Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Lutar contra o excesso de peso # Inspiração da Semana

Desde que vos fiz o pedido para partilharem comigo histórias de verdadeiras inspirações na luta contra o excesso de peso, que tenho recebido histórias incríveis de verdadeira superação. Inspiram-me e comovem-me! Há realmente pessoas incríveis com uma força incrível! Antes de mais, muito obrigada por me lerem e por confiarem em mim os vossos testemunhos.

 

A história desta semana é de uma leitora que preferiu manter o anonimato. Vamos chamar-lhe L. Não um "L" de Liliana, nem um "L" de Laura, um L de lutadora!

 

Esta é então a história da L.

 

Olá,

 

Eu sempre fui "grande" e nunca me incomodou esse facto, mas nas fotos de Natal e com 40 anos, além de me ver grande como sempre fui tinha bochechas, e isso não podia ser porque sempre tive a cara "fininha".

 

Por isso em janeiro, fui a uma consulta de nutrição e não gostei da "sentença", tinha uns bons quilitos extra, teria que emagrecer cerca 15Kg para voltar ao "normal" e sair da linha vermelha.

 

Toda a gente me dizia que não, que era um exagero meu, que eu fazia ginásio 3 a 4 dias na semana e que era músculo, pois pois, mas a balança não engana e as análises também não e as coisas não estavam a ficar boas.

 

Hoje, com 42 anos posso afirmar que estou melhor do que aos 20 (pelo menos sinto), pois já não tenho peso a mais e estou "normal", continuo a ir ao ginásio, se calhar não tanto como antes e deveria, mas principalmente já não preciso de medicação, como antes, para as minhas articulações.

 

Resumindo, chegar aqui pode não ser propriamente um mar de rosas, mas sabe tão bem ver os resultados. Agora vem o difícil, que é manter-me saudável.

 

A L. tocou em dois pontos muito importantes:

Primeiro há uma espécie de choque que despoleta um ponto de viragem: o meu caso foi aquela primeira consulta de nutrição um tanto por desporto e a vontade de ser mãe, na L. foram as fotos de Natal. Acho que este ponto de viragem é muito importante porque apesar de existir devido a um choque, é aquele nos vai dar forças para continuar quando nos apetecer desistir.

 

O segundo ponto em que a L. toca que também é muito importante é que o difícil não é o perder peso, é o manter, é o continuar e por isso lutar contra o excesso de peso é muito mais do que emagrecer, é manter, é resistir e lutar diariamente, porque quem tem tendência a ter excesso de peso, vai sempre ter de ter cuidados e a luta é... para sempre! Eu infelizmente há dois anos e meio atrás - mais coisa menos coisa - emagreci cerca de 10kg... Mas infelizmente recuperei tudo com bonus. Deveria de bater em mim mesma por ter perdido o juízo!

 

Muitos parabéns L. E que te mantenhas sempre saudável. Hei-de me juntar a ti nessa manutenção!

 

______________________________________

 

Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos por email para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me, e o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

Lutar contra o excesso de peso # Inspiração da Semana

Semana passada lancei um desafio a todos vocês que me leem e que tal como a Mula lutam, ou já lutaram, diariamente contra o excesso de peso. Pedi que partilhassem comigo um pouco da vossa inspiração, um pouco da vossa história para, quiçá, ajudar outras pessoas que ainda não se decidiram a entrar na luta, ou que simplesmente já desistiram dela porque é inegável que é mais fácil desistir do que permanecer.

 

Não, não quero histórias fantásticas Herbalife - não que tenha alguma coisa contra... - nem histórias de fórmulas milagrosas como se veem no facebook. Quero histórias reais, de pessoas reais, que sofreram e que lutaram e venceram - ou vão vencendo - os obstáculos e destruindo quilos e que com isso foram ganhando acima de tudo mais saúde.

 

Esta é a história da Dulce. Obrigada Dulce pela partilha:

 

Isto podia começar assim: Olá, chamo-me Dulce, 51 anos, e sempre tive problemas de peso.

 

Sempre fui grande, coxa grossa, compacta. Pratiquei andebol na juventude (até aos 20) e depois parei...  até aos 45 anos.

