Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #9 Protector de Calor Nutrifier da Loreal

Nunca fui grande fã de protetores térmicos. Reconheço-lhes importância mas nunca fui fã porque sempre tive dificuldades em encontrar produtos que não tornassem o meu cabelo ainda mais oleoso do que já é, e já tinha experimentado alguns protetores em spray e em creme e não gostava do resultado, porque ficava com o cabelo pesado e um tanto gorduroso e não gostava do cheiro. Outro problema que lhes encontrava era o facto de, se usasse com o cabelo apenas húmido e não molhado, tornava a secagem muito mais demorada, e vocês sabem, eu gosto de cuidar do cabelo mas não tenho paciência nenhuma, por isso tenho de usar produtos que me facilitem o dia-a-dia e não me empatem.

 

Este é diferente do que eu já tinha experimentado. Mas já lá vamos.

 

Antes de mais explicar-vos para que serve um protetor de calor.

 

Não é segredo para ninguém que o excesso de calor agride o cabelo, seja dos secadores, das placas de alisamento ou o sol. A poluição e o frio no exterior também não ajudam a que o cabelo se mantenha saudável e por isso o cabelo fica mais sensível, quebra, fica com pontas espigadas e sem brilho. Por isso devemos proteger o nosso cabelo para minimizar as agressões que lhe provocamos, seja ao modelar o cabelo usando um protetor térmico, seja no verão, quando expostos ao sol, ao usar um protetor solar para cabelo.

 

Comprei este protetor térmico da Loreal da gama Nutrifier em promoção na Showroomprive, que já sabem que sou fã e é lá que compro todos os meus produtos para o cabelo, uma vez que consigo melhores preços do que nas lojas físicas.

 

Este protetor de calor protege os cabelos até à temperatura de 230ºC - eu nunca passo dos 180ºC - e é essencialmente para cabelos secos. Para cabelos secos, Mula? Mas o teu cabelo não é oleoso? O meu cabelo é oleoso na raiz, bastante até, mas as pontas e o crescimento são tendencialmente secos devido à coloração constante, e então gosto de usar produtos que ajudem a hidratar esta parte do cabelo, mas daí o meu grande receio com este produto. Os protetores de calor não se usam na raiz, mas sim no comprimento, por isso se têm uma espécie de cabelo misto como o meu, podem usar sem medo.

 

Este protetor de calor é também recomendado para quem tem cabelos subnutridos, que é o meu caso, e posso dizer-vos que gostei muito do resultado. Ao contrário do que eu temia, e apesar de ter óleo de coco e glicerol o cabelo fica muito sedoso mas sem pesar. Não fica pastoso, não torna a secagem mais demorada e o que mais sobressai neste produto é o cheiro, que permanece mesmo após a secagem do cabelo. Muito bom. Quanto ao brilho não sei dizer, porque finalizo sempre o brushing com o elixir da Orofluido que deixa o cabelo muito brilhante por si só.

 

O que noto quando uso este produto é que o alisamento - ou até mesmo quando uso o babyliss - dura mais tempo, e o cabelo parece que ganha mais corpo e que fica mais forte - aqui não sei se é suposto, mas eu noto isso, o meu cabelo é muito fino e qualquer produto que lhe dê corpo sinto logo.

 

O que não gosto no produto é a embalagem. Não dá para dosear muito bem a quantidade. Como tenho o cabelo fino só preciso de usar uma pequena noz e é complicado porque ainda por cima a embalagem fica de cabeça para baixo e mal se abre sai logo uma "grande" quantidade de produto. Coloco grande entre aspas, uma vez que não sai uma enormidade de produto, mas sai mais do que eu desejaria, ao passo que se a embalagem tivesse uma espécie de doseador seria mais fácil, estou a gastar mais do que desejo e desnecessariamente.

 

A Mula aprova o Protetor Nutrifier da Loreal sem qualquer contrapartida ou apoio da marca. Experimentou, gostou, falou, lema aqui da Mula. Ou então: Experimentou, não gostou, fala na mesma, que também serve para ajudar os outros a não cometerem erros de casting.

