Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Hambúrgueres Artesanais em Ermesinde é no Paletes Burger Caffé

Quem me conhece sabe que adoro hambúrgueres, talvez por isso o meu primeiro trabalho tenha sido numa hamburgueria muito famosa da nossa praça.

 

Por ser apreciadora, estou sempre em busca de novos locais onde possa saborear bons hambúrgueres, que saibam verdadeiramente a carne, de preferência com preços acessíveis, perto de casa. Assim encontrei por acaso o Paletes Burger Caffé em Ermesinde, na Rua Gil Vicente, perto do parque urbano de Ermesinde, numa altura em que irmos ao Baixa Burguer - um dos meus favoritos - estava fora de questão. Ai se eu tivesse sabido disto quando andei no ginásio lá perto!

 

64470_1201857776508933_3758387454970708670_n.jpg

 

O conceito não é novo, a decoração americana do restaurante também não - paletes, carro na parede, disco de vinil a fazer de individuais -, mas a simpatia de quem nos atende faz-nos querer regressar, aí é muito diferente de outras hamburguerias mais conhecidas, que parece que fazem tudo para despachar sem se importarem verdadeiramente por cativar o cliente, aí, se os ditos não valerem por si, então nada salva a casa.

 

paletes bar 1.jpg

 

 

Chegamos cedo. A bem dizer, cedo não é a palavra certa. Tivemos cá fora à espera que abrisse, por isso fomos logo os primeiros a entrar, ainda não era bem hora de jantar, por isso seria de prever que demoraríamos algum tempo a sermos servidos, para que tivessem tempo de aquecer os grelhadores e afins. Não aconteceu, fomos servidos bastante rápido, e ainda bem, que confesso, estávamos cá com uma fome...

 

O meu, para não variar, mais agridoce, com maçã, cebola caramelizada e queijo da serra, o dele, mais forte, com bacon, cebola frita e cheddar. Os restantes hambúrgueres da carta são bastante variados, há ingredientes para todos os gostos, e existe a facilidade de substituir ingredientes que não gostamos por outros.

 

paletes bar 2.jpg

 

Os hambúrgueres são sem dúvida, deliciosos, as batatas às rodelas caseiras, foram servidas bem quentes e bem secas. Um ponto negativo, e deixo desde já aqui a sugestão, o molho para as batatas é insuficiente tendo em conta a boa dose de batatas que servem. Fui obrigada a ir roubar molho ao Mulo, que costuma comer as batatas só no final, e ainda por cima o molho, de alho, é bem saboroso, o que ficou a saber a pouco. Provavelmente, e tendo em conta a simpatia da funcionária, se tivesse pedido mais molho teriam servido, mas acho que a dose é realmente muito reduzida. Algo que me desagradou também no restaurante é a altura das cadeiras face às mesas, é mesa tipo bar, em que a mesa e bancos são praticamente da mesma altura e torna a refeição um pouco mais desconfortável, no entanto, felizmente estes hambúrgueres são super simples de comer, apesar de não serem pequenos, o que nos permitiu facilmente pegar neles sem medo de nos sujarmos, o que acontece com outras hamburguerias mais fancy, onde por vezes são muito bons, mas acabamos a espalhar o hambúrguer pelo prato, pelo chão e pior... pela roupa. Aqui não aconteceu, comemos sem problemas.

 

Para terminar a refeição em grande, e se os hambúrgueres já eram irrepreensíveis, chegou a sobremesa, por sugestão da menina: bolo de chocolate com coco. Cinco palavras: DE-LI-CI-O-SO!

 

bolo.jpg

 

 

E quem é que daqui já foi ao Paletes Burger Caffé?

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #7 Coloração INOA vs Farmavita

Usei durante muito tempo as tintas da Farmavita, primeiro as normais, depois as sem amoníaco, e estava bastante satisfeita, essencialmente com as sem amoníaco, que o cheiro das tintas com amoníaco roça o insuportável para pintar em casa, numa casa de banho pequena como a minha. Depois do alisamento progressivo achei que deveria de investir num outro tipo de produto para não danificar o cabelo e prolongar a durabilidade do alisamento, assim decidi mudar para a considerada coloração das colorações: coloração INOA. 

