Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Desafio de Cinema | 52 filmes em 52 semanas

#8 Melhor filme lançado em 2015

Aqui teríamos uma repetição. Acho que um dos melhores filmes de 2015 foi o de animação: Divertida Mente. Mas só porque o último capítulo dos Jogos de Fome também estreou neste ano e porque sou fã da saga, e porque não quero repetições, escolho então o The Hunger Games: A Revolta - Parte 2. Não acho que tenha sido o melhor filme da saga, mas um grande final é sempre um grande final!

 

 

Quem daqui é fã da saga?

Coisas que se ouvem por cá... #20

.. Coisas que se ouvem, que se veem, que se sentem e que se me arrepiam a alma:

 

No shopping uma criança foi à casa de banho com a mãe - suponho. Criança sai do compartimento e dirige-se de imediato para o lavatório. Quase não chega ao sensor para ativar a água, mas lá se desenrasca e consegue em bicos de pés, mas o mesmo não acontece com o sabonete. Não chega para conseguir carregar no sabonete das mãos e pede ajuda à mãe - supondo que era a mãe.

 

Resposta da mãezinha?

 

"Deixa lá, não é preciso!" e não ajuda a criança! Uma outra pessoa que estava ali ao lado ajudou a criança para que esta pudesse lavar devidamente as mãos.

 

A sério? Não é preciso passar as mãos no sabonete para lavar devidamente as mãos numa casa de banho pública provavelmente cheia de bactérias, vírus e sei lá mais o quê? A sério que não é preciso sabonete para se lavar devidamente as mãos onde quer que se esteja?

 

Bocage dizia que a água "que lava a cara, que lava os olhos / que lava a rata e os entrefolhos / que lava a nabiça e os agriões / que lava a piça e os colhões / que lava as damas e o que está vago / pois lava as mamas e por onde cago" mas na realidade a água não lava propriamente. Na realidade a água pode tirar a sujidade superficial mas não lava em profundidade nem desinfeta... E ainda que o detergente de mãos possa não fazer milagres em determinados espaços públicos, sempre é uma limpeza mais adequada do que... apenas água!

 

Que rica educação esta!

Lutar contra o excesso de peso # Inspiração da Semana

Um estudo realizado no ano passado pelo Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, revelou que 60% da População portuguesa é obesa ou pré-obesa e que as mulheres são as mais afetadas, no entanto, no que toca à obesidade abdominal o estudo revela que são os homens os mais afetados. Hoje trago-vos por isso o testemunho do Paulo. Um dos primeiros testemunhos que me chegou. Não consigo imaginar a força que o Paulo teve de ter para mudar de vida.

 

Antes de mais, muito obrigada Paulo pela partilha.

 

Vou falar do meu exemplo. É o meu exemplo e vale o que vale.


No Carnaval de 2003 pesava mais de 120kg. Não gostava nada de mim. Mas, a verdade é que nada fazia para contrariar o aumento de peso. Pelo contrário. Para ter uma ideia do que nada fazia, gosto muito de bacalhau. Se houvesse alguém que comenta-se que em tal lado, havia um restaurante, que servia um bacalhau espetacular, acredite, não descansava enquanto não passasse por lá. Nem que fosse preciso fazer 100km!

 

Naquele tempo, eu comia este mundo e o outro. Hoje conto uma história. O António Silva, esse excelente ator, num dos filmes em que participou, de visita a casa de uma pessoa, na hora do almoço. O proprietário da casa, sabendo da sua fama de gostar muito de comida, perguntou:

 

- Então, V. Exa. é capaz de comer este mundo e o outro?

Ao que o António Silva, respondeu:

-Este mundo sim. O outro é um exagero.

Riram-se e o proprietário informou:

- Já mandei assar um cabrito no forno...

E o António Silva:

- Um? Então e V. Exa. o que é que come?


De facto, temos a tendência de comer este mundo e o outro. Ou seja de comer muito.