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #8 Escova Satin Hair 7 IONTEC da Braun

A propósito do meu problema da eletricidade estática em excesso, hoje decidi falar-vos de uma escova que combate esse excesso de eletricidade estática no cabelo*.

 

Sofro deste problema desde pequena, essencialmente no cabelo, essencialmente no inverno por causa das malhas. Lembro-me de usar uma espécie de leave-in que me reduzia este excesso de eletricidade mas como o meu cabelo é muito oleoso, deixava-me o cabelo demasiado pastoso e eu não gostava. Lá na loja onde trabalhava, era um verdadeiro problema por causa dos ponchos quentes que precisava de usar para não morrer congelada nos dias mais frios, e isso significava andar com os cabelos todos no ar e ouvir constantemente aqueles estalinhos horríveis do cabelo a elevar-se.

 

Felizmente um dia ofereceram-me algo cuja existência desconhecia: a  Escova Satin Hair 7 IONTEC da Braun:

 

 

Confesso que ao início estava cética: a sério que há uma escova que remove a eletricidade estática do cabelo?... Mas sou bem educada e ensinaram-me que a cavalo dado não se olha o dente e apressei-me em experimentá-la.

 

E não é que funciona realmente?

 

Tenho-a há cerca de 2 anos e a dita é uma maravilha. Quando começamos a sentir o cabelo a levantar e com os ditos estalinhos, pegamos na escova, ligamos para ativar o jacto de iões e é ver a magia acontecer. Há alturas mais críticas que ando inclusive com a escova atrás de mim na carteira para situações de emergência. Com uma escova normal, num período mais crítico, quanto mais penteio mais o cabelo se eleva, com esta acontece totalmente o contrário e em apenas alguns segundos.

 

Só tem um senão. Cuidado com a parte de trás da escova, que creio que é por lá que passam os iões, que aquilo dá choque se nos toca nas orelhas. A primeira vez assustei-me e fiquei com medo da escova, mas agora já me habituei e não há problema. No fundo, ao tocarmos lá com o jacto ligado, estão os iões a circular e é uma forma deles dizerem "não nos incomodes, deixa-nos passar, que estamos a trabalhar", tudo bem, não gosto de empatar ninguém nesta vida.

 

A escova é também conhecida por deixar o cabelo mais liso e brilhante, mais brilhante sim, porque fica mais sedoso e bem penteado sem repuxar, mas não noto que me alise o cabelo, quanto a isso não noto diferença para uma escova dita normal, no entanto, não a uso para me pentear apenas para finalizar o penteado e retirar a eletricidade estática que possa estar acumulada e me possa vir a incomodar.

 

E vocês já conheciam esta escova? Usam?

 

 

Agora só preciso de encontrar algo que me tire a eletricidade estática exagerada das mãos e da cara!

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #7 Coloração INOA vs Farmavita

Usei durante muito tempo as tintas da Farmavita, primeiro as normais, depois as sem amoníaco, e estava bastante satisfeita, essencialmente com as sem amoníaco, que o cheiro das tintas com amoníaco roça o insuportável para pintar em casa, numa casa de banho pequena como a minha. Depois do alisamento progressivo achei que deveria de investir num outro tipo de produto para não danificar o cabelo e prolongar a durabilidade do alisamento, assim decidi mudar para a considerada coloração das colorações: coloração INOA. 

 

Mas será que a coloração INOA é realmente melhor que a coloração da Farmavita?

 

A Pluricosmética tem uma grande parte da gama INOA a metade do preço, a 7,99€, e só algumas cores, como é o caso da Carmillane que pintei da última vez é que fica a 12€. Assim a diferença de preços para as da farmavita ainda são consideráveis, visto que a embalagem de 100ml custa 9,5€ (mais 1€ e pouco do oxidante, creio) e dá para duas utilizações se o cabelo não for muito comprido, já as da INOA são de 50ml e dão apenas para uma utilização. Também na INOA o oxidante é comprado à parte, e uma embalagem de 1lt que me custou cerca de 13€ dá para imensas utilizações, uma vez que a proporção é 1:1.

