Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Semana 45 - Desafio 365 Fotos

1510494033673.jpg

 

Esta semana ia passar sem que eu tivesse dado continuidade ao desafio das 365 Fotos. Lembrei-me então de dedicar esta semana aos animais e colocar fotos antigas de vários animais que comigo se cruzaram em várias partes do país. Era isso ou sete fotos de 7 medicamentos diferentes que estou a tomar por isso pareceu-me muito bem ir por este caminho. Não que esta semana sejam precisas muitas descrições, mas... Caso tenham falhado a esta aula na primária, eu apresento-vos os animais e digo-vos onde podem encontrar estes exemplares - se ainda estiverem vivos pois claro.

 

Foto 1- Esta linda vaca jovem, estava confortavelmente num terreno junto à rua nas Furnas, na ilha de S. Miguel.

 

Foto 2- Tirei esta - e muitas, muitas outras - fotografia no Badoca Safari Park no Alentejo. Estamos perante um exemplar de suricata no seu ponto de vigia. Para quem não sabe, os suricatas são muito organizados e apesar de viverem em cativeiro não perdem a sua organização. Num mesmo espaço podem verificar que há alguns suricatas a dormir, outros a trabalhar - que é como quem diz, escavar - e há sempre um suricata de vigia. O que eu acho fantástico é a troca de posto. Já vi um suricata a trocar de posto com outro e é simplesmente incrível. Chegou o outro que tinha acabado de dormir, sobe para o poleiro e o que lá estava sem "ai nem ui" desce e vai dormir.

 

Foto 3- Este cavalo foi também encontrado na Ilha de S. Miguel, mas na Serra da Água de Pau perto de Ponta Delgada.

 

Foto 4- Esta coruja das neves podem encontrar no Zoo de Santo Inácio em Vila Nova de Gaia. Esta é uma das maiores corujas do mundo e é originária do Ártico. Ao nível dos zoos é das corujas mais fáceis de visualizar uma vez que tanto está acordada de dia como de noite, ao contrário das outras espécies de corujas que são habitualmente notívagas. Já os meus favoritos: Os Bufos-Reais, estão quase sempre escondidos a dormir quando lá vou para grande tristeza minha.

 

Foto 5- Tirei esta foto a este gatinho há muitos anos, provavelmente há uns 8 anos ou 9 anos, mais ou menos. Já não me lembro onde, mas lembro-me que era muito bonito.

 

Foto 6- Ah o fantástico Lince. Dava uma história o quanto eu gosto de linces e o quanto eles não gostam nada de mim. Já tive uns quantos que me bufaram quando me tento encostar à rede... Este foi tirado em Sevilha, no MundoPark. Ao contrário de cá, estes animais estão numas casas em vidro e é mais fácil de lhes tirar fotografias.

 

Foto 7- Por último, mas não menos importante. Temos mais uma foto de um pardal - é um pardal não é? - que andou a fazer de modelo fotográfico no miradouro da Vista do Rei na Lagoa das Sete Cidades em S. Miguel. 

 

E pronto, foi uma semana cheia de animais, para compensar a falta de vitamina D que senti por esta encafoada em casa.

 

insta.jpg

Desafio | Só mais 1

Com o cair da folha começam a chegar novos desafios, curiosamente que nesta altura do ano há sempre mais desafios que nas alturas de maior calor. Porque será?

 

Adiante.

 

Ouvi dizer que o David perdeu a vez, e então aqui a Mula assume as hostes e aqui vão as respostas ao Desafio  Só mais 1  a pedido da  cerejinha mais grávida do sapo.

 

As regras são:

A. Responder às perguntas da lista, mantendo o nome do(a) autor(a) da pergunta.

B. Acrescentar uma pergunta à lista de perguntas.

C. Nomear um blogue para responder ao desafio.

D. Colocar a imagem oficial do desafio.

E. Identificar (com link) quem vos desafiou.

F. Colocar o link do vosso post num comentário ao post onde se foi desafiado(a).

G. Importante! Se o blogue nomeado no ponto C não responder ao desafio no prazo de uma semana, nomeia-se outro blog.

 

 

 

20699094_CNU5i.jpeg

 

 

A. Responder às perguntas da lista, mantendo o nome do(a) autor(a) da pergunta.

1 - Se tivesses que te transformar num objeto útil do dia-a-dia, durante 24 horas, em que objeto te transformarias e porquê? (Mimi)

Transformar-me ia num livro, com uma história bonita e ligeira que fizesse sonhar, para poder ajudar alguém a passar um bom momento, e a esquecer a vida real que nem sempre é justa e agradável.

