Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Então Mula e como foi casar?

Agora que voltei, acho que já vos posso contar como correu o casório. Assim muito resumidamente... Soube a pouco, por mim vivia tudo de novo, mas de forma mais demorada, em slow motion para aproveitar tudo ao pormenor.

 

Agora assim de modo nada resumido... Cá vai:

 

IMG_20160619_151336.jpg

(O meu bouquet com as minhas flores favoritas: Girassóis e Gerberas)

 

O dia amanheceu lindo, e apesar de não ter conseguido dormir a adrenalina permitiu-me manter bem desperta. Tudo aconteceu muito rápido: A maquilhagem, o penteado, a preparação, as múltiplas sessões fotográficas, a chegada ao altar, tudo a correr, aliás, há inclusive convidados que dizem não me ter visto a entrar de tão rápido que eu ia. Houve até quem pedisse bis. A melhor descrição foi "parecias um foguete!" A verdade é que estava tão nervosa, mas tão nervosa, que eu só queria chegar rápido ao altar, estava atrasada, a música já estava a tocar, eu queria chegar antes de tropeçar, antes de começar a chorar, antes de ver as caras das pessoas que me aguardavam - sim, eu confesso, eu não vi ninguém para além do noivo, foi como se de repente tivesse entrado num túnel. Entrei ao som de Para Sempre dos Xutos e Pontapés. Ele notava-se um pouco impaciente e muito nervoso, porque casamento que é casamento tem de ter contratempos, eu apanhei um acidente grande na VCI e cheguei atrasada, ainda que a tradição diga que a noiva deva chegar atrasada a verdade é que não estava nos meus planos, mas aconteceu. Quando lhe peguei na mão senti que tremia. Fiquei feliz por isso! [Sou mesmo má!]

 

Mula 4.jpg

(A Mula, a mãe da Mula e o vestido da Mula)

 

O segundo contratempo foi com os meus padrinhos, disseram-me que os meus padrinhos já estavam presentes, mas na realidade não estavam, ainda estavam a estacionar e chegaram depois de mim, foi uma risota "há casamentos em que se espera pela noiva... aqui espera-se pela noiva e pelos padrinhos, ao menos assim é sempre diferente" gracejou a conservadora. Eu obviamente com os nervos não conseguia parar de de rir. A cerimónia decorreu de forma tranquila, ainda que acho que a conservadora não nos queria casar: "Conhecem alguma coisa que impeça este casamento?" (*silêncio) "aí atrás estão a ouvir-me? Ninguém tem nada que impeça este casamento?!"  e o pessoal só se ria... A cerimónia, tal como prometido terminou ao som dos Pássaros do Sul da Mafalda Veiga. [Acho que vos vi passarinhos, a sorrir lá ao fundo!] 

 

Mula 2.jpg

(A ser preparada para a cerimónia enquanto esperava pelos padrinhos)

 

Depois foi o normal: muita choradeira - eu que dizia que não ia chorar, chorei, pois claro -, rimmel borratadomuitos beijos e abraços, algumas caras desconhecidas, muita gente à minha volta, muita gente a perguntar-me como é que me sentia, e nem eu sabia muito bem como me sentia, para além de estupidamente feliz.

 

Mula 3.jpg

(Já de aliança no dedo)

 

Eu não sou bonita, também não sou feia, verdade seja dita, mas não sou bonita, mas a verdade é que a maquilhadora fez milagres, nunca me senti tão bonita e graciosa na minha vida, senti-me tão vaidosa, mas tão vaidosa, que confesso, à noite até tive pena de me desmaquilhar e desfazer o penteado - que vos digo... o penteado deve ter-me feito mais pesada um quilo, graças à quantidade de laca e ganchos que tinha.

 

Tiramos muitas fotografias; comi o que consegui - a verdade é que os nervos toldaram-me a fome, mas tentei aproveitar para picar tudo o que gostava, desde o paté ao sushi -, deram-me comida à boca, seguraram-me nos copos e no prato, arranjaram-me guardanapos, os funcionários sempre muito solícitos e preocupados para que eu não me queimasse com os canapés quentes - os meus favoritos - e que nunca me faltasse bebida - tudo menos isso, eu Mula Maria, tenho de ter sempre um copito na mão quando estou em festa! Bebi Gin's e Caipirinhas e fui feliz! 