 

Quando comecei a pintar INOA comecei pelos vermelhos escuros, e fui aclarando, até que passei para os ruivos e voltei a regressar agora com a Carmillane aos vermelhos. Na farmavita só pintei em tons de castanho e vermelhos, nunca fui aos ruivos.

 

(cor escolhida da última vez e a manter durante as próximas colorações)

 

 

E que tenho eu a dizer sobre a coloração INOA? Tem uma grande vantagem face às da farmavita, que é a ausência quase total de odor. Tenho a dizer que é de facto uma coloração muito boa com uma variedade enorme de tonalidades mas que tem um problema: Não seca o cabelo! Oh Mula, mas desde quando é que isso é um problema? Desde que tenho o cabelo oleoso e pintava o cabelo para que ficasse mais seco... E isso agora não acontece, por isso, sim é uma tinta bastante hidratante e não seca, de todo o cabelo. No entanto, não acho que dure mais tempo que a coloração farmavita, neste aspeto não noto qualquer diferença. Confesso que não uso o champô da INOA para lavar após a coloração, uso o meu champô normal para cabelos pintados - neste momento uso o Lumino Color - da Loreal, e admito que possa ser esse o problema.

 

Acho, ainda assim, a farmavita mais fácil de espalhar e de se entranhar nos fios, com a INOA, que é mais espessa, já por duas vezes reparei que em algumas zonas junto à raiz não coloriu, essencialmente nas zonas junto às orelhas. Tem por isso de se espalhar muito bem, cuidadosamente para não manchar, com a farmavita nunca precisei de ter estes cuidados e correu sempre tudo bem.

 

A farmavita para o meu cabelo acaba por ser melhor, na medida em que me seca mais a raiz como eu preciso para reduzir a oleosidade, e por isso assim que terminar o oxidante da INOA devo regressar à farmavita, que sendo mais barata, sendo mais fácil de aplicar e tendo a mesma durabilidade, parece ter por isso uma boa relação qualidade-preço.

 

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #6 Alisamento Progressivo

A Mula acha que deveria de ter nascido morena com cabelos lisos. Quanto ao moreno nada feito que o sol não lhe pega e tem medo de solários, contra o encaracolar do cabelo ao longo dos anos foi encontrando soluções. E chega de falar na terceira pessoa que isto parece conversa de malucos.

 

Sempre preferi ver-me com cabelos lisos, o Mulo então nem se fala, e por isso há muitos anos que aliso diariamente o cabelo com uma placa de alisamento. Inicialmente tive uma de cerâmica mas via que me danificava o cabelo, entretanto há uns anos, a mãe ofereceu-me pelo natal, uma de titânio que lhe custou os olhos da cara e que fazia maravilhas pelo meu cabelo - e por maravilhas leia-se, deixava-me o cabelo muito liso danificando-o menos que a de cerâmica. Ainda sendo de titânio a placa de alisamento não é saudável para o cabelo, ainda por cima para cabelos como o meu teimosos, que basta apanhar uma brisa e um pouco de humidade para se encaracolitar todo, e depois lá ando eu, novamente de placa em punho para o voltar a ter liso. Resultado? Pontas sempre muito espigadas.

 

A mãe que tem quase cabelo crespo de tão seco que é, e bem ondulado decidiu fazer um alisamento e correu-lhe bastante bem, então eu fui a seguir.

 

Fiz o Alisamento Progressivo Soul da Ybera que pode ser usado por pessoas que como eu pintam e têm o cabelo com madeixas porque de acordo com a marca, é 100% natural, ou seja, sem formol, desenvolvida à base de células do tronco de uma espécie rara de maça suíça chamada Uttwiler Spätlauber. Prometeram-me resultados durante 6 meses, com direito a receber nova progressiva de oferta se antes dos 6 meses o cabelo voltar a encaracolar. Até agora não tenho razões de queixa. Vamos então ver o que resulta e o que não resulta.

 

 

Lavar o cabelo e secar de imediato com o secador na vertical apenas com auxílio dos dedos.