 

Mas será que a coloração INOA é realmente melhor que a coloração da Farmavita?

 

A Pluricosmética tem uma grande parte da gama INOA a metade do preço, a 7,99€, e só algumas cores, como é o caso da Carmillane que pintei da última vez é que fica a 12€. Assim a diferença de preços para as da farmavita ainda são consideráveis, visto que a embalagem de 100ml custa 9,5€ (mais 1€ e pouco do oxidante, creio) e dá para duas utilizações se o cabelo não for muito comprido, já as da INOA são de 50ml e dão apenas para uma utilização. Também na INOA o oxidante é comprado à parte, e uma embalagem de 1lt que me custou cerca de 13€ dá para imensas utilizações, uma vez que a proporção é 1:1.

 

Quando comecei a pintar INOA comecei pelos vermelhos escuros, e fui aclarando, até que passei para os ruivos e voltei a regressar agora com a Carmillane aos vermelhos. Na farmavita só pintei em tons de castanho e vermelhos, nunca fui aos ruivos.

 

(cor escolhida da última vez e a manter durante as próximas colorações)

 

 

E que tenho eu a dizer sobre a coloração INOA? Tem uma grande vantagem face às da farmavita, que é a ausência quase total de odor. Tenho a dizer que é de facto uma coloração muito boa com uma variedade enorme de tonalidades mas que tem um problema: Não seca o cabelo! Oh Mula, mas desde quando é que isso é um problema? Desde que tenho o cabelo oleoso e pintava o cabelo para que ficasse mais seco... E isso agora não acontece, por isso, sim é uma tinta bastante hidratante e não seca, de todo o cabelo. No entanto, não acho que dure mais tempo que a coloração farmavita, neste aspeto não noto qualquer diferença. Confesso que não uso o champô da INOA para lavar após a coloração, uso o meu champô normal para cabelos pintados - neste momento uso o Lumino Color - da Loreal, e admito que possa ser esse o problema.

 

Acho, ainda assim, a farmavita mais fácil de espalhar e de se entranhar nos fios, com a INOA, que é mais espessa, já por duas vezes reparei que em algumas zonas junto à raiz não coloriu, essencialmente nas zonas junto às orelhas. Tem por isso de se espalhar muito bem, cuidadosamente para não manchar, com a farmavita nunca precisei de ter estes cuidados e correu sempre tudo bem.

 

A farmavita para o meu cabelo acaba por ser melhor, na medida em que me seca mais a raiz como eu preciso para reduzir a oleosidade, e por isso assim que terminar o oxidante da INOA devo regressar à farmavita, que sendo mais barata, sendo mais fácil de aplicar e tendo a mesma durabilidade, parece ter por isso uma boa relação qualidade-preço.

 

Procuram sushi bom, a bom preço? O restaurante Arco-Iris em Matosinhos e e Home Sweet Sushi no Porto, têm!

O primeiro contacto que tive com sushi a sério, foi quando estive de férias no Luxemburgo. Aí conheci o sushi da cadeia Sushi Shop. Escusado será dizer que foi o melhor sushi que já comi em toda a minha vida! Não é barato, mas é delicioso. Carreguem ali em Sushi Shop e deliciem-se com as iguarias que eles produzem! Já tinha provado uma vez em Londres, mas foi só mesmo isso, uma prova, ainda que tenha sido paixão à primeira degustação.

 

Desde essas férias que me empenhei em descobrir onde poderia comprar sushi aqui no Porto e de preferência sem deixar o meu ordenado, o meu subsídio de férias e o meu subsídio de Natal no restaurante. Sim, que isto de sushi bonito aqui no Porto só não nos custa os olhos da cara porque isso seria crime.