 

Nessa altura estava com 85 Kg, mas como sempre fui compacta (isto é, nunca fui banhuda, com pneus), não tinha noção de que era gorda.

 

Até que um dia fiz umas análises e estava com o colesterol nos 350!!!

 

A médica disse-me: vai fechar a boquinha e mexer o rabo ou isto tem que ir a comprimidos?

 

Eu preferi a primeira hipótese. Fechei a boquinha e comecei a fazer bootcamp (violentíssimo, exercício tipo militar ao ar livre - no Parque da Cidade) e a fazer trails - 10/12 Km no máximo. 

 

Perdi, em 6 meses, 16Kg.

 

Em 2016 decidi deixar o ar livre e meter-me num ginásio. Faço boxe e zumba (3 vezes por semana, às vezes só duas), e continuo a fazer trails - pelo menos um por mês. 

 

Agora peso 80Kg, continuo compacta mas dura que nem cornos. Até o músculo do adeus desapareceu.

 

Continuo grande e grossa, mas o colesterol está abaixo dos 200.

 

Portanto, por fora posso não ser grande coisa mas por dentro sou uma autêntica super model. E isto é o que me interessa.

 

Portanto, não tenha medo de ganhar alguns quilos se o que verdadeiramente interessa (a saúde) estiver sempre no ponto.

 

Um beijinho e força nisso.

 

Dulce/Porto

 

A Dulce decidiu mudar de vida aos 45 anos! Se é preciso coragem para mudar aos 20, imaginem depois dos 40 anos. Não  é fácil nunca, mas quantos mais anos temos enraizados de má alimentação pior, quantos mais anos temos enraizados de preguiça pior. Por isso neste momento só me ocorre dizer à Dulce uma coisa: Muitos parabéns! Isso é realmente fantástico!

 

 

______________________________________

 

Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos por email para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me, e o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

Gosto de saladas

(imagem retirada daqui)

 

Não o digo por estar de dieta em reeducação alimentar, digo-o porque gosto e sempre gostei de saladas. Com fruta, com frutos secos, de preferência com muito queijo e colorida. Gosto muito de saladas coloridas. Acho que podemos não gostar de vários alimentos, de vários elementos, mas não gostar de saladas é quase impossível porque podem ser tão variadas com sabores tão distintos que dizer apenas "salada" é extremamente vago, por isso só temos é de comer saladas com os nossos ingredientes favoritos. Sorte a a minha que tirando uma ou outra coisa, gosto de tudo pelo que consigo comer saladas diferentes e variadas com o mesmo prazer que como um hambúrguer cheio de gordura.

 

Semana passada fui almoçar a um local perto do trabalho que tem sempre sopa e salada, mesmo à fantástica hora que almoço - almoço à hora do lanche. Um colega de trabalho vai lá tomar café e vê-me a almoçar, eram quase 16h e diz-me:

 

Colega: São horas de almoçar?

Mula: É para que vejas... E hoje estou cheia de fome!

 

Ele olha para a minha sopa, olha para a minha taça de salada, olha para mim e diz com algum pesar...

 

Colega: E acho que vais continuar com fome!

 

Não. Não fiquei com fome. Sou das que abusa da proteína como já tinha dito aqui e por isso se bem escolhidos os ingredientes não me parece possível ficar-se com fome. Para mim as saladas são ótimas essencialmente após os fins-de-semana - onde há sempre mais bagunça alimentar - para equilibrar. Claro que sabem melhor no verão, mas a verdade é que se equilibrarmos com algo quente - que no meu caso é com sopa - também sabe bem no inverno seja como prato principal seja com acompanhamento. Tão bom um peixinho assado no forno com uma salada de rúcula e tomate. Tão bom um frango estufado com requeijão, alface e frutos secos...

 

Agora para quem quer controlar o peso também é importante ter juízo na hora da escolha dos ingredientes e essencialmente muito cuidado com os molhos até porque uma salada mal escolhida e com molho pode ser tão calórica quanto uma pizza - se calhar estou a exagerar, mas a verdade é que pode ser mesmo muito calórica - por isso aqui a Mula há muito que não coloca molhos - apenas azeite e por vezes vinagre - não coloca croutons ou seus semelhantes, nem milho, e quando quero algo mais low carb - como até foi o caso - não coloco massa.