É, sem dúvida como fica melhor. Fico com o cabelo de uma chinesa, até demasiado espalmado para o meu gosto, é que tenho franja e o cabelo fica mesmo sem volume, o que faz com que a franja fique também espalmada. Tudo isto sem escova, ou placa de alisamento, apenas com o secador bem quente e os dedos. Para a franja não ficar espalmada, tenho apenas de recorrer ao auxílio de uma escova redonda de volume para dar algum movimento à franja, já depois de o cabelo estar seco e liso.

 

Lavar o cabelo e deixar secar ao natural.

Não se pode dizer que o cabelo fica ondulado, que não fica, mas fica com jeitos. Não esquecer que eu tenho um corte bob, num cabelo relativamente curto, o que faz com que as pontas arrebitem com alguma facilidade, ou seja, ao deixar o cabelo secar naturalmente fica sem volume, mas não fica um liso escorrido, fica com algumas quebras e meio enrolado.

 

Lavar o cabelo, dar uma secagem rápida e deixar secar o restante ao natural.

Resulta muito bem. O cabelo fica com liso natural. Não um liso chinês, mas fica com um aspeto liso e com umas ondas naturais. Costumo lavá-lo à noite, dar-lhe uma secagem rápida e de manhã acordo com o cabelo praticamente liso. Dou-lhe apenas de manhã um jeito com o secador e escova, mas uma coisa super rápida.

 

 

O alisamento permitiu-me poupar muito tempo ao preparar-me, e agora é fácil lavar o cabelo de manhã e sair com ele bonito de casa, porque 10 minutos chegam para eu secar o cabelo e ficar com ele brilhante, liso e com um aspeto saudável. O fantástico é que mesmo se chover - sim, porque já apanhei chuva - ele não fica todo no ar, todo encaracolitado como acontecia quando o esticava com a prancha.

 

De salientar que tenho um cabelo fino, relativamente fácil de domar, e talvez por isso tenha resultado tão bem. O da minha mãe, que como vos disse à pouco é meio crespo, é um cabelo super seco e grosso e apesar de ficar com um aspeto bonito e liso, não fica a parecer uma chinesa como eu, mas ainda assim resultou-lhe bastante bem e ela consegue o que nunca conseguiu: esticá-lo em casa, e com isso poupou centenas de euros em cabeleireiro, tendo em conta que ela não sabia cuidar do cabelo em casa e só o lavava no cabeleireiro.

 

O que me foi explicado é que não é preciso usar champôs sem sal, como é do senso comum dizer-se, mas que para se potencializar os resultados os produtos devem ser de qualidade e serem para cabelos lisos.

 

Quem pinte o cabelo, só deve fazer o alisamento quando estiver para pintar, porque o alisamento descolora um pouco o cabelo - apesar da marca prometer que este não descoloraria, a verdade é que eu passei dos vermelhos para os cobres só com o alisamento - e depois aguardar uma semana para o pintarem. Após o alisamento tive de ficar 3 dias sem lavar o cabelo, para mim uma verdadeira eternidade.

 

O senão do alisamento é o cheiro que o cabelo ganha quando o estão a lavar. Ele seco não cheira a nada, mas quando está húmido tem um cheiro bastante mau, mas como uso o elixir da orofluido que cheira a ambar, fica resolvido, mas como sobre isto não me avisaram confesso que ao início fiquei assustada, depois fui investigar e é normal e tende a desaparecer com as lavagens.

 

As meninas pediram e a Mula falou. Espero que vos tenha ajudado.

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #4 Nude Blur Lip Base da Kiko

A grande vantagem de não ser paga para fazer publicidade, é que também posso fazer publicidade negativa quando não estou satisfeita com um determinado produto, sem que me comecem a citar clausulas de contractos e afins.

 

Pois é, e a Mula não aconselha que comprem o Nude Blur Lip Base da Kiko e sente-se enganada.

 

Numa recente visita à Kiko Milano, em que comprei um batom e uma coisa para os olhos - ah, chama-se rimmel - um moço com uma voz deveras irritante e uma energia que me desgastou ao fim de 2 minutos levou-me pelo cansaço. Após me queixar que os batons - mesmo os de longa duração - não me duravam, porque no interior do lábio o batom simplesmente desaparecia, convenceu-me a comprar este primer de lábios que, dizia ele, iria fazer maravilhas e iria fazer com que o batom durasse muito mais tempo.

