo talvez. Não chega a ser mau, mas também não me surpreende.

 

 

 

 

 

Quem já leu José Luís Peixoto, o que tem a dizer sobre?

 

________________________________

 

Por 26 dias, eu, a Magda, a Just, a Maria João Covas, a Sofia Gonçalves, a Alexandra, a Drama Queen, a Caracol, a Gorduchita, a B♥, a Sandra.wink.winka Fátima Bentoa Happya Carla B. e a Princesa Sofia  responderemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às 14h das segundas, quartas e sextas, cá estaremos com este desafio. Não se esqueçam de visitar os restantes blogs para verem as várias respostas.

 

Boas Leituras!

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #15 ColourB4

Se bem se lembram, no início do mês ao pintar o cabelo em casa enganei-me a comprar a tinta e saí à bruta dos laranjas para ir para os vermelhos, sem contar. Ao início gostei. Gostei eu, ele não. O problema é que os vermelhos exigem muitos outros cuidados - que eu não tive porque a ideia não era manter a cor - e por isso a cor começou a desbotar - como eu queria - e o cabelo começou a ficar feio - esqueci-me desse pormenor. Em Setembro ou Outubro estou a contar ir reforçar o meu alisamento e com o alisamento ele já iria para os laranjas novamente e aí recuperaria a minha cor, mas a verdade é que andava desgostosa. Não queria esperar.

 

Decidi investigar.

 

Vi várias maneiras de descolorar o cabelo em casa, vi outras tantas de o decapar, e parecia-me tudo tão arriscado... É que eu sou tola - que sou - mas também não gosto de correr grandes riscos sem cálculo até porque o meu cabelo aguenta com muita coisa mas é fino pelo que o ideal é não abusar. Encontrei umas reviews de um produto que parecia muito bom para recuperar o laranjinha mas não existia à venda em Portugal, e corri tudo o que era lojas online e também não encontrei. Estava eu prestes a fazer uma mistela em casa para decapar o cabelo com produtos que eu tenho, quando encontrei um produto que existia em Portugal: O ColourB4, que prometia devolver a cor anterior ao cabelo sem o danificar. Fiquei curiosa, fiz alguma pesquisa e decidi arriscar.

 

O ColourB4 não descolora o cabelo, e pelo que percebi também não o decapa e por isso não prejudica o cabelo. O que o ColourB4 faz é neutralizar os pigmentos de cor do cabelo devolvendo-lhe a cor "original". Claro que quem já tenha descolorado o cabelo, essa é a cor original. Alguém que seja morena, descolore o cabelo para o loiro, e depois volte a pintar de moreno, o que está por baixo de tudo, a cor "original" é o loiro. Atenção a esse pormenor.

 

Vi vários vídeos de pessoas com pretos a regressar aos loiros, parecia-me assustador e imaginava que isso iria ressecar imenso o cabelo, mas eu como não queria uma mudança assim tão grande, só queria neutralizar os reflexos vermelhos para voltar a colocar reflexos laranjas, não me pareceu arriscado.

 

Há dois tipos de ColourB4:

    • O normal - Para quem quer apenas aclarar o cabelo;

    • E o extra - Para quem quer uma mudança um pouco maior.

 

Comprei o extra - temi que o normal não fosse retirar o vermelho, mas que o fosse apenas aclarar - e segui as instruções à risca. É mesmo muito importante seguir com todos os procedimentos e tempos indicados, porque como alerta na embalagem, a má utilização do produto poderá resultar que os reflexos voltem a ser ativados. Por isso desde já um alerta: Se estão com pressa, se não estão com paciência, não iniciem este processo sob pena de poderem danificar os fios e ainda por cima não obterem os resultados desejados. Por muito que o produto não seja muito prejudicial ao cabelo, a verdade é que não é um mero shampoo, é um químico, e todos os químicos prejudicam o cabelo.

 

Perdi mais ou menos duas horas neste processo e só precisei de o fazer uma vez. Em mudanças mais drásticas poderá ser necessário repetir mais duas vezes o processo.

 

Coloquei o produto em todo o cabelo com a bisnaga que traz - mas acho mais pratico fazer com pincel, se voltar a usar usarei antes pincel, como quando pinto o cabelo - esperei 60 minutos e ao fim de 20 minutos reparei que o cabelo já não estava vermelho, mas aguentei o tempo todo até ao fim. Lavei o cabelo em água corrente quente durante 10 minutos - sim, mais do que os 60 minutos de atuação do produto, o mais chato é mesmo a parte da lavagem - apliquei o finalizante que é uma espécie de shampoo purificante, deixei atuar 1 minuto e voltei a lavar o cabelo em água corrente quente por mais 10 minutos. Sequei o cabelo e vi os resultados. Quem chegar a este ponto, de ter o cabelo seco e ainda não ter a cor pretendida, é necessário repetir todo o processo, sendo que 3 é o número máximo de aplicações.