 

A sala e o espaço estavam lindos e eu quase não os aproveitei: não me sentei nos sofás espalhados pelo espaço, nem fui namorar para trás das sebes nem para o interior da casa. Ao contrário do que costuma acontecer, não passei despercebida - e pela primeira vez fiquei verdadeiramente feliz por não passar despercebida. As muitas fotografias não me incomodaram, os beijinhos e abraços deixaram-me feliz, o dia até me pareceu mais cor-de-rosa que azul, a verdade é que nunca me tinha sentido tão feliz e apesar de o noivo estar reticente quanto ao casamento era possível ver que ele estava a adorar tudo quanto eu, felizmente ele ainda é mais transparente que eu e a felicidade estava-lhe estampada no rosto.

 

A sala e a decoração.jpg

(A tenda e a decoração da tenda)

 

Fui uma noiva egoísta, choquem-se, sentei-me como os outros e comi e bebi como se estivesse num casamento - que não o meu. Só depois, de barriguinha cheia é que fui ver se os convidados precisavam de alguma coisa, mas a verdade é que era o meu dia e se não fosse egoísta neste dia, iria ser quando? Contrariei por isso tudo o que me disseram que iria ser, mas eu comi, quem me conhece sabe que eu também preciso de comer para ser feliz!

 

corte do bolo e bolo.jpg

(O corte do bolo ao som de All You Need Is Love)

 

Como sabem fiz uma surpresa ao Mulo, mas a maior surpreendida ainda fui eu. Eu tinha combinado com o DJ abrir a pista de dança a cantar, já que o noivo não dança - disse-me ele, que sempre bateu o pé desde o início - resignada arranjei uma forma alternativa e lá cantei a Manta para Dois dos Deolinda, num espectáculo que só visto. Até que o DJ: "A noiva pensa que a pista já está a aberta... mas a pista ainda não está aberta!" E eis que o Mulo aparece ao som de When a Man Love a Woman e dançou comigo essa música - e só essa música, que foi à vontade mas não à vontadinha - e foi um momento completamente mágico, até porque eu estava longe de imaginar que ele iria dançar comigo, muito menos no meio da pista com toda as pessoas a olharem - romantismos não é muito coisa dele! Arrepiante, só vos digo, dançássemos nós alguma coisa de jeito e era um vídeo que merecia ser divulgado, assim fomos só dois destrambelhados muito felizes a fazer qualquer coisa parecida com dançar, mas isso pouco importa, porque o momento é que foi verdadeiramente importante. Um pequeno passo para o Mulo, um grande passo para a nossa felicidade! [E vocês aproveitem este meu lado todo meloso que não dura para sempre.]

 

Casamento Mula

(Para aqueles que duvidaram, eis a prova xD)

 

 

De resto, foi normal: gente divertida, muito bailarico, alguém meio distanciado dos outros a tentar estar sossegado, alguém bêbado, muito riso, muitas dores nos pés... acima de tudo muitas dores nos pés, e fui uma fraca, ainda mal tinha tocado nas entradas e já estava de sandália rasa...

 

Foi um dia maravilhoso, o melhor dia da minha vida, que terminou numa suite lindíssima com direito a um casal de cisnes e a um bom pequeno-almoço no quarto,  umas horas depois! Se alguma vez vos disse para não se casarem, desdigo tudo: Casem-se e sejam felizes!

 

BeFunky Collage.jpg

 

Gostava de vos ter mostrado fotos dos fotógrafos, com maior qualidade, até porque pedi algumas fotos específicas para o blog, mas parece que ainda vão demorar a chegar, por isso... Quem quiser ver mais fotos do casamento que esteja atento ao Instagram da Mula que em breve existirão novidades!

94 comentários

Comentar post

Pág. 1/4

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.