Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Livro: As Desaparecidas de Megan Miranda

Comprei este livro por impulso. Nunca tinha ouvido falar dele nem da autora, mas algo nele me chamou a atenção, quer o título, quer a capa, e a sinopse então fez o restante. Mas que escolha tão acertada, já tinha saudades desta ânsia, desta vontade de conhecer mais e mais da história.

 

As Desaparecidas não sendo um livro difícil de ler, é um livro que exige alguma atenção por ser escrito de maneira totalmente diferente do habitual: É escrito de trás para a frente. Do presente para o passado. E por isso ao lermos, vamos conhecendo pormenores da trama que não compreendemos e que naquele momento até não nos faz sentido, mas que depois, com o conhecimento do que aconteceu no dia anterior, e no dia antes, e no dia antes do antes do antes, vamos percebendo cada peça do puzzle. Por isso é um livro que não deve ser lido com grandes pausas pelo meio sob pena de não compreenderem alguns pormenores.

 

Uma das coisas que mais amei neste livro é o facto de existir pouca palha irrelevante. É habitual muitos autores escreverem sobre coisas que não são relevantes para a história, mas aqui n'As Desaparecidas, tudo tem um sentido, não há páginas mortas, tudo suscita curiosidade e por isso é um livro que se lê num ápice.

 

 

As Desaparecidas é uma história contada na primeira pessoa, pela Nicolette, que abandonou Cooley Ridge aos 18 anos após a sua melhor amiga, Corinne, desaparecer sem deixar rasto, envolvendo todos os seus amigos e namorado no seu desaparecimento. Todos são suspeitos. Todos mentiram. Todos escondem um segredo. Todos se encobrem uns aos outros para se encobrirem a si próprios. Um único álibi: Annaleise, uma rapariga bastante mais nova que assiste a algumas situações do grupo. Dez anos se passaram e