Para reforçar a ideia de como era, praticamente deixei de comprar roupa feita. Tinha que mandar fazer. Numa das deslocações em trabalho a Felgueiras, passei pela Triple Marfel (fábrica de camisas) e a pessoa que atendia ao público, muito simpático, elaborou um molde de propósito para mim e mandava fazer 5/6 camisas de longe a longe. Quando fiquei magro e estabilizei, passei pela mencionada fábrica e a pessoa não me reconheceu. Quando lhe avivei a memória, a medo, perguntou se eu estava com alguma doença grave. Aliás, fui confrontado com esta pergunta diversas vezes por pessoas que não me viam há muito tempo. Depois de contar a minha história, a pessoa que entretanto havia engordado, perguntou o que tinha de fazer para voltar ao peso que tinha. E pegou num papel para escrever.

 

Disse-lhe:

1- Força de vontade. E a pessoa escreveu. Depois:

2 - Força de vontade. E a pessoa escreveu.

3 - Força de vontade. A pessoa não escreveu e perguntou:

Isso não será força de vontade a mais? Ao que retorqui: Então, esqueça, pois nunca mais vai emagrecer. Antes de vir embora, pedi que deitasse o molde ao lixo.


Nesse Carnaval, quando saí de casa, jurei a mim próprio, que esse fim-de-semana, seria o último em que iria comer e beber de forma exagerada. O que veio a acontecer.


Hoje, estabilizei em 68kg e por incrível que possa parecer, não consultei nenhum nutricionista. Foi tudo por iniciativa própria. E com a ajuda da família, que é fundamental, pois estou convencido que em caso contrário, nunca teria sucesso, e, acabou por aderir ao esquema.


Como fiz e ainda faço:

Como diversas vezes ao dia. Normalmente de 3 em 3 horas. Tomo o pequeno-almoço às 06h30 (leite+pão) - 09h30/10h00 (iogurte ou fruta - adoro maças) - 12h30/13h00 (arroz/massa + febra frango/peixe) + 16h30 (leite + pão) - 20h00 (sopa + salada + fruta + queijo/mortadela/fiambre). Este é o esquema base.

 

Coisas que não faço: 

  • Comer fritos (exceção quando como pataniscas de bacalhau, mas o corpo logo se recente)
  • Não consumo bebidas alcoólicas ou melhor muito raramente e tenho de sentir prazer a beber (aliás isso foi outra coisa que mudou, o ganhar prazer a comer ou a beber)
  • Uma refeição, de preferência o jantar, é de sopa (passei a gostar imenso de sopa e só me lembrar que em criança levei porrada da minha mãe para comer sopa, até me dá vontade de rir)
  • Diariamente faço 1 hora de caminhada, aliás tenho mesmo que fazer, para me manter em forma, pois a minha atividade profissional com isso está relacionada
  • Nunca fui amante de molhos (para ter uma ideia, 1 ou 2 francesinhas que coma por ano, é sempre sem molho)

 

No início, quando implementei o meu esquema, a dieta teve que ser de choque. Recordo que até me apetecia subir paredes. A fome era tanta. E aqueles hábitos diários... Hoje, se por acaso, exagero num jantar/almoço, habitualmente de aniversário, o corpo recente-se e faz-me passar mal.


O mais difícil não é emagrecer. O mais difícil é manter.


Não calcula o quanto é bom ir comprar roupa e escolher o que mais gosto sem ter necessidade de mandar fazer. Passei do tamanho XXXL para o M. E este último, porque não há hipótese de emagrecer nos ombros.

 

Quando informei os meus amigos que iria emagrecer, mas que não deixava de participar nas "Tainadas", embora com regras, na generalidade, todos se desataram às gargalhadas. Mas isso, em mim, foi um incentivo. Hoje, estão todos fortes. Alguns perguntam como é que eu fiz. Quando começo a falar na força de vontade... Logo digo, quando estiveres preparado a sério, voltamos a falar. Mas até ao momento, nenhum está preparado. Eu sei o que isso é. Acostumam-se a ver-se fortes. Na saúde e em casa ainda não aconteceu nada que os levasse a emagrecer e deixam-se andar.


