Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

No dia em que quase vi o vizinho do lado...

... através das paredes de minha casa. Literalmente. Sem sair de casa. Sem abrir uma janela. Sem ir ao óculo da porta.

 

Sempre me julguei uma mulher habilidosa, consigo fazer algumas coisas aqui em casa sem precisar de homens, menos abrir o frasco das malditas das azeitonas! Desde arranjar tomadas, a resolver questões várias com cabos, com canalizações, entre outras pequenas coisas que são necessárias arranjar em casa. Sempre fui mulher de pegar na chave de fendas e arranjar. Até porque se ficar à espera que o Mulo arranje bem que fossilizo antes. 

 

Bem, mas adiante.

 

A verdade é que já fiz várias coisas em casa das mais simples às mais complicadas e esta semana decidi fazer uma coisa, que na minha ótica era do mais simples que há: aplicar quadros na parede.

 

Tinha comprado pregos, tinha um martelo, tinha as molduras a aplicar, na minha ótica tinha tudo para correr bem. Pego na fita-métrica para fazer as devidas medições para saber onde aplicar cada moldura, pego num lápis para marcar - obrigada IKEA por terem lápis espetaculares para estas situações que eu faço sempre questão de trazer para casa! - e lá iniciei o trabalho para dar assim um boost mais pessoal à nossa sala.

 

Decido começar a aplicar o primeiro prego... Fura logo direitinho à primeira marretada, continuo a bater e eis que o prego deixa de penetrar na parede e começa a amolgar todo.

 

Hmmm! O prego tem defeito... Vamos cá pegar noutro. - pensei.

 

Pego no segundo prego, começo à marretada e eis que o gajo volta a ficar todo torto! Pego no terceiro, idem, no quarto nada muda. Começo a enervar-me! A parede começa a descascar, começa a ficar um buraco gigante à volta que dava para meter ali os 20 pregos que eu tinha comprado avulso e eu começo a enervar-me a sério. Farta daquilo, e porque agora tinha um buraco gigante que não era suposto na parede, pego num parafuso que tenho bem afiado lá dou uma marretada o bicho entra e consigo assim tapar com uma moldura grande o buracão enorme - é para verem, como era mesmo grande - que fiz.

 

Eis que pego nas minhas coisas e vou a uma loja de bricolage que tem aqui perto pedir ajuda a um senhor. Lá me explica que existem vários tipos de pregos e que o que eu precisava eram de pregos de aço. Muito bem. Pregos de aço! Lá trago os pregos de aço comigo e pelo sim, pelo não, um tubinho de cola que agora existe para as pessoas deixarem de andar às marteladas às coisas. Eu já estava era preparada para colar o raio dos quadros à parede e desejar nunca me fartar daquelas fotografias, porque provavelmente nunca as iria conseguir descolar da parede. Mas sejamos sinceros. Antes fotografias ultrapassadas que buracos a ver-se quase a casa do vizinho.

 

Lá volto a respirar fundo e lá começo à marretada aos pregos de aço. Olha, incrível os ditos realmente não entortam! [Vá, Mula não enganes ninguém, conseguiste pelo menos entortar um....] Mas a parede deve ser uma camada muito fina e logo seguida de tijolo.... Resumindo, os pregos não entram totalmente na parede - começam a bater em qualquer lado e não entram mais -  e uma vez mais a parede começa a descascar, e o buraco a aumentar. Eu acho que as centopeias cá de cada vão adorar os esconderijos. 

 

Bem, tapei com massa os buracos maiores, coloquei as molduras na parede a tapar as restantes cagadas que eu fiz e agora tenho uma parede linda, cheia de fotos nossas.... Todas tortas... Mas não interessa, o que interessa é que estão no sítio, e já se passaram mais de 48 horas e ainda não caíram!

 

Realmente... Decoração é cena de gaja, parece é que eu não nasci com o dom.

 

Assim como assim, se algum dia acabar a farinha e quiser fazer um bolo não preciso de sair de casa para pedir um kg emprestado ao vizinho...

Impróprio para cardíacos...

Apesar de existir muita gente que me lê que sabe quem eu sou, ou porque me conhecem desde sempre e por isso conhecem o blog, ou então porque me conhecem daqui e eu confiei o suficiente para me dar a conhecer, ou simplesmente porque a minha pegada informática é tipo a de um dinossauro na areia molhada e facilmente detetada, a verdade é que apesar de não ser um grande segredo, fiz sempre por preservar a minha identidade e pessoas que convivem comigo diariamente, mas que não me são assim tão próximas, desconhecem o blog. Para terem noção, lá no trabalho há apenas uma pessoa - em quem eu confio muito - que conhece o blog.