 

2 - Neste preciso momento ofereciam-te 2000€, qual era o teu próximo passo? (C.S)

2000? Hmm.... Não é muito, mas dava para passar uma semana em Itália, ou em Inglaterra e ainda sobrar-me-ia algum para despesas que surgissem. Marcaria uma viagem sem sombra de dúvidas.

 

3- Gostavas de conhecer alguém aqui dos blogs. Se sim, quem? Se não, porquê? (A Desconhecida)

Já conheci algumas pessoas dos blogs, e todas as pessoas a que venha a conhecer são sempre bem-vindas que eu gosto de conhecer pessoas novas. Claro que quanto mais próximas somos de um bloger/leitor, mais curiosidade temos em saber como essa pessoa é e mais probabilidades teremos de um dia nos vir-mos a conhecer.

 

4- Qual é a tua melhor desculpa para faltar a um compromisso? (The Cherry)

A melhor desculpa é o trabalho. Quando não quero, ou não me dá jeito comparecer a um compromisso digo que tenho de trabalhar e assim ninguém argumenta e eu fico livre. Mas às vezes sou mesmo sincera e digo que não me apetece e remarco para outro dia.

 

B. Acrescentar uma pergunta à lista de perguntas.

5- Se fizesses um anúncio para as televendas que produto gostavas de promover e porquê? (Mula)

 

C. Nomear um blogue para responder ao desafio.

E para dar continuidade ao desafio, que agora terá mais uma questão, nomeio a Hikarry.

Curtas do dia #815

Vá, pergunta parva da semana, e caprichem que eu estou encerrada em casa e preciso de me rir:

 

Qual foi a vossa queda pública mais humilhante?

 

Começo eu para vos dar coragem. A minha foi mesmo à porta do local onde trabalhava, numa das ruas mais movimentadas do Porto. Tudo porque precisava de capas nas botas. Esborrachei-me toda, parecia que me estava a atirar para uma piscina olímpica na esperança de ganhar a chapinha mais estrondosa. Tanta gente se riu... Ninguém ajudou. 

Objectivos de vida

 

Objetivos de vida. Aqueles objetivos a que nos vamos propondo, para criarmos algum sentido na nossa existência. Para que não existamos apenas, mas para sermos felizes, ou vivermos com o mínimo de mossas possíveis.

 

Há quem os estabeleça no inicio do ano, há quem os idealize uma vez por mês e há ainda quem se organize ao longo da semana. Eu cá estabeleço os meus objetivos de vida, por vida, ou seja tudo o que quero fazer até um dia morrer sem grandes prazos nem pressões - contando que vá morrer velhinha e rabugenta, claro - e estabeleço ainda alguns objetivos a curto prazo, normalmente mensalmente ou até mesmo diariamente.

 

Neste momento, tenho um grande objetivo em mãos.

 

Mas é mesmo um grande objetivo em mãos. 

 

Já tive imensos objetivos nesta vida, alguns que nunca aconteceram por falta de esforço, por falta de vontades, por falta de tudo e mais alguma coisa. Outros nunca aconteceram porque mudaram, porque eu mudei, porque o mundo gira e avança e tudo muda.

 

Mas este meu grande objetivo quero mesmo levá-lo avante, quero mesmo concretizá-lo. Estou concentrada, estou cheia de vontade...

 

E então Mula, qual é esse grande objetivo que tens em mente?

 

Tenho na mente, tenho no corpo, tenho-o em todo o lado. O meu grande objetivo, por entre lenços limpos e sujos, por entre chás quentes e mornos, e por entre bolachas que como por obrigação, o meu grande objetivo é... Respirar!