Muitas pessoas que conheço e lojas ganharam com o meu emagrecimento. Fui dando roupa e fui adquirindo nova.


Há uma coisa que sinto, agora que sou magro e que não sentia quando era forte: frio. Quando era forte, até podia andar de t-shirt no inverno. Agora, parece que toda a roupa é pouca.


Depois de emagrecer muito, combinei com um amigo que, já não nos via-mos há muito tempo, encontrar-me à porta do estádio do nosso clube [BFC]. Entretanto, cheguei mais cedo do que o previsto e encontrei outra pessoa e estávamos a falar. O tal amigo com quem havia combinado o encontro, olhou na minha direção, mas deixou-se estar. O que estranhei. Continuei a falar com o outro sujeito. Só passado, algum tempo é que o outro veio ter comigo e disse-me que me reconheceu por causa de um gesto que faço com a mão direita quando estou a falar e a expor a minha opinião (gesto esse que nunca tinha dado importância). Pois, caso contrário, disse que olhou para mim e não me reconheceu. Já sabia que eu tinha emagrecido, através de outros amigos, que lhe havia dito que isso iria acontecer.


Todos os anos faço análises e até ao momento nada de anormal a registar. No entanto, ao que tudo indica, irei passar pelo mal que a família padece - diabetes. Veremos se este esquema vai ajudar.


Por isso o que lhe posso dizer é que não desista. Coma com prazer educando a boca a comer. Seja teimosa. Obtenha ajuda em casa (fundamental). Coma com mais frequência durante o dia. Se for caso disso, leve comida de casa para o trabalho. Não tenha vergonha, pois a sua saúde e aspeto são mais importantes. Faça uma caminhada por dia, criando um circuito que demore entre 50 e 60 minutos. Não importa se morar na cidade. Eu também moro [VNG] e tenho os meus circuitos para caminhar e não é na zona da praia que, fica a 10 minutos.

 

Faça tudo para si e por si.


«Uma abundância de Força de Vontade e de disciplina é uma das principais qualidades das pessoas com carácter forte e uma vida maravilhosa. A Força de Vontade permite-te fazer tudo aquilo que querias fazer, dentro do prazo que estabeleceste. É a Força de Vontade que te permite refrear a língua, quando alguém te insulta ou faz uma coisa que te desagrada. É a Força de Vontade que impele os teus sonhos, quando tudo parece estar contra ti. É a Força de Vontade que te concede o poder interior para honrares os teus compromissos com terceiros e, acima de tudo, contigo mesmo.» Robin Sharma inO Monge Que Vendeu o Seu Ferrari.

Paulo

 

Se a luta contra o excesso de peso é difícil para as mulheres - que são pressionadas a terem um determinado padrão social e de beleza -, acredito que ainda mais difícil é para os homens, porque a sociedade não está tão preparada para homens que cuidem de si. Acho que é preciso muita coragem para perder mais de 50kg e manter-se num peso saudável e equilibrado mantendo horários e rotinas relativamente rígidas para a manutenção.

 

Muitos Parabéns Paulo! E acho que todos lhe devemos uma grande salva de palmas pela coragem!

 

Muito obrigada!

 

______________________________________

 

Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos por email para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me, e o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

Regressar ao ginásio

(imagem retirada daqui)

 

E quatro semanas se passaram desde que regressei ao ginásio.