 

Faço questão de manter esta privacidade não por ter medo de levar na tromba por dizer algo mais sórdido ou controverso, mas simplesmente porque mantendo a minha privacidade mantenho a minha capacidade para dizer tudo aquilo que me sobe à cabeça no momento, seja bom ou mau. 

 

Não há nada neste blog que me envergonhe. Não tenho vergonha de ter um blog ou do que escrevo. Tenho até aliás muito orgulho. Mas ainda assim tem coisas que me são bastante pessoais - que passam a ser públicas assim que carrego ali no lapinhos de  publicação - e como sabem, se utilizo muitas vezes o blog para aparvalhar, também utilizo muitas das vezes o blog para desabafar. E eu não aguentaria escrever A ou B e assim que entrasse, por exemplo, no trabalho virem perguntar por A ou por B, porque uma coisa é escrever, outra coisa bem diferente é falar. E quem me conhece sabe que não sou assim tão boa com as palavras e ainda menos com sentimentos.

 

Mas adiante.

 

Fiz sempre questão de preservar a minha identidade.

 

Agora imaginem estar descansada em casa, relaxada. É apenas um dia normal, e como em tantos outros, do nada receber uma notificação normal de um novo seguidor no instagram, como acontece amiúde, abrir e ver que é uma colega de trabalho!

 

 

AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!

 

Sabe quem eu sou? Clicou por engano? Clicou porque sabe quem sou eu, ou clicou porque gostou e não faz a mínima ideia a quem pertence? Se não sabe, vai saber, do instagram ao blog é um instante e pelos vistos as minhas mãos e unhas são famosas e basta uma fotografia com a pontinha de um dedo meu para saberem que sou eu!

 

 

Em caso de confronto, admito? Nego até à morte? Ou desato simplesmente a correr para mudar de assunto?

 

Em todo o caso, se vos aparecer algures por esta blogosfera fora, um outro animal estranho, em breve, é possível que seja uma Mula disfarçada... Sugestões para novos nomes?

 

Pânico, eu? Não sei do que vocês estão a falar!

As amostras amostram o quê?

Sou das que adora receber brindes e amostras várias. Tenho recebido algumas amostras de cremes de rosto, máscaras e produtos para o cabelo e são sempre bem recebidas. No entanto, o que eu acho incrível é que as amostras, como elas são na grande maioria, não mostram rigorosamente nada e confesso que por vezes não entendo o intuito do envio.

 

Ou seja, exemplificando. 

 

Um perfume, poderá fazer sentido enviar como amostra algumas gotas, ou até umas toalhitas com a fragrância, para podermos perceber se gostamos ou não do cheiro.

 

Mas...

 

Receber uma amostra daquelas pequenas saquetas de máscara para o cabelo eu vejo o quê com aquilo? Alguém me explica? É que o intuito das amostras suponho que seja dar a conhecer o produto, e levar a pessoa a comprar. Ora, uma máscara de cabelo convém usar pelo menos umas 3 ou 4 vezes para vermos realmente se resulta e em várias condições. Ora se a saqueta só traz produto para uma utilização, só nos permite avaliar o cheiro e se eventualmente somos ou não alérgicas ao produto. Ok, concordo que se o produto for demasiado mau que basta uma utilização para perceber, mas se for bom leva o seu tempo.

 

Por isso questiono-vos: As amostras de cremes, champôs, máscaras e afins pretendem amostrar afinal o quê? Serei a única a pensar assim?

Ter 18 anos...

Quando o Fox Sunset Stories terminou, duas meninas - uma com 18 anos e outra apenas com 17 - vieram ter comigo e com a minha amiga para que lhes déssemos boleia até à estação de comboio mais próxima. Pelo que percebemos achavam que podiam pagar em dinheiro no Uber, mas não estavam a conseguir pedir dessa forma na aplicação. As miúdas tiveram quase toda a noite perto de nós, pareceram-nos simplesmente miúdas e demos-lhes boleia até à estação e perguntamos-lhes se já tinham pedido boleia a outras pessoas.

 

Pois que sim - claro! - que tinham pedido a várias pessoas no evento, homens e mulheres e até à polícia, mas que só nós é que nos disponibilizamos a levá-las e contaram-nos até de algumas tentativas de engate que sofreram com esse pedido - óbvio!

 

Não sei, sinceramente não sei, onde estas miúdas têm a cabeça hoje em dia. Saem de um evento apenas a 10 minutos de um comboio partir. De um evento que ainda ficava a 5 ou 6 km da estação, sem se precaverem, sem verificarem como ir embora. À noite não há propriamente comboios de 5 em 5 minutos e nós não levamos o nosso helicóptero.