 

E se ficar com uma laricazinha? Um café após a refeição soluciona o problema.

 

E daqui, quem é que é da #teamsalada mesmo durante o inverno?

Lutar contra o excesso de peso #17

 

Como já devem ter percebido, a Mula regressou ao ginásio.

 

Inscrevi-me na terça-feira passada e ontem fiz o meu quarto treino*. Estou toda moída, parece que entrei numa picadora de carne... Não digo que descobri músculos que não sabia que os tinha, porque já os tinha sentido há muitos anos atrás, mas a verdade é que reencontrei músculos que há muito tempo não sentia. Apesar de estar dorida, ando muito feliz, ando enérgica, ando motivada. Acima de tudo isso, ando motivada.

 

Inscrever-me no ginásio não foi, posso garantir-vos, uma decisão fácil, porque como vos disse aqui tenho acima de tudo falta de tempo, mas percebi que perder peso estava cada vez mais difícil através da dieta, e percebi também que em certas partes do corpo - como é o caso dos braços - não vai lá com dieta, para além de que ando a passar por uma fase extremamente rabugenta e com insónias, pelo que achei que exercício físico vinha mesmo a calhar. Garanto-vos que desde o primeiro dia que tenho dormido que nem um bebé, e ando sem dúvida com muito mais energia. Foi por isso uma boa decisão e pelos visto quando queremos tempo arranja-se sempre.

 

Não sou, de todo, uma pessoa que se vai transformar na maluquinha do ginásio de um dia para o outro e não, não irei todos os dias, nem gritar aos quatro ventos que não sei viver sem o exercício físico e patateu história romântica, porque o soffing - como diz uma amiga minha - acompanhado do zapping vai continuar a ser o meu desporto favorito. Mas... Mas a Mula vai tentar ir 3 vezes por semana, sendo que 2 vezes é o mínimo estipulado: Segundas-feiras à noite depois do trabalho, quartas-feiras à tarde, e sábados depois do trabalho. Se me conseguir organizar desta forma nem preciso de acordar mais cedo para ir antes do trabalho e posso manter as minhas horas de sono que era o meu grande desejo.

 

Confesso que apesar de estar bastante moída estou muito surpreendida. Pensei que fosse estar em pior forma do que estou realmente. É inegável que saí de lá destruída no primeiro dia -  nesse dia o Mulo até achava que eu estava doente porque quando chegou a casa eu estava a dormir no sofá... - mas a verdade é que estou com muito mais resistência do que esperava, e até comecei a correr na passadeira desde o primeiro dia... Isto acreditem não é normal em mim! Isto de estar mais magra parece que tem as suas vantagens e uma delas parece-me que é não me cansar tanto, ter mais resistência. 

 

Em três dias de ginásio aumentei um quilo de massa muscular e isto de acordo com a minha nutricionista é fantástico. Claro que isso já se refletiu na balança e confesso que não sei se estou preparada psicologicamente para ver os números da balança a aumentar novamente, ainda que seja por um bom motivo. Sim, isto vai acontecer porque toda eu sou gelatina de gordura e a massa muscular ao aumentar vai fazer-se notar na balança. A nova nutricionista pediu para me deixar de pesar... Mas confesso que não sei se consigo. Com o aumento da massa muscular, também aumentei significativamente a percentagem de água no corpo e confesso que fico abismada como é que apenas três treinos fizeram tanto pelo meu corpo... Confesso que se não tivesse ido à minha nutricionista de sempre que acharia que os resultados estariam tão diferentes devido às balanças serem diferentes... Mas não. Os resultados das duas balanças foram iguais. Recebi, com tudo isto, uma ótima notícia: Estou a poucos quilos - basicamente estou a um ponto - de estar dentro de um IMC considerado normal, isto psicologicamente é fantástico, não esquecendo que o meu IMC já revelou obesidade. É bom ver o meu esforço a ser recompensado.