 

Tive apenas de fazer uma coisa que não vinha no processo: Após o finalizante tive mesmo de colocar máscara no cabelo, o cabelo ficou tão seco, mas tão seco, que não o iria conseguir pentear, e antes de o cabelo começar a dar nós, decidi arriscar e colocar a minha máscara.

 

Sequei o cabelo e para meu espanto estava quase loira - nas fotos ele aparece um tom mais alaranjado devido aos reflexos, mas na realidade estava num tom amarelo palha - e foi só pintar o cabelo com a cor pretendida. Como pinto sem amoníaco pude fazer a coloração no próprio dia, mas se pintarem com uma tinta normal, aconselham a que se espere 7 dias para deixar o cabelo repousar.

 

1503173459205.jpg

 

Como a tinta sem amoníaco que uso tem óleos para hidratar o cabelo, depois de pintar e de voltar a fazer uma boa máscara, o cabelo ficou bastante sedo, e nada seco.

 

Como não contava que o cabelo com este produto fosse ficar tão claro - não estava na disposição de repetir o procedimento, até porque o produto é caro, e imaginei que fosse ficar um tom acastanhado - comprei uma tinta um pouco mais escura para deixar o cabelo todo uniforme, para ir aclarando depois com o tempo e com as lavagens, mas podia ter comprado uma logo cenourinha que iria ficar um mimo. Mas agora tenho tempo.

 

Fiquei mesmo muito surpreendida com o produto: cumpre realmente com o que promete e não me estragou o cabelo, apesar de ter deixado um pouco mais seco após a utilização - já vi que o ColourB4 noutros países tem também um condicionador incluído, mas em Portugal não - o que obriga a hidratar muito bem depois de lavar o cabelo. 

 

Agora quando quiser fazer experiências já sei que tenho aqui algo que me pode ajudar. 

 

Está mais do que aprovado.

Curtas do dia #734

Sou a típica portuguesa que nunca está bem com a vida que tem.

 

Odeio o inverno porque chove e está frio e tenho de andar sempre com casacos, cachecóis e luvas atrás de mim. Isto deveria de significar que adoro o verão e calor: errado. Gosto de calor, mas quando se torna excessivo como o de ontem, sinto-me mal, fico pesada e rabugenta.

 

Sou uma Mula de meios-termos. Odeio o frio, odeio o calor, odeio extremos.

Semana 33 - Desafio 365 Fotos

1503266096837.jpg 

 

Foto 1 e Foto 2- Pulga in the house! É mesmo um engatatão este gato!

 

Foto 3- Uma das paisagens da aldeia que me viu crescer em Trás-os-Montes. Nasci aqui no Porto e vivi sempre aqui, mas os verões eram passados lá.

 

Foto 4- Sushi night, as minhas noites favoritas.

 

Foto 5- Amanhã falar-vos-eis desta maravilha capilar que me permitiu restituir o laranja do cabelo não em segundos, mas em algumas horas.

 

Foto 6- Porque ontem foi o dia mundial da fotografia, publiquei esta fotografia noturna de Coimbra em celebração.

 

Foto 7- Algures em Gaia, um belo jardim que encontrei pelo caminho.

 

insta.jpg

Curtas do dia #733

O inesperado aconteceu:

Ontem, enquanto eu pintava o cabelo fiquei sem água em casa. Sorte a minha que quando percebi que estava a ficar sem pressão fui encher uma bacia de água. Agora, imaginam o que é tirar aquela enormidade de tinta do cabelo com apenas uma bacia de água?.... Acho que não imaginam, nem eu imaginava, e espero nunca mais vir a imaginar. O drama, a tragédia, o horror. Quando voltou - uma hora mais tarde - tive de regressar a banhos porque fiquei com a sensação que continuava cheia de tinta.

Dia Mundial da Fotografia

 

 

Sou uma apaixonada por fotografia.

 

Agora com o smartphone tornei-me mais preguiçosa - tenho apenas um Huawei que me permite fotografias banais - e infelizmente já não ando sempre com a máquina em punho e por isso raramente tiro fotografias com a qualidade devida, daquelas que eu digo e me admiro "porra, fui mesmo eu que tirei?", porque há um anos, só ele tirava fotos de apaixonar. Tudo o que sei de fotografia ao Mulo devo, ainda que muito antes de o conhecer já gostava e já tinha a minha máquina de rolo da Olympus que sempre me acompanhava, que a mãe me ofereceu quando passei para o 5º ano.