 

Conclusão: Perderam o comboio, já que como seria de esperar, toda a gente estava a vir embora ao mesmo tempo e estava imenso trânsito. 

 

Não as podíamos levar a casa - moravam a cerca de 50 km dali - mas também não somos monstros para deixarmos duas miúdas - crianças, na realidade! - giras e bem vestidas numa estação manhosa, à noite, sem ninguém. Acabamos a levá-las a outro local - andamos para trás e para a frente com elas - onde iriam esperar por uns amigos.

 

Expliquem-me onde é que estas miúdas estavam com a cabeça, para andarem a pedir boleias a desconhecidos? Para irem para um evento a 50km de casa sem saberem depois como regressar?

 

Ter 18 anos é mesmo não pensar em mais nada a não ser no momento, certo?

 

Acho que a ser assim, eu nunca tive 18 anos...

Da saga só não perco a cabeça porque está agarrada...

... Perdi o photoshop do computador!

 

Já tinha perdido coisas reais: guarda-chuvas vários, lápis, telemóvel, as chaves de casa e do carro. Acho que já perdi tudo dentro e fora de casa. O que nunca me tinha acontecido era perder algo no computador. É que se eu não sou uma pessoa extremamente organizada no ambiente físico, sou uma pessoa muito organizada no computador, tenho tudo em pastinhas e subpastinhas, tudo organizado por data e categoria e tudo e tudo e tudo.

 

Mas...

 

Quando foi para fazer a fotoreportagem do Bairro de S. Gabriel ia a abrir o photoshop e fiquei com a sensação de que o teria desinstalado sem me recordar. Não o encontrei em lado nenhum, nem na pesquisa. Estava perfeitamente convencida de que o tinha eliminado do computador. Mas eis que esta semana, aparecia o ícone numa fotografia para "abrir com..." e não é que o dito afinal ainda cá está?

 

Quem me ler assim, até pensa que sou uma croma que não percebe nada disto, mas quem me conhece sabe que os computadores para mim não têm grandes segredos mas pelos vistos têm... Ou então é o estupor que anda a brincar comigo!

 

E vocês, já perderam coisas no vosso ambiente virtual?

Dia C: Casamos a Just

Da Mula para a Just_Smile com amor

 

Podia ser uma normal Follow Friday, mas não é. A nossa Just_Smile vai casar!

 

 

Dizem que no mundo virtual é só loucos e pessoas cobardes que se escondem atrás de um computador para dizerem tudo aquilo que pensam, mas o que eu encontrei aqui foi algo muito diferente disso. Quando decidi criar o meu blog estava longe de imaginar que as pessoas iriam simplesmente saltar do ecrã para a vida real. Estava longe de imaginar que iria encontrar pessoas tão incríveis e tão bondosas como a nossa Just, que é mais que uma blogger, é uma amiga, uma lutadora, uma pessoa com um coração enorme!

 

Não, isto não são só blogs. Já demos várias provas aqui e ali que isto aqui não são só blogs e por isso uma vez mais os pássaros se juntam para prestar homenagem a uma das meninas mais queridas e simpáticas da blogosfera.

 

Sim a nossa Just_Smile à hora desta publicação deve estar a dizer o sim! Bolas já não vou a tempo de lhe dizer que ainda vai a termpo de fugir! Mas sabem que mais? Nunca lhe diria tal coisa, já tive o prazer de o conhecer a Ele e de os ver juntos e posso garantir-vos que são um casal incrível com muito amor e companheirismo. Que mais se pode desejar num casamento?

 

Cá a Mula só vos pode desejar mesmo muita felicidade!

 

Minha querida Just, bem sei que querias um casamento pequeno e uma cerimónia informal, mas a esta hora já deverás ter percebido que por mais pessoas que estejam à vossa volta quando há amor como o vosso, vocês só se vêm um ao outro e é o que verdadeiramente importa!

 

Que sejam mesmo muito felizes!

 

Um brinde aos noivos!

Se eu desse ouvidos ao Mulo...

... A esta hora estava a trabalhar no museu da cera... Provavelmente a fazer de boneco! 

 

Fui comprar uma base, mas como elas estavam todas embaladas e também não me apetecia pedir ajuda, não conseguia perceber qual seria o meu tom. Pareciam-me todas ou demasiado claras ou muito mais escuras que o meu tom e então pedi ajuda ao Mulo para que olhasse para a minha cara e para o tom da base e tentasse perceber qual seria a que mais se aproximava.