 

Como vos disse aqui, decidi deixar a minha atual nutricionista e optei por ser seguida pela nutricionista do ginásio. Não que não estivesse satisfeita com a atual, sempre a defendi e sempre gostei bastante dela, porque acima de tudo entendia-me e arranjava sempre uma palavra encorajadora, mas acho que ser seguida pela do ginásio traz mais vantagens: conhece o meu plano, conhece - não conhece, mas vai passar a conhecer - as minhas rotinas de treino e posso obter uma ajuda complementar neste sentido. O plano não é assim tão diferente do que eu já estava habituada e como esta nova acha que eu como pouco, ainda me aumentou-me o número de lanches e abriu-me o leque de opções ao lanche e ao pequeno-almoço. Gostei! Permite-me ainda o leite - a outra era contra - o que é outro ponto a favor e o golpe final foi a introdução da cheat meal - que eu já fazia, mas à revelia - por isso parece-me que sim, que é para manter a nutricionista do ginásio.

 

Na próxima consulta - daqui a um mês - se tiver tido juízo fiz mais 11 treinos, e confesso que estou curiosa para ver os resultados. Tenho um objetivo: Conseguir que os meus braços entrem num vestido lindíssimo que comprei para festejar os meus 30 anos em Abril - ele serve-me mas não consigo mexer os braços de tão justo que fica -, por isso rezem comigo e façam todas as figas que conseguirem.

 

 

E por aí? Quem é que já está a tratar do #corpodeverão2020?

 

______________________________________________________

 

 

Tenho um desafio para vocês, ou um pedido vá. 

 

Sei que muitos de vós têm uma luta silenciosa com o vosso peso, uns com sucesso outros nem tanto. Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me que o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

 

_______________________________

*Não sei se podemos chamar treino àquilo que faço, mas aquilo que faço pode ainda não ter um nome específico e um dia certamente se chamará treino.

A alegria de caber...

... Numas calças cuja existência já não recordava.

 

Em tempos - e por tempos entenda-se muitos alguns anos - a mãe ofereceu-me umas calças de ganga que eu amei. Nunca me serviram. Na altura estava em dieta e ela disse "vê estas calças como uma motivação, um dia vais caber nelas." Certo. Se quem espera desespera escondi guardei as calças para não me fazerem mossa na alma. Para isso já tinha os espelhos, não precisava de mais.

 

Semana passada a fazer umas arrumações, dei com as calças que nunca mais me lembrei que existiam. Torci o nariz e pensei "não, ainda não servem!" e guardei as ditas mais cá para a frente, para não lhes tirar os olhos.

 

Minutos depois voltei atrás, voltei a pegar nelas, e pensei: "porque não tentar?"

 

Depois disto:

 

E de um pouco disto:

 

Isto:

 

 

Custaram a subir? Custaram um poucochinho. Anca é anca aqui e na china, e a anca vai sempre dificultar a vida das mulheres, mesmo a das mais magras, mas depois de estarem no sítio... Não é que me assentam que nem uma luva?

 

Alegria. Pulinhos de êxtase. Rodopios de felicidade. Não, não foi apenas por me servirem finalmente umas calças que adoro, mas sim porque eu estava mesmo a precisar de umas que não me escorregassem da cintura a cada 5 minutos, e não queria - para já - estar a gastar dinheiro para daqui a uns meses já voltarem a não assentarem bem.

 

Já viram que sorte a minha os jeans nunca passarem de moda?

 

Thank you Mr. Levi Strauss for that, God bless you wherever you are!

Lutar contra o excesso de peso #16

1.JPG

 

E chegou a tão temida consulta com a nutricionista pós-festas.

 

Antes de continuar, relembremos:

           - O meu objetivo: Chegar a 2018 abaixo dos 70kg.

           - O objetivo da nutricionista: Manter o peso.