 

Mas a verdade é que para mim fotografia era pegar na máquina, apontar e disparar. E é tão mais que isso... Hoje em dia sei bem que é muito mais que isso.

 

À medida que fui aprendendo novas técnicas tornei-me mais exigente com as fotografias dos outros. Passei a reparar em pormenores que até então não reparava - tipo fotos inteiras com os pés cortados... tiram-me do sério. Não sou, no entanto, a pessoa mais indicada para tirar planos direitos. Aliás é fácil de perceber quais são as minhas fotos e as do Mulo na mesma máquina, é que as dele estão sempre muito alinhadas, muito perfeitas e as minhas têm sempre uma ligeira inclinação para a direita, vá-se lá saber porquê - terei algum problema na mão direita?

 

Com o telemóvel acabamos por regredir um pouco, acaba por ser novamente apontar e disparar, mas o facto da fotografia ficar logo ali à mão para utilização é um charme ao qual não consigo resistir...

 

A foto ali em cima, e que há pouco publiquei no instagram é uma daquelas fotos por acaso. Encontramos este spot enquanto procurávamos um restaurante, e apesar de não termos o tripé connosco tínhamos mesmo ali um muro que nos auxiliou. É o que eu chamo de astros alinhados com os meus, adoro quando isto acontece.

 

A verdade é que adoro fotografia, qualquer tipo de fotografia: boa ou má, com qualidade ou sem, mas que seja verdadeira - não sou fã de fotomontagens e o instagram está carregadinho delas - porque fotografar é captar um momento que será guardado para recordarmos mais tarde. E eu adoro boas memórias, por isso faço por fotografar só coisas boas! Como esta vista: é uma vista deliciosa que me lembra bons momentos passados nesta cidade.

 

Fotografem muito nesta vida, porque um dia poderão recordar com outro tipo de clareza os bons momentos que viveram, quem foram e o que fizeram.

Alfabeto Literário #D Detestei ler

Detestei ler:

O Novíssimo Testamento de Mário Lúcio Sousa. Acho que nunca li um livro com tanta batota, basicamente li-o na diagonal, avançando capítulos inteiros só para saber como acabava, porque a história até é engraçada mas acho que foi muito mal concretizada.

 

Há algum que vos tenha marcado pela negativa?

 

________________________________

 

Por 26 dias, eu, a Magda, a Just, a Maria João Covas, a Sofia Gonçalves, a Alexandra, a Drama Queen, a Caracol, a Gorduchita, a B♥, a Sandra.wink.winka Fátima Bentoa Happya Carla B. e a Princesa Sofia  responderemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às 14h das segundas, quartas e sextas, cá estaremos com este desafio. Não se esqueçam de visitar os restantes blogs para verem as várias respostas.

 

Boas Leituras!

Vamos normalizar o beijo?

 

Sobre o beijo:

 

De acordo com a Priberam, o beijo é nada mais nada menos que um "toque de lábios [hoje em dia e felizmente, com mais cara que lábios] pressionando ou fazendo leve sucção [WHAT???] geralmente em demonstração de amor, gratidão, carinho, amizade, etc. [sendo tantas vezes usado como cumprimento por cortesia e educação]".

 

O beijo romântico é certamente usado por todos de mais ou menos igual forma, com mais ou menos envolvimento, com mais ou menos saliva, mas é relativamente igual. Como saudação, certamente saberão que é diferente em vários países.

 

Agora imaginem um casamento com Belgas, Luxemburgueses, Portugueses e outras tantas nacionalidades que me passaram despercebidas, cuja cultura do beijo é tão diferente. Agora imaginem uns a darem apenas um beijo, outros dois, outros três beijos, e outros apenas apertos de mão. Sabem lá vocês a ginástica que fiz com o pescoço e as vezes que nunca acertei com o número de beijos que ia receber de cada pessoa! Imaginam o desconforto? A sensação de embaraço? Acabavamos sempre a rir. Culturas diferentes, mas a mesma boa disposição da Mula, valha-nos isso.

 

Porquê complicar? Vamos normalizar o beijo?

 

De acordo com a visão da Mula: Um é pouco, três é demais. Quem concorda comigo que dois é perfeito? Um para cada bochecha e fica toda a gente feliz.

Pág. 1/5

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.