 

Mulo: Só a porcelana é que parece o teu tom!

 

Era impossível que a porcelana fosse o meu tom, é simplesmente impossível, porque eu a olhar para ela sabia bem que era muito mais clara que eu. Eu sou muito branca, bem sei, mas tenho um tom rosado o que me dá um aspeto menos branco - ao menos isso! - e lá acabei a escolher a base sozinha tendo em conta o que eu acho que sou. 

 

A base que trouxe, ligeiramente mais escura não teria sido mal, mas apesar de ser mais clara que o meu tom de pele adapta-se muito bem, e com blush e coisa e tal funciona muito bem, foi a minha sorte.

 

Agora imaginem a porcelana, que era muito mais clara do que a que trouxe!

 

Se desse ouvidos ao Mulo estaria neste momento a ser recrutada para fazer de boneco num qualquer museu de cera.

No dia em que fui ao ginásio e quase morri # TRX

A nutricionista disse-me que eu tinha de fazer mais aulas, essencialmente aulas como cycling, boby pump e trx, pois já percebeu que a coisa já começa a ser difícil com a dieta - e temo que ache que o plano de exercícios esteja a ser aldrabado aqui pela Mula.

 

A vossa Mula é obediente.

 

Na sexta-feira, feita louca do juízo fui, sem saber muito bem ao que ia, a uma aula de trx. Sabia mais ou menos no que consistia a aula, sabia que era com as fitas no tecto e na sala de musculação até já tinha feito um ou outro exercício com uma fita. O que eu não sabia é da dificuldade que é trabalhar com o peso do nosso corpo nas ditas fitas.

 

Trx ficou assim no histórico de todas as aulas que fiz, como sendo a única aula que até os alongamentos foram difíceis. Aliás o único exercício que não consegui fazer, de todo, foi um dos exercícios de alongamento. Incrível não é?

 

Saí da aula sem saber se me doíam os braços ou as pernas, toda eu era dor e suor. Mal cheguei às escadas para descer para os balneário deixei de ter dúvidas: Eram mesmo as pernas que mais me doíam. Fui agarrada às paredes qual senhora de 80 anos a tentar descer de um autocarro. Quem me visse pensava sem dúvidas que eu tinha sido atropelada por um bisonte. E tinha sido feio.

 

Até que percebi que o pior ainda estava por vir: Eu tinha levado o carro, mas como é que eu ia conseguir carregar no pedal da embraiagem? Oh céus! Não vos digo, nem vos conto! E manobrar o carro para meter na garagem? Olhem, nem sei como é que estou viva para vos escrever.

 

Cheguei a casa, bebi uma caneca de leite com cereais, enfiei-me na cama e não me lembro de mais nada.

3 anos!

desabafos 3 anos.JPG

 

Porque tristezas não pagam dívidas, enxuguemos as lágrimas que hoje é dia de festa. Hoje o blog faz 3 anos! 

 

Julgava que não duraria nem 3 meses, quanto mais 3 anos! E como tanta coisa mudou em 3 anos...

 

Ao longo destes 3 anos muita coisa aconteceu e vocês acompanharam-me desse lado: Casei-me, viajei, fiquei desempregada, arranjei um novo trabalho, emagreci, voltei a engordar, emagreci novamente. Conheci muita gente diferente, fiz novas amizades e partilhei livros. Sorri. Chorei. Revoltei-me!

 

Em 3 anos escrevi cerca de 2500 publicações que geraram mais de 25.000 comentários - excluindo os meus. Em 3 anos, 30 publicações minhas foram destacadas, uma das quais me trouxe mais de 12 mil visitas em apenas 3 dias! Obrigada Sapo, por tudo isto!

 

Em 3 anos vi muitos blogs a serem criados, outros tantos a desaparecer e tantas outras pessoas que desapareceram dos blogs sem que desaparecessem a minha vida. O blog trouxe-me os Pássaros e As Fofinhas, trouxe-me amizades com quem posso desabafar. O blog trouxe-me gente preocupada e pessoas sempre prontas a ajudar. No fundo o blog trouxe-me um pouco mais de fé na humanidade, e tantas vezes a confirmação de que este mundo já não tem salvação para o bem e para o mal.

 

O blog trouxe-me dias mais coloridos e ofereceu-me companhia, porque o meu blog trouxe-me também tantos outros blogs que me acompanham diariamente mesmo quando estou calada que nem uma mula muda.

 

Mas o meu blog não é o que eu escrevo. É o que eu escrevo com vocês desse lado!

 

Obrigada por tudo!

 

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.