Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Blogs para principiantes - Dicas para novos bloggers

Blogs para principantes.jpg

 

E para assinalar um ano de blog, acho que posso dar dicas a novos bloggers, assim do alto da minha sabedoria e categoria (not). Claro que continuo a ser a mesma blogger que nada sabe, do início, mas, um ano é qualquer coisa. Num ano errei muito mas também aprendi muito. Num ano vi muita coisa (e li ainda mais), muitas guerras, muitos textos bem escritos, e outros nem tanto. Vi muitos blogs que vieram e foram e muita gente que desapareceu sem deixar rasto. Num ano segui muitos blogs, e deixei de seguir outros tantos, porque as pessoas mudam, os meus gostos mudam, os gostos dos outros mudam e as compreensões acerca dos blogs mudam. Continuo a não perceber nada de blogs, e muita coisa continua a ultrapassar-me e a causar-me urticária. Mas, acho que após um ano de blog já me é permitido emitir uma opinião sobre o que eu acho disto dos blogs - como eu acho que deveriam de ser, na esperança de ajudar aqueles que acabam de chegar à blogosfera, inocentes, com alguns conselhos úteis (ou não) sobre como ter um blog com o mínimo de interesse para o público. No fundo, mais do que dicas, é só uma opinião, meramente uma opinião, mas que acho será uma opinião que poderá ajudar alguém a não cometer alguns erros, que eu (apenas eu) acho desnecessários.

 

 

1. Definir um propósito

Antes de se criar um blog, deve-se tentar perceber o motivo de se querer um blog e como tal, é importante definir que tipo de blog pretendem. Não se deve ter um blog só porque está na moda e até é giro. Deve-se querer ter um blog, porque este deve dar acima de tudo satisfação pessoal. É para divulgar algum conhecimento que possuem? É um blog de moda? Ou é antes um de culinária? É um blog com as vossas parvoíces do dia-a-dia e por isso um blog generalista e pessoal? Ou é apenas para comentarem questões da actualidade? Não que não possam misturar alhos com bugalhos, mas pode ajudar a que os vossos seguidores compreendam o que vêm cá fazer e perceberem - ou não - se gostam - ou não - do que vocês escrevem. Por exemplo: Se calhar, se uma blogger que se define como uma blogger de moda de repente publicar um texto sobre uma queda sua numa sarjeta, se calhar isso é muito pouco fashion e ficará estranho, mas isto sou eu, porque quem a segue não é isso que quer ver ou ler, quer ver as tendências, quer saber que cremes usar e que roupa vestir no baptizado do filho da melhor amiga. No entanto, acho que um blog pode ser variado, sem prejuízo para quem o escreve ou lê, aliás o meu é do mais variado que há - tem contos, viagens, parvoíces, música - mas acho que devem existir determinada linhas condutoras, caso contrário pode ficar confuso.

 

Devem escrever porque vocês gostam, sobre um tema que vos dê prazer, até porque só quando vocês gostam do que escrevem é que os outros poderão também gostar. Sejam acima de tudo verdadeiros, não tentem copiar ninguém, ainda que possam admirar A, B ou C. É muito fácil hoje em dia detectar plágios, não caiam nesse erro, se não têm inspiração não escrevam, o silêncio é melhor que copiar os outros. Cada blog deve ser único e só pode ter algum lugar neste espaço se for verdadeiro. A diferença é que poderá marcar presença.

 

 

 

 

 

2. A aparência do blog

É consensual por entre diversos bloggers - ou pessoas que têm um blog, que para mim é muito mais sonante - que o aspecto importa. A verdade é que os olhos também comem e até podem ter o melhor conteúdo do mundo, mas se o escreverem em fundo preto com letra vermelho vivo, os meus olhos não vão gostar e o mais provável é que, como eu, vários leitores vão fechar a janela sem ler o que escreveram. Por isso tenham um blog com um aspecto simples, bonito, sem grandes artefactos, e acima de tudo que vos defina. Evitem colocar música - só um conselho, é bastante irritante - e lembrem-se que menos é mais. Criem um avatar - mesmo que seja uma foto vossa - que defina o blog e que vos defina enquanto blogger. Se estiverem sempre a mudar de avatar é mais complicado que as pessoas associem os comentários ao blog, e vocês certamente não querem que estejam sempre a perguntar "mas quem é este/esta?". Devem também ter uma escrita cuidada, e evitar erros ortográficos. Ninguém vos pede para serem exímios a escrever, até porque é um blog, não um livro, mas passar aquele "ABC" que jaz na barra de ferramentas do blog, nunca matou ninguém, usem e abusem do corrector ortográfico.