 

Após algumas tentativas falhadas, encontrei um que me satisfaz perfeitamente a gula e tem preços bem baratinhos: O Restaurante Arco-Íris, que se situa na Rua de Brito Capelo em Matosinhos. Nunca comi no restaurante, pelo que sei os preços são diferentes e os menus também, tenho apenas experiência do serviço de take-away. Em take-away no Arco-Íris compramos uma caixa de 5€ e trazemos uma caixa cheia, ou seja, cada caixa trás entre 15 a 20 peças, depende do tamanho das peças. O peixe é muito fresco, vemos a ser confecionado e a dose de arroz e peixe é bem equilibrada. O único senão é a falta de compreensão do que trás cada caixa na hora de pedir. Têm sobre o balcão as fotografias das caixas e basicamente escolhemos as caixas que os nossos olhos pedirem - que isto já se sabe, que os olhos também comem. Eu cá já tenho as minhas caixas favoritas apontes para nunca errar, porque já pedi outras caixas que não apreciei tanto, não sou nada fã dos mix de fruta nem de niguiris, por exemplo. As minhas caixas têm de ter fritos de todas as maneiras e feitios, hot filadéphia, e hosomakis de salmão. São estes os meus rolinhos de peixe favoritos. E eles têm isso tudo por isso para mim é-me mais do que suficiente. Acima de tudo o que importa reter é que nunca um sushi do Arco-Íris me fez mal.

 

Arco-Iris.jpg

 

Quando às vezes estou no trabalho e me apetece sushi costumo dar um pulinho à Noori do Centro Comercial do Via Catarina, mas os menus são demasiado caros para as peças que trazem: 5€ 8 peças, e não é nada de especial para além de terem pouca variedade. Assim só recorro ao Noori quando estou mesmo com muitos desejos, qual ressacada a precisar da dose.

 

Semana passada estava com apetites, mas estava a trabalhar sozinha e não podia sair, e não tinha trazido almoço. Lembrei-me que em tempos me tinha cruzado com publicidade a um restaurante que fazia entregas gratuitas na cidade do Porto e assim experimentei o serviço de entregas do Home Sweet Sushi que se localiza na Rua Francois Guichard, perto do estádio do Bessa. Liguei para lá para pedir, o atendimento foi 5* muito simpáticos informaram-me quais os horários disponíveis para entrega, pedi e no horário solicitado cá estava o meu almoço, ainda quentinho - não é uma piada, está bem? Eu pedi fritos! - e preparado com todo o cuidado. Verdadeiramente um sushi fotográfico. Os preços são um bocadinho superiores aos que o take-away do Arco-Íris me habituou no entanto, e ainda assim, considero que tem uma boa relação qualidade-preço. Pedi uma caixa com um mix de 14 peças + 5 peças quentes e paguei 12€. Tanto quanto percebi essas peças podem variar consoante o dia e por isso diariamente os mix's são diferentes. Foi o que eu percebi já que eles se referem aos menus como "menus do dia". O peixe vinha fresco, a dose arroz e peixe estava bastante equilibrado e as peças eram muito saborosas. O único senão é que não devem estar preparados para entregar em lojas, como era o meu caso, e não veio nenhum copinho para eu poder verter o molho de soja, pelo que tive que regar o molho de soja pelas peças de sushi e não mergulhar o sushi na soja. Mas pormenores à parte, gostei muito e será para repetir.

 

HSS.jpg

 

Por isso já sabem, é possível comerem bom sushi - disse bom, não disse divinal, perfeito e majestoso, por isso nivelem as expectativas - a muito bom preço.

 

Alguém já experimentou algum destes restaurantes? Qual é a vossa opinião?

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #6 Alisamento Progressivo

A Mula acha que deveria de ter nascido morena com cabelos lisos. Quanto ao moreno nada feito que o sol não lhe pega e tem medo de solários, contra o encaracolar do cabelo ao longo dos anos foi encontrando soluções. E chega de falar na terceira pessoa que isto parece conversa de malucos.