 

Hmmm... não. Isso não aconteceu comigo.

 

Apesar de este primer custar 8€ - não sei se é barato se é caro, porque nunca tinha comprado - o batom tem exatamente a mesma durabilidade na Mula que agora se encontra 8€ mais pobre. Não vejo que me deixe os lábios mais lisos - como ele me disse que iria acontecer - nem fez com que o batom durasse mais tempo. Nem mais nem menos, dura o mesmo.

 

Mas, verdade seja dita, que me usaram no dia do casamento um bom primer e realmente o batom durou o dia todo - tendo retocado apenas uma vez antes de desfilar na passadeira vermelha para estar fantástica - lá isso durou, e curiosamente o batom também era da Kiko, por isso lá está, o problema não está na marca do batom está neste primer em específico.

 

E não me venham com ah e tal é porque não o soubeste aplicar porque sinceramente, por mais naba que eu seja nesta coisa das maquilhagens - que sou efetivamente - a sua aplicação não me parece ter segredo algum.

 

Melhor sorte d próxima vez.

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #3 Elixir da Orofluido

Fui loira durante quase um ano e meio. Tendo eu como cor natural o castanho escuro, enquanto loira, tinha de pintar o cabelo a cada 3 semanas para não parecer uma desalojada qualquer, a viver debaixo de uma ponte sem acesso a água e a tinta... essencialmente a tinta. Sucessivas descolorações até conseguir obter a cor - não uma cor qualquer -, não tornaram o meu cabelo muito saudável e apesar de ter um cabelo naturalmente oleoso, a verdade é que do meio para baixo o meu cabelo começou a parecer palha. E quando passavam duas semanas depois da coloração? Até adquiria a cor da palha. Era efetivamente palha. Até que decidi arriscar a comprar um bom sérum hidratante para o cabelo.

 

Pesquisei, pesquisei, pesquisei. Precisava de um sérum que me deixasse o cabelo hidratado mas sem que me deixasse o cabelo com um ar pesado e com aspeto oleoso, como acontece com a maioria dos séruns devido ao meu cabelo ser assim meio... lambido. Numa promoção da Showroomprive dei de caras com o Elixir da Orofluido e desde então tornámo-nos inseparáveis.

 

Numa fase inicial hidratava o cabelo com o elixir antes e depois da secagem, em doses quase industriais - para um sérum - e aos poucos o meu cabelo voltou a ficar sedoso e a ganhar brilho. Hoje em dia - ainda por cima agora com cabelo escuro - só preciso de uma gotinha antes de secar o cabelo e ele fica muito leve, brilhante e nada pastoso, para além de ajudar a ficar o cabelo mais liso. Com outros séruns sentia por vezes vontade de enfiar a cabeça novamente debaixo de água porque ficava com o cabelo meio melado, com este nunca tive esse sentimento, mesmo quando aplicado após a secagem. Fez, sem dúvida, maravilhas pelo meu cabelo e hoje em dia tenho um cabelo muito mais bonito e macio.

 

Ah e tal Mula mas é caro. É. É verdade que é caro. Mas a verdade é que dura muito. Tenho-o há quase 5 meses, uso-o quase todos os dias e ainda dura. É como o pequeno e poderoso da Skip, usa-se só umas gotinhas e dura e dura e dura, como as pilhas Duracell! Vale bem a pena.

 

 

[Showroomprive, Orofluido, Skip e Duracell núma só publicação? Vá Mula, continua a fazer publicidade gratuita a todas as marcas e mais algumas de borla! É por estas e por outras que nunca vais sair da cepa torta!]

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #2 Avène

Recordam-se do meu maravilhoso problema de pele que me deixa à beira de ser levada por uma carrinha dos alcoólicos anónimos que faz com que eu tenha de evitar aquecer? Pois muito bem, este problema leva-nos de imediato a dois produtos que me têm ajudado neste momento pseudocomplicado da minha vida: A água termal da Avène e o protetor solar 50+ com cor da mesma marca.