 

keep_it_simple_.jpg

 

 

 

3. Moderem as expectativas

Não foi o meu caso com este blog, porque não foi o primeiro blog que tive, mas é muito normal quando se cria um blog, achar que vamos, logo, imediatamente, ter imensos leitores, várias marcas a contactarem-nos para falarmos sobre elas e que vamos ser super populares e as próximas pipocas. Mas na realidade, quando vocês criam um blog ninguém sabe que vocês existem, por isso o ideal é irem com calma e não acharem que isso vai acontecer assim de repente, porque não vai. Por isso, voltamos ao ponto um, sejam verdadeiros, tenham um blog porque gostam, porque vos dá prazer e não porque querem algum tipo de protagonismo ou atenção, porque provavelmente nos primeiros meses vocês vão estar literalmente a falar para o boneco, e se não o fizerem por gosto, então esqueçam, não vos dou nem meio ano para abandonarem o espaço.

 

Se estiverem a criar o vosso blog na plataforma do Sapo, verão que existem várias formas de terem o blog destacado: Através dos destaques, dos mais lidos, dos mais comentados, e afins. Outro conselho: esqueçam isso. Não se foquem nesse tipo de destaques porque como terão oportunidade de verificar, um destaque, um post mais lido e até um dos mais comentados, nada diz acerca da qualidade do conteúdo do dito. Verão bons e maus post's destacados, verão bons e maus post's nos mais lidos, e por aí em diante. Não adianta viverem agoniados e obcecados por esse tipo de exposição. Voltemos ao ponto número um, para me repetir mais um pouco: sejam verdadeiros, escrevam algo que vocês gostem e que vos faça sentido, não aquilo que poderá ter maior ou pior impacto nos outros. Escrevam para vocês, não para os outros, acreditem, o resto vem por acréscimo e com tempo.

 

 

 

 

 

4. Assumam um compromisso

Não dedicarão mais tempo ao blog do que podem efectivamente dedicar, mas ninguém seguirá um blog que tem uma publicação a cada dois meses. A verdade é que quem segue um blog, gosta de publicações regulares - notem que falo em regulares, não necessariamente diárias. Os leitores de blogs gostam de um blog que dê para acompanhar quase diariamente, por isso se não estão na disposição de escrever no blog com alguma frequência o que irá acontecer é que não terão muitos seguidores, no entanto, como eu digo no primeiro ponto, o blog deve ser criado com o propósito de alimentar um prazer nosso, e assim sendo, mesmo que não tenham tempo, criem na mesma, só que depois não estranhem que pouca gente o siga, mas ao menos enquanto escrevem esquecem o dia-a-dia que por vezes é tão malvado. Agora atentem no seguinte conselho muito importante: Não escrevam um pedido de desculpas a cada longo interregno, porque o que provavelmente acontecerá é esse pedido de desculpas ser precedido novamente de uma enorme ausência, e passamos a vida nisso. Não é agradável.

 

 

 

5. Enquanto leitor mantenha-se fiel aos seus gostos

Não devem seguir um blog só porque alguém vos começou a seguir, devem seguir um blog porque gostam, porque vos diz alguma coisa e não apenas porque a outra pessoa vos comenta e vos segue. Da mesma maneira como não devem seguir ou comentar um blog com o propósito que o façam convosco. Sejam genuínos e fieis aos vossos gostos. Pedir às pessoas que visitem os vossos blogs, ou que vos comentem é só... Irritante e aborrecido. As pessoas devem comentar um blog quando têm alguma coisa para dizer, devem seguir um autor quando se identificam com o que ele escreve. Só e apenas por isso. No entanto, é inegável que nos damos a conhecer ao outro comentando-o, seguindo-o, por isso ao comentarem num outro local podem estar, inevitavelmente, a atrair pessoas ao vosso, mas deixem que isso aconteça naturalmente, não se pressionem, porque normalmente, e pela minha experiência, só tem o efeito contrário.

 

 

 

6. Protejam a vossa privacidade

Essencialmente se forem muito opinativos e que possam criar alguns inimigos por estes lados. E acreditem que vão criar os vossos, toda a gente os cria, mesmo quando não fazem nada para isso, eles aparecem vindos do nada, sem razão aparente. Como se costuma dizer Haters Gonna Hate e é isso que eles fazem. E não se esqueçam de um pormenor: este mundo é muito pequeno. Por isso devem preservar-se minimamente para não terem surpresas desagradáveis. Desta forma evitem contar situações muito específicas se a ideia é ofender alguém que vos é próximo, porque é muito fácil revermo-nos nas situações e identificar as pessoas, mesmo quando se é anónimo. A verdade é que há muitos poucos anónimos na internet. O que nós tentamos esconder, o google e os seus amigos tratam de trazer à tona. Por isso evitem contar segredos demasiado profundos a vosso respeito, a menos que não se importem que isso um dia possa chegar aos ouvidos dos vossos familiares e amigos, e não quer dizer que chegue obrigatoriamente, se forem anónimos provavelmente nunca chegará mas... just in case, não arranjem lenha para se queimarem.

 

 

 

 

Posto isto, meus fofuchos. Bem-vindos à maravilhosa blogosfera, e aceitem só mais um conselho: Escrevam sobre o que vos apetecer e vos der na telha, digam as tolices que quiserem que no fundo, no fundo, é só um blog.

85 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.