 

Sempre preferi ver-me com cabelos lisos, o Mulo então nem se fala, e por isso há muitos anos que aliso diariamente o cabelo com uma placa de alisamento. Inicialmente tive uma de cerâmica mas via que me danificava o cabelo, entretanto há uns anos, a mãe ofereceu-me pelo natal, uma de titânio que lhe custou os olhos da cara e que fazia maravilhas pelo meu cabelo - e por maravilhas leia-se, deixava-me o cabelo muito liso danificando-o menos que a de cerâmica. Ainda sendo de titânio a placa de alisamento não é saudável para o cabelo, ainda por cima para cabelos como o meu teimosos, que basta apanhar uma brisa e um pouco de humidade para se encaracolitar todo, e depois lá ando eu, novamente de placa em punho para o voltar a ter liso. Resultado? Pontas sempre muito espigadas.

 

A mãe que tem quase cabelo crespo de tão seco que é, e bem ondulado decidiu fazer um alisamento e correu-lhe bastante bem, então eu fui a seguir.

 

Fiz o Alisamento Progressivo Soul da Ybera que pode ser usado por pessoas que como eu pintam e têm o cabelo com madeixas porque de acordo com a marca, é 100% natural, ou seja, sem formol, desenvolvida à base de células do tronco de uma espécie rara de maça suíça chamada Uttwiler Spätlauber. Prometeram-me resultados durante 6 meses, com direito a receber nova progressiva de oferta se antes dos 6 meses o cabelo voltar a encaracolar. Até agora não tenho razões de queixa. Vamos então ver o que resulta e o que não resulta.

 

 

Lavar o cabelo e secar de imediato com o secador na vertical apenas com auxílio dos dedos.

É, sem dúvida como fica melhor. Fico com o cabelo de uma chinesa, até demasiado espalmado para o meu gosto, é que tenho franja e o cabelo fica mesmo sem volume, o que faz com que a franja fique também espalmada. Tudo isto sem escova, ou placa de alisamento, apenas com o secador bem quente e os dedos. Para a franja não ficar espalmada, tenho apenas de recorrer ao auxílio de uma escova redonda de volume para dar algum movimento à franja, já depois de o cabelo estar seco e liso.

 

Lavar o cabelo e deixar secar ao natural.

Não se pode dizer que o cabelo fica ondulado, que não fica, mas fica com jeitos. Não esquecer que eu tenho um corte bob, num cabelo relativamente curto, o que faz com que as pontas arrebitem com alguma facilidade, ou seja, ao deixar o cabelo secar naturalmente fica sem volume, mas não fica um liso escorrido, fica com algumas quebras e meio enrolado.

 

Lavar o cabelo, dar uma secagem rápida e deixar secar o restante ao natural.

Resulta muito bem. O cabelo fica com liso natural. Não um liso chinês, mas fica com um aspeto liso e com umas ondas naturais. Costumo lavá-lo à noite, dar-lhe uma secagem rápida e de manhã acordo com o cabelo praticamente liso. Dou-lhe apenas de manhã um jeito com o secador e escova, mas uma coisa super rápida.

 

 

O alisamento permitiu-me poupar muito tempo ao preparar-me, e agora é fácil lavar o cabelo de manhã e sair com ele bonito de casa, porque 10 minutos chegam para eu secar o cabelo e ficar com ele brilhante, liso e com um aspeto saudável. O fantástico é que mesmo se chover - sim, porque já apanhei chuva - ele não fica todo no ar, todo encaracolitado como acontecia quando o esticava com a prancha.

 

De salientar que tenho um cabelo fino, relativamente fácil de domar, e talvez por isso tenha resultado tão bem. O da minha mãe, que como vos disse à pouco é meio crespo, é um cabelo super seco e grosso e apesar de ficar com um aspeto bonito e liso, não fica a parecer uma chinesa como eu, mas ainda assim resultou-lhe bastante bem e ela consegue o que nunca conseguiu: esticá-lo em casa, e com isso poupou centenas de euros em cabeleireiro, tendo em conta que ela não sabia cuidar do cabelo em casa e só o lavava no cabeleireiro.