 

Tão simples - e tão difícil neste momento - quanto isso: Respirar! E não falo em sentido figurado, falo mesmo do ato contínuo de inspira-expira, inspira-expira, inspira-expira. Porque pensem: Se eu já no dia-a-dia longe de gripes e constipações não respiro com qualidade, imaginem com uma gripe - ou o que seja isto que eu tenho - daquelas que nos atira para uma cama sem prazo de validade...

 

Ainda dizem que sou complicada... Logo eu que tenho desejos tão pouco ambiciosos...

 

Agora... Até já, que tenho de me concentrar para não perder de vista o meu objetivo!

Curtas do dia #814

Finalmente fui à consulta das alergias por causa da minha rinite que me impede de viver decentemente. Estive 10 meses à espera desta consulta. A alergologista não consegue fazer nada e acha que tenho de ser operada. Enviou-me para o otorrino. ENQUANTO espero pela consulta com o otorrino, e como me mudou a medicação, vou ter outra consulta com a alergologista... EM JUNHO! Ou seja, ENQUANTO espero pela consulta do otorrino, tenho uma consulta EM JUNHO de acompanhamento.

 

Mas... Mas... Mas...

 

Quando é que terei a consulta com o otorrino? Em 2018, 2019, 2020, nunca?

 

Aceitam-me apostas!

Não sou uma pessoa de manhãs...

... Nunca fui, e temo que nunca serei.

 

 

Talvez já tenha sido, num passado muito longínquo, num passado sem TV por cabo e com apenas dois canais, porque já fui efetivamente de madrugar para ver os primeiros desenhos animados da manhã, na RTP1 afundada no sofá - ora aqui está algo que nunca mudou, sempre fui uma pessoa de sofás.

 

A verdade é que neste momento acordar cedo é um verdadeiro martírio. Sim, consigo criar rotinas e despertar sempre à mesma hora - mesmo nas folgas, a sério, porquê? - mas não consigo acordar com vontade, com alegria. Gostava de ser uma pessoa de manhãs, daquelas que acorda bastante cedo e tem tempo para se sentar e comer um pequeno-almoço descansada. Eu, ou como o pequeno-almoço em pé a correr junto ao balcão da cozinha, ou tomo-o no trabalho num tirinho antes de entrar. Acordar mais cedo está fora de questão. Já o faço para não sair de casa com o cabelo molhado e já é demais.

 

Mesmo para o blog, é incrível como mais depressa escrevo de olhos entreabertos e entre bocejos de madrugada, do que de manhã, supostamente, fresca e fofa. Mesmo na altura da escola/faculdade nunca acordei mais cedo para estudar - nunca resultaria - mas já estudei enquanto lutava para não adormecer - com bons resultados - noite adentro.

 

Acho que no fundo nesta vida só há dois tipos de pessoas: As das manhãs e as das noites, e eu pertenço efetivamente ao segundo grupo.

 

E vocês? Como são as manhãs para vocês?

Açores - S. Miguel // Parte V

Capa Açores .jpg

 

Dia 5

Não estava esquecida, mas ainda não tinha tido oportunidade para vos contar o último dia nos Açores, que desta vez foi pelas furnas e pelo Nordeste. Vamos lá embarcar no último dia desta aventura?

 

A zona das Furnas, situada a Este de Ponta Delgada é  conhecida pelas caldeiras de água quente, que nada mais são que zonas de vulcanismo ativo, onde géisers de água a ferver brotam das caldeiras. Aqui é cozinhado o tão famoso cozido das furnas e o milho que também é uma delícia. Ao visitarem as furnas também não podem deixar de provar os fantásticos bolos lêvedos, que encontram em vários locais de S. Miguel mas que aqui tem um sabor diferente. O que eu achei muito engraçado, é que cada caldeira - ou seja cada buraco ativo - tem um nome.

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Caldeiras das furnas)

 

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Zona envolvente das caldeiras)

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Zona envolvente das Furnas)

 

 

Nas caldeiras tivemos a oportunidade de ver cozinhar o milho que uns minutos depois acabamos por comer. Foi a primeira vez que comi milho em maçaroca e confesso: adorei!