 

Claramente aqui a doutora é ela, a experiência é dela e eu não percebo nada disto. Achei que não seria uma tarefa impossível perder 1,5kg em três semanas. Claramente ela conhece-me melhor do que eu e foi difícil manter o peso, quanto mais perder 1,5kg em três semanas. Claro que seria mais ou menos fácil se essas três semanas não englobassem o Natal, o Ano Novo e os Reis. Claramente estas três pequenas e quase inofensivas palavras têm mais peso do que achei que poderiam eventualmente ter...

 

Cheguei a dizer com orgulho que perdi peso no Natal. Ainda hoje não percebi o que aconteceu, mas após ter passado dois ou três dias a alimentar-me à base de pudim, queijo e bolo rei a balança quis dar-me um presente, e numa espécie de milagre de Natal os números desceram. Dei pulinhos de alegria, achei que o organismo estava mesmo a precisar de uns miminhos para arrebitar e acelerar.

 

Presente envenenado, ou dona do organismo mais desnaturada de sempre? Não sei, mas no Ano Novo engordei o que deveria de ter engordado no Ano Novo e no Natal! Que bom! Universo equilibrado este. E agora? E agora tinha uma semana para pelo menos equilibrar as coisas e ser o orgulho da nutricionista e conseguir pelo menos alcançar o objetivo por ela proposto: manter.

 

Na consulta: "Parabéns, conseguiu o que muita gente não consegue. Não só conseguiu não engordar, como ainda conseguiu perder algumas gramas [200g para ser mais precisa], e alguma anca. Acredite ou não são poucos os que conseguem esta proeza! Mal ela sabe, ou talvez até saiba, que eu perdei pelo menos 1kg e 200g! No mínimo isso!... Por isso até foi um feito do caraças visto por este prisma. Apesar do balanço final ter sido menos 200g, o real foi menos um quilo e tal. É bom, certo? Vamos acreditar que é bom.

 

A parte má é que posso mentir à nutricionista mas não posso mentir àquela balança do demo e pela primeira vez a gordura visceral subiu um pouquinho. "Nada alarmante", disse ela, "mas vamos aqui fazer um esforço extra, pode ser? E daqui a 15 dias quero-a abaixo dos 70kg como tanto quer!" Claro que sim! A doutora manda! Ou veremos se manda é que afoguei as mágoas num croissant ao pequeno almoço, num big mac ao almoço e num jesuíta ao lanche!... Mas já sabemos que, eu, que não tenho dia do lixo oficial, instaurei que dia de consulta é dia do lixo. É o dia em que como tudo o que me apetece, em que afogo as mágoas e as vitórias para no dia seguinte começar com mais energia. Tem resultado!

 

Tenho de me mentalizar que tenho de voltar a subir à bicicleta que jaz no quarto de arrumos... Quero tanto ver um 60 na balança! Dizem que querer é poder certo? Tudo apostos? 'Bora lá continuar este longo e desconsolado caminho!

 

Capturar.JPG

Como seria mais fácil a vida se tudo o que fosse saudável soubesse a lasanha...

Lutar contra o excesso de peso #16

 

Ai as festas, as festas...

 

Não há nada mais que abale uma dieta que as grandes festas. É sabido que em muitas casas a mesa é a mesma do Natal ao Ano Novo, recheada de coisas boas, cheias de açúcar, altamente gordurosas e carregadas de calorias. Devemos olhar para o lado e pedir um chá antes de uma fata de bolo rei? Claro que não. O segredo não está em não comer, porque a alma também se alimenta. O segredo está em ter juízo e comer, pouquinho do que se gosta. Eu cá tirei a barriga de misérias, pois claro. Mas, como me disse a minha nutricionista, devemos ter em mente que há apenas dois - vá eventualmente quatro - dias em que podemos abusar mais - os 24/25 e os 31/1 - mas devemos ter a consciencia de que nos restantes dias é para ter juízo. E se é verdade que no Natal a coisa estendeu-se ali até dia 26, eventualmente até dia 27, no ano novo no dia 2 já estava mais do que na linha - vantagens de não ter festejado em casa.