 

O que me foi explicado é que não é preciso usar champôs sem sal, como é do senso comum dizer-se, mas que para se potencializar os resultados os produtos devem ser de qualidade e serem para cabelos lisos.

 

Quem pinte o cabelo, só deve fazer o alisamento quando estiver para pintar, porque o alisamento descolora um pouco o cabelo - apesar da marca prometer que este não descoloraria, a verdade é que eu passei dos vermelhos para os cobres só com o alisamento - e depois aguardar uma semana para o pintarem. Após o alisamento tive de ficar 3 dias sem lavar o cabelo, para mim uma verdadeira eternidade.

 

O senão do alisamento é o cheiro que o cabelo ganha quando o estão a lavar. Ele seco não cheira a nada, mas quando está húmido tem um cheiro bastante mau, mas como uso o elixir da orofluido que cheira a ambar, fica resolvido, mas como sobre isto não me avisaram confesso que ao início fiquei assustada, depois fui investigar e é normal e tende a desaparecer com as lavagens.

 

As meninas pediram e a Mula falou. Espero que vos tenha ajudado.

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #4 Nude Blur Lip Base da Kiko

A grande vantagem de não ser paga para fazer publicidade, é que também posso fazer publicidade negativa quando não estou satisfeita com um determinado produto, sem que me comecem a citar clausulas de contractos e afins.

 

Pois é, e a Mula não aconselha que comprem o Nude Blur Lip Base da Kiko e sente-se enganada.

 

Numa recente visita à Kiko Milano, em que comprei um batom e uma coisa para os olhos - ah, chama-se rimmel - um moço com uma voz deveras irritante e uma energia que me desgastou ao fim de 2 minutos levou-me pelo cansaço. Após me queixar que os batons - mesmo os de longa duração - não me duravam, porque no interior do lábio o batom simplesmente desaparecia, convenceu-me a comprar este primer de lábios que, dizia ele, iria fazer maravilhas e iria fazer com que o batom durasse muito mais tempo.

 

Hmmm... não. Isso não aconteceu comigo.

 

Apesar de este primer custar 8€ - não sei se é barato se é caro, porque nunca tinha comprado - o batom tem exatamente a mesma durabilidade na Mula que agora se encontra 8€ mais pobre. Não vejo que me deixe os lábios mais lisos - como ele me disse que iria acontecer - nem fez com que o batom durasse mais tempo. Nem mais nem menos, dura o mesmo.

 

Mas, verdade seja dita, que me usaram no dia do casamento um bom primer e realmente o batom durou o dia todo - tendo retocado apenas uma vez antes de desfilar na passadeira vermelha para estar fantástica - lá isso durou, e curiosamente o batom também era da Kiko, por isso lá está, o problema não está na marca do batom está neste primer em específico.

 

E não me venham com ah e tal é porque não o soubeste aplicar porque sinceramente, por mais naba que eu seja nesta coisa das maquilhagens - que sou efetivamente - a sua aplicação não me parece ter segredo algum.

 

Melhor sorte d próxima vez.

A Mula foi à Magnum Store...

...E ficou com uma opinião um pouco diferente do que lhe venderam. 

 

1471285373827.jpg

 

O gelado é bom mas não impressiona. Magnum é magnum e magnum é sempre bom mas não valeu a hora e pouco que estive na fila à espera para ser atendida. Achei o gelado demasiado pesado, o chocolate demasiado duro e borrachoso e os topings apesar de bastante variados não eram assim tão especiais. O meu gelado era completamente diferente do gelado do Mulo, e o sabor era basicamente o mesmo. Como disse o Mulo: "isto não é uma gelataria, é uma loja de toppings". Porque não poder escolher um recheio diferente? Ou uma cobertura para além das banais? Fica a dica. 