 

 

 

 

Más línguas poderiam dizer que deixei de pôr picantes e pimentas na comida e por isso ando melhor, outros ainda mais sádicos poderão dizer que como o meu regime alimentar é agora igual ao de um coelho que deve ter sido alguma coisa que suprimi da alimentação. A menos que eu seja intolerante ao glúten, isso não será verdade porque basicamente só cortei aos hidratos de carbono e às quantidades. Acho por isso que estes dois produtos combinados estão a fazer maravilhas pela minha cara.

 

Este protetor solar com um toque de cor é fantástico, porque para o dia-a-dia dispensa a colocação da base por cima, uma vez que por si só já ajuda a ter a pele mais lisa e bonita, sem parecer que saí de um sarcófago. Para além de durar o dia todo e não exigir retoques, pelo menos para mim, tendo em conta que pouco sol apanho durante o dia. Considero este protetor solar um pouco pastoso devido à minha pele ser oleosa, o que origina alguns brilhos indesejáveis - é o contra - mas já descobri que existe a versão toque seco que imagino que tenha um acabamento mate, como eu gosto.

 

 

O meu é em creme, mas de futuro irei comprar em emulsão, que segundo a dermatologista os produtos de emulsão são melhor tolerados pela pele. Nada como experimentar.

 

À noite depois de usar a água micelar para me desmaquilhar - que me deixa com a pele um pouco irritada de esfregar -, borrifo-me sempre com a água termal que ajuda bastante a reduzir a irritação. Por isso, se é água engarrafada à moda do ar de Fátima engarrafado, a verdade é que é uma água com mais qualidade que a minha da torneira e por isso bem tolerada pela minha terrível pele.

 

A verdade é que a minha pele tem andado mais calma, já não ando tão vermelha, e com isso terminaram as constantes observações: "Apanhaste um grande escaldão na cara..."; "Ei lá... andaste a beber?", "Que andaste a fazer, para estares tão vermelha?".

 

[Este texto não foi escrito em parceria com a Avène, mas admito que estou totalmente aberta à corrupção pela mesma, que os preços dos produtos estragam-me o orçamento mensal! Por isso querida Avène, se me estás eventualmente a ler... Manda lá uma caixinha de água termal e de protetores solares porque já sabem... #aqueceramulaéquenão e #geladosestãoforadequestão. Obrigada.]

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #1 Lilly Essence

Desde a altura da preparação do casamento que ando mais vaidosa, não vos sei dizer porquê, mas a verdade é que a mudança de visual não ajudou e ando pior. Desde então que começo a tornar-me numa mulher mais normal e choquem-se até gasto dinheiro em cremes e maquilhagem. O verdadeiro apocalipse do Mula's World! Anda uma mãe a criar uma filha para isto...

 

Enfim...

 

A verdade é que por isso tenho experimentado coisas que tenho gostado, outras nem tanto, e prontus a modos que vou começar a falar-vos sobre isso, vou tentar não vos maçar muito, tá? E de uma coisa podem estar certos, o blog está longe de ser um blog de beleza e bem-estar, até porque como perceberão, não percebo nada disto!

 

 

 

Estava a Mula a passear no centro comercial aqui da zona quando uma menina d'O Boticário lhe oferece uma pequena amostra do creme Lily Essence.

 

Antes de mais adorei o cheio. Como estava com as mãos um bocado secas aproveitei e usei-o nas mãos. E não é que o cheiro do estupor do creme durou o dia todo? E olhem que ao longo do dia lavo bastantes vezes as mãos. Mas lavagem após lavagem ali estava o bendito e encantador cheiro. Encantei-me - é tão fácil fazerem-me feliz - e só descansei quando o comprei.

 

O creme não é muito barato - custa cerca de 18€ - mas a verdade é que tem uma durabilidade fantástica, o nosso corpo fica tão cheiroso e hidratado o dia todo - pelo menos o corpo da Mula - e por isso vale bem o valor que pedem por ele, não desfazendo também do tamanho do boião que é  bastante grande por isso, mesmo para pessoas como eu, que descobriram agora a pólvora e se untam e besuntam como se fossem assar num forno qualquer para canibais, promete ser para durar.

 

Sou uma Mula cheirosa, nanananannaaaa, sou uma Mula cheirosa, nanananananaaa!

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.