 

Hoje decidi partilhar convosco a minha rotina de alimentação, aquele plano alimentar que uso mais frequentemente - porque depois tenho outro quando preciso de dar um abanão ao metabolismo, e outro quando o bicho funciona quase sem esforço. Confesso que pensei muito, antes de partilhar o meu plano convosco porque foi feito para mim, tendo em conta os meus gostos e necessidades, tendo em conta eu, e não outra pessoa e como é sabido, o que resulta comigo pode não resultar com os outros. Ainda assim como não é um plano demasiado restritivo pareceu-me uma partilha inofensiva e pode ser que ajude alguém, quiçá.

 

Pequeno-almoço

  • Chá ou café (que eu à revelia transformo numa meia de leite com adoçante) + 1 pão de centeio/mistura/cereais (50g) com queijo magro (fresco, queijo creme ou em barra) ou fiambre de frango/peru ou compota sem adição de açúcar (1 c. de chá).

    OU

  • 1 Iogurte magro + 3 colheres de sopa de flocos de aveia + 1 peça de fruta + sementes e/ou canela a gosto.

 

Meio da manhã:

  • 1 peça de fruta + frutos secos (um pequeno punhado)

    OU

  • 1 peça de fruta + 2 marinheiras ou 2 tostas integrais ou 6 tostas finíssias integrais.


    Raramente como a fruta com os frutos secos porque raramente consigo comer só um punhado. Opto quase sempre pelas tostas finíssimas ou pelas marinheiras.

 

Almoço:

  • Carne (120g) ou peixe (120g-140g) ou 2 ovos + 2 colheres de sopa de arroz/massa/milho/quinoa/etc. ou 1 batata média ou 4 colheres de sopa de leguminosas 1/2 prato de legumes/salada + 1 peça de fruta ou gelatina.


    Aqui, sou-vos muito sincera: como de tudo. Do empadão ao bacalhau com natas. Do franguinho grelhado ao salmão com crosta de broa. Ao almoço o que a meu ver importa mais é a quantidade. Se sabem que é um prato mais calórico comem menos e até podem complementar com sopa. Aqui a sopa é permitida, só não está no plano porque raramente como sopa ao almoço.

 

1º Lanche:

  • 1 Iogurte magro + 2 colheres de sopa de flocos de aveia

    OU

  • 1 Iogurte magro + 1 colher de sopa de sementes a gosto (excepto bagas de goji).


    Acho que nunca como o iogurte com aveia ao lanche, o plano permite mas dava demasiada asneira andar com a aveia atrás de mim ("Aveia, aveia everywhere" se é que me entendem), então habitualmente é iogurte com sementes de chia ou de papoila.

 

2º Lanche:

  • 1 Gelatina sem açúcar ou 2 Queijinhos light ou 1 Queio fresco magro ou 1 Iogurte magro


    É muito raro fazer segundo lanche, apesar dos meus dias serem muito compridos. Almoço às 15h30 e depois só janto às 22h. Mas quando tenho um pouco mais de fome que o normal, o mais frequente é comer uma gelatina ou queijinhos light daqueles da vaca que ri.

 

Jantar:

  • 1 prato de sobremesa de salada ou 1 prato de sopa de legumes (faço sempre sem batata) + carne/peixe/2 ovos + 1/2 prato de legumes/salada + 1 peça de fruta ou gelatina.

 

Ceia:

  • 1 Chávena de chá sem açúcar.

 

A somar a tudo isto, bebo 1,5L de água com drenante que vou variando para o organismo não se habituar e alternando com chá de hibisco ou cavalinha para eu não me cansar.

 

E é isto. Acham que dá para passar fome?

 

Não vos vou mentir, claro que ao início custa, essencialmente quando um pacote de frutos secos me durava 1 ou 2 dias ou quando comia por 2 ou 3 pessoas às refeições. Agora não custa assim tanto e sinceramente sinto-me com muito mais energia, era desgastante andar sempre com fome, andar sempre a pensar em comida. Agora não, agora sinto que sou normal e isso é bom.

 

E então é agora em 2018 que vais começar a trabalhar o teu #corpodeverão2020? A Mula já começou em 2017!

Lutar contra o excesso de peso #15

a2fe99278858935821d9a9f022322475.jpg

 

"Como é que consegues?"

"Eu não consigo... Não tenho força de vontade!"