 

Quanto ao preço, acho bastante acessível. Considero os 3€ um preço justo, tendo em conta que os de edição limitada custam 2€ e são mais pequenos.

 

O conceito é bastante interessante, o espaço bonito e bem decorado, mas bastante abafado, o ar condicionado não estava a funcionar devidamente, e estar tanto tempo à espera numa loja tão quente é desagradável. O grande ponto positivo vai para os funcionários: Muito atenciosos e sempre com um sorriso no rosto.

 

Gostei, mas não o suficiente para ficar numa fila à espera.

 

Como diz o Mulo: Venha a Corneto Store! 

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #3 Elixir da Orofluido

Fui loira durante quase um ano e meio. Tendo eu como cor natural o castanho escuro, enquanto loira, tinha de pintar o cabelo a cada 3 semanas para não parecer uma desalojada qualquer, a viver debaixo de uma ponte sem acesso a água e a tinta... essencialmente a tinta. Sucessivas descolorações até conseguir obter a cor - não uma cor qualquer -, não tornaram o meu cabelo muito saudável e apesar de ter um cabelo naturalmente oleoso, a verdade é que do meio para baixo o meu cabelo começou a parecer palha. E quando passavam duas semanas depois da coloração? Até adquiria a cor da palha. Era efetivamente palha. Até que decidi arriscar a comprar um bom sérum hidratante para o cabelo.

 

Pesquisei, pesquisei, pesquisei. Precisava de um sérum que me deixasse o cabelo hidratado mas sem que me deixasse o cabelo com um ar pesado e com aspeto oleoso, como acontece com a maioria dos séruns devido ao meu cabelo ser assim meio... lambido. Numa promoção da Showroomprive dei de caras com o Elixir da Orofluido e desde então tornámo-nos inseparáveis.

 

Numa fase inicial hidratava o cabelo com o elixir antes e depois da secagem, em doses quase industriais - para um sérum - e aos poucos o meu cabelo voltou a ficar sedoso e a ganhar brilho. Hoje em dia - ainda por cima agora com cabelo escuro - só preciso de uma gotinha antes de secar o cabelo e ele fica muito leve, brilhante e nada pastoso, para além de ajudar a ficar o cabelo mais liso. Com outros séruns sentia por vezes vontade de enfiar a cabeça novamente debaixo de água porque ficava com o cabelo meio melado, com este nunca tive esse sentimento, mesmo quando aplicado após a secagem. Fez, sem dúvida, maravilhas pelo meu cabelo e hoje em dia tenho um cabelo muito mais bonito e macio.

 

Ah e tal Mula mas é caro. É. É verdade que é caro. Mas a verdade é que dura muito. Tenho-o há quase 5 meses, uso-o quase todos os dias e ainda dura. É como o pequeno e poderoso da Skip, usa-se só umas gotinhas e dura e dura e dura, como as pilhas Duracell! Vale bem a pena.

 

 

[Showroomprive, Orofluido, Skip e Duracell núma só publicação? Vá Mula, continua a fazer publicidade gratuita a todas as marcas e mais algumas de borla! É por estas e por outras que nunca vais sair da cepa torta!]

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #2 Avène

Recordam-se do meu maravilhoso problema de pele que me deixa à beira de ser levada por uma carrinha dos alcoólicos anónimos que faz com que eu tenha de evitar aquecer? Pois muito bem, este problema leva-nos de imediato a dois produtos que me têm ajudado neste momento pseudocomplicado da minha vida: A água termal da Avène e o protetor solar 50+ com cor da mesma marca.

 

 

 

 

Más línguas poderiam dizer que deixei de pôr picantes e pimentas na comida e por isso ando melhor, outros ainda mais sádicos poderão dizer que como o meu regime alimentar é agora igual ao de um coelho que deve ter sido alguma coisa que suprimi da alimentação. A menos que eu seja intolerante ao glúten, isso não será verdade porque basicamente só cortei aos hidratos de carbono e às quantidades. Acho por isso que estes dois produtos combinados estão a fazer maravilhas pela minha cara.