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Caldeira do Esguicho)

 

 

E ali logo ao lado do parque de estacionamento, junto às caldeiras das Furnas, encontramos esta amiguinha que ali estava confortavelmente a comer qualquer coisa.

 

IMG_2141(2).jpg

(ou não fosse a terra das vacas felizes)

 

Saindo da zona das caldeiras pela zona ribeirinha, encontramos a Lagoa das Furnas, onde é feito o tão famoso cozido. Não entramos na lagoa, infelizmente, mas o tempo não dava para tudo, e sabíamos que entrando íamos lá passar umas boas horas e o resto da ilha que ainda nos faltava visitar iria ficar comprometido.

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Lagoa das Furnas)

 

 

Saímos das furnas a caminho do Nordeste. Passamos por uma série de miradouros, e num dos miradouros encontramos estes belos animais. Afinal não é só uma ilha de vacas felizes.

 

 

 

 

A caminho do Nordeste, passamos pelo Miradouro da Ponta da Madrugada inaugurado apenas uns meses antes de lá termos ido. Este foi o miradouro mais bonito que alguma vez vi. Não pela vista em si, mas pelo próprio miradouro. Ora vejam:

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Miradouro da Ponta da Madrugada)

 

 

 

Este miradouro foi um sonho, sabem o que é que encontramos por lá?

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Colónia de gatos no Miradouro da Ponta da Madrugada)

 

 

 

E chegamos ao Nordeste. Todas as terras por onde passamos nos Açores são bonitas, mas esta é para mim das mais bonitas.

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Nordeste - Arquitetura)

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Nordeste - Ponte dos sete arcos)

 

 

Um dos pontos de visita obrigatória no Nordeste é o Farol do Arnel, situado na ponta do Arnel. Este farol, em funcionamento desde 1876 é o primeiro farol dos Açores. A descida até ao farol é bastante íngreme, com 35% de inclinação, durante cerca de 500m, mas vale bem a pena.

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Nordeste - Descida para o Farol do Arnel)

 

 

IMG_20170923_182823(1).jpg

(Nordeste - Farol do Arnel)

 

 

clicar nas setas para ver restantes fotografias

(Nordeste - Vistas da Ponta do Arnel)

 

 

 

Neste dia à noite regressamos às Furnas, desta vez para irmos à Poça de Dona Beija para queimarmos os últimos cartuchos. Já chegamos a esta estância termal passava das 21h e por isso não tiramos fotografias porque deixamos as nossas coisas no carro. Ainda assim deixo-vos com algumas fotografias que encontrei.

 

(Foto retirada daqui

 

(Foto retirada daqui)

 

 

A Poça de Dona Beija é constituída por várias poças com diferentes profundidades e temperaturas. Inicialmente fomos para a poça Serena onde a temperatura rondava os 40ºC, com duas cascatas ótimas para uma massagem às costas, mas como estava demasiado quente, acabamos por ficar aqui muito pouco tempo, indo logo de seguida para a Poça da Ribeira que sendo pouco profunda e situando-se junto a uma ribeira, tem temperaturas mais amenas que vão oscilando entre mais quente e mais frio. Ficamos até fechar, até às 22h45. E foi um final de dia em grande.

 

Um alerta para quem tenciona ir a estas águas férreas - seja na Caldeira Velha seja aqui nas Furnas - cuidado com os cabelos - essencialmente para as meninas - esta água seca imenso o cabelo, e faz com que cabelos pintados mudem de cor. Saí destas férias com o cabelo castanho - lá se foi uma vez mais o ruivo - e tão seco, mas tão seco que no dia seguinte mal me consegui pentear, para terem uma noção do desespero, até nívea pus no cabelo para o tentar pentear. Por isso não sejam como a Mula e evitem molhar os cabelos nas poças de água quente dos Açores.

 

E assim terminamos a visita a S. Miguel. No dia seguinte, ao final da manhã já estávamos no aeroporto à espera do nosso voo para casa. Espero que tenham gostado tanto como eu gostei. 

 

Até à próxima e boas viagens!

 

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.