"Passas fomes?"

"É preciso muito sacrifício..."

 

 

Podiam ser ditas por mim. Aliás, foram ditas por mim ao longo de muitos anos e agora, sem que eu saiba muito bem como, sou eu que respondo, sou eu que dou conselhos, opiniões, que partilho experiências. Foram já seis meses de caminho até aqui.

 

Se bem se lembram, tive de reformular o plano porque o dito deixou de resultar e regressei 15 dias depois.

 

Resultado: Menos um quilo e meio neste lombo de Mula. Menos 4 cm na barriga, menos um na anca, menos 0,5% de gordura visceral, por isso digamos que estou novamente na corrida para o #corpodeverão2020.

 

Respondendo um pouco às perguntas que me vão fazendo.

 

 

"Como é que consegues?"

Não sei como consigo, acho que o que dizem é certo: o que custa é começar, depois vamos tomando o gosto de ver a balança a diminuir e isso gera um efeito bola de neve.

 

 

"Eu não consigo... Não tenho força de vontade!"

Não quero parecer injusta, porque também já estive do outro lado e será muito fácil regressar ao outro lado, porque emagrecer/manter o peso é uma luta constante, luta essa que já perdi outras vezes. Acho que a melhor maneira de mantermos o foco é arranjar uma motivação: caber em alguma peça de roupa que gostem e queiram voltar a usar, um casamento, uma reunião de ex-colegas de escola... O meu grande motivo é a vontade de ser mãe, e quero ser uma mãe saudável. A verdade é que é a este motivo que tantas vezes me agarro quando sinto vontade de desistir.

 

 

"Passas fomes?"

Não passo fome. Decidi recorrer a ajuda externa exatamente para não passar fome. Quando há uns anos decidi fazer dieta passei muita fome, aliás eu só me alimentava à base de omeletas e gelatina, e por isso é que quando voltei a comer normalmente recuperei tudo com juros. Recorri à ajuda de uma profissional. Como imensas vezes ao dia, por vezes até mais do que precisava - é o que sinto, porque não gosto de comer sem fome - e isso faz com que eu tenha um plano adequado às minhas necessidades que tem funcionado muito bem. Como viram, quando deixa de fazer efeito o plano é reformulado, e isto sozinha era muito mais difícil de fazer.

 

 

"É preciso muito sacrifício..."

Não vou negar. É preciso muito sacrifício. Essencialmente em jantares de amigos, em aniversários, em casamentos, e... 2 vezes por semana aos fins-de-semana, mas sabem o que eu faço? Em dias especiais eu não me privo de absolutamente nada - priva-me o meu estômago por questões de capacidade. Mas estabeleço comigo mesma um contracto: hoje extravaso, mas amanhã volto ao trilho sem estrebuchar e com juros - faço uma caminhada, reduzo os hidratos. Um dia não vai estragar toda uma dieta, vários dias é que sim, por isso é um forma de compensação. Com o tempo o que eu senti é que quanto menos como, menos tenho vontade de comer. Tantas vezes entro numa confeitaria cheia de bolos com aspeto delicioso mas acabo a pedir algo salgado... A verdade é que com o tempo a expressão "ter mais olhos que barriga" ganha sentido e o sacrifício deixa de o ser efetivamente, passa a ser natural.

 

 

-----------------------------------------

Estas são as questões mais regulares, se tiveres alguma questão que me queiras colocar, podes perguntar por aqui, ou então via email - desabafosdamula@hotmail.com - e no próximo "Lutar contra o excesso de peso" eu respondo. Prometo anonimato se assim for desejado.

-----------------------------------------

 

 

E é assim que encerramos 2017. Uma Mula mais leve, mais feliz e acima de tudo mais magra e com mais autoestima.

 

Balanço de 2017: 12 quilos perdidos, vários centímetros reduzidos, muita água bebida.

 

Agora consulta só para o ano... Objetivo destas festividades proposto pela nutricionista: Manter! Parece-me justo, mas em 2018 queria já ter dito adeus aos 70's e dito olá aos 60's  só falta 1 quilo e uns trocos. Será que consigo?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.