 

Este protetor solar com um toque de cor é fantástico, porque para o dia-a-dia dispensa a colocação da base por cima, uma vez que por si só já ajuda a ter a pele mais lisa e bonita, sem parecer que saí de um sarcófago. Para além de durar o dia todo e não exigir retoques, pelo menos para mim, tendo em conta que pouco sol apanho durante o dia. Considero este protetor solar um pouco pastoso devido à minha pele ser oleosa, o que origina alguns brilhos indesejáveis - é o contra - mas já descobri que existe a versão toque seco que imagino que tenha um acabamento mate, como eu gosto.

 

 

O meu é em creme, mas de futuro irei comprar em emulsão, que segundo a dermatologista os produtos de emulsão são melhor tolerados pela pele. Nada como experimentar.

 

À noite depois de usar a água micelar para me desmaquilhar - que me deixa com a pele um pouco irritada de esfregar -, borrifo-me sempre com a água termal que ajuda bastante a reduzir a irritação. Por isso, se é água engarrafada à moda do ar de Fátima engarrafado, a verdade é que é uma água com mais qualidade que a minha da torneira e por isso bem tolerada pela minha terrível pele.

 

A verdade é que a minha pele tem andado mais calma, já não ando tão vermelha, e com isso terminaram as constantes observações: "Apanhaste um grande escaldão na cara..."; "Ei lá... andaste a beber?", "Que andaste a fazer, para estares tão vermelha?".

 

[Este texto não foi escrito em parceria com a Avène, mas admito que estou totalmente aberta à corrupção pela mesma, que os preços dos produtos estragam-me o orçamento mensal! Por isso querida Avène, se me estás eventualmente a ler... Manda lá uma caixinha de água termal e de protetores solares porque já sabem... #aqueceramulaéquenão e #geladosestãoforadequestão. Obrigada.]

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #1 Lilly Essence

Desde a altura da preparação do casamento que ando mais vaidosa, não vos sei dizer porquê, mas a verdade é que a mudança de visual não ajudou e ando pior. Desde então que começo a tornar-me numa mulher mais normal e choquem-se até gasto dinheiro em cremes e maquilhagem. O verdadeiro apocalipse do Mula's World! Anda uma mãe a criar uma filha para isto...

 

Enfim...

 

A verdade é que por isso tenho experimentado coisas que tenho gostado, outras nem tanto, e prontus a modos que vou começar a falar-vos sobre isso, vou tentar não vos maçar muito, tá? E de uma coisa podem estar certos, o blog está longe de ser um blog de beleza e bem-estar, até porque como perceberão, não percebo nada disto!

 

 

 

Estava a Mula a passear no centro comercial aqui da zona quando uma menina d'O Boticário lhe oferece uma pequena amostra do creme Lily Essence.

 

Antes de mais adorei o cheio. Como estava com as mãos um bocado secas aproveitei e usei-o nas mãos. E não é que o cheiro do estupor do creme durou o dia todo? E olhem que ao longo do dia lavo bastantes vezes as mãos. Mas lavagem após lavagem ali estava o bendito e encantador cheiro. Encantei-me - é tão fácil fazerem-me feliz - e só descansei quando o comprei.

 

O creme não é muito barato - custa cerca de 18€ - mas a verdade é que tem uma durabilidade fantástica, o nosso corpo fica tão cheiroso e hidratado o dia todo - pelo menos o corpo da Mula - e por isso vale bem o valor que pedem por ele, não desfazendo também do tamanho do boião que é  bastante grande por isso, mesmo para pessoas como eu, que descobriram agora a pólvora e se untam e besuntam como se fossem assar num forno qualquer para canibais, promete ser para durar.

 

Sou uma Mula cheirosa, nanananannaaaa, sou uma Mula cheirosa, nanananananaaa!

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.