 

Descobri que estava bastante em baixo de forma mas com mais resistência do que achava. Passo a explicar: curiosamente aguentei muito melhor o cardio, muito mais do que na altura em que frequentava o ginásio com mais regularidade - certamente devido a ter muito menos gordura em cima do lombo - mas no que toca a pesos, a musculação comecei bem lá em baixo, com muito pouca carga e mesmo assim tive dificuldade com as repetições. Acho que isto diz muito sobre o estado em que a minha massa muscular estava. Curiosamente em apenas quatro semanas evolui bastante neste campo. A cada semana fui aumentando mais e mais a carga e a aguentar muito melhor as repetições. Estou, por isso, bastante curiosa com a evolução da minha massa muscular, estou curiosa com o que dirá a balança no dia da consulta de nutrição - mais uma semana e já saberei.

 

O peso tal como já esperava manteve-se estável. Deixei de perder peso desde que regressei ao ginásio, mas tendo em conta que não me andei a portar assim tão mal com a boca - afasta mentes perversas, afasta! - acho que tudo isto se deve ao aumento da massa muscular em detrimento da massa gorda. Vamos esperar que sim, vamos esperar que sim! Torçam os dedinhos por mim, por favor! Digam-me por favor que não é das papas de aveia ao pequeno-almoço que me têm sabido pela vida, nem da manteiga de amendoim que agora ponho em tudo com um sorriso no rosto!

 

Principais melhorias de regressar ao ginásio?

Sinto-me muito melhor, durmo muito melhor - então nos dias que vou ao ginásio à noite durmo que nem um anjo - e ando com muito mais energia e nos dias em que vou ao ginásio ando muito mais bem disposta. É incrível como saímos da sala de treino mortas, e depois do banho nos sentimos com energia para uma segunda ronda. Já tinha saudades desta sensação.

 

O pior de regressar ao ginásio?

Já não sei o que é não ter dores. O facto de não me conformar com a carga que já aguento e tentar sempre mais, faz com que os meus músculos estejam sempre em esforço e ando sempre com dores musculares. Não como as primeiras, não são daquelas dores que me fazem andar manca e guinchar ao menor movimento, mas sinto os músculos trabalhados. Não é muito agradável mas dá-me em certa medida uma sensação de dever cumprido.

 

O mais estranho de regressar ao ginásio?

Mudei os meus gostos. Antes odiava fazer musculação, estranhamente agora adoro. Antes odiava a elíptica - fazia tudo menos elíptica - agora é uma das minhas favoritas. Há, no entanto, um gosto que nunca mudou: O meu gosto por pilates. Regressei, finalmente, ao meu tão amado Pilates! Enferrujadíssima que estou. Tudo dói, tudo custa! Mas gostei do professor e por isso à segunda-feira, aconteça o que acontecer é dia de pilates - só tenho pena de ser o único dia que consigo ir - e como a segunda-feira é mesmo o pior dia da semana lá no trabalho, acreditem que é uma ótima aula para exorcizar os demónios da alma - e do corpo... Ai!

 

Estranhamente e contrariamente ao que acontecia anteriormente, não tenho arranjado desculpas para não ir. De todas as vezes previstas só não fui uma única vez - e em minha defesa estava adoentada, sem energia nenhuma e a desejar ardentemente a minha cama - e houve uma vez que antecipei uma ida por não poder ir no dia seguinte, e no dia seguinte o que fiz em casa até foi muito mais do que iria fazer no ginásio, mas com móveis em vez de pesos, com o aspirador em vez da passadeira. Estranhamente adaptei-me bem ao novo ginásio, sinto-me bem lá. Coloco a minha música, fecho-me no meu mundo e faço o meu treino sem grande sacrifício - mentalmente falando. Não vos vou dizer que vá com grande disposição. A verdade é que por mim ficava em casa em vez de ir para o ginásio, continuo a preferir o sofá à passadeira, e a televisão às máquinas do demónio, mas depois de lá estar estou bem disposta e treino sem dar pelo tempo passar. Confesso que gostava de ir a mais aulas, as aulas são mais divertidas, mas a verdade é que não tenho tempo.

 

E é isto... Regressei ao ginásio, estou viva e ainda não caibo no vestido que comprei para festejar os meus 30 anos, mas hei-de caber quando chegar a altura!

Pág. 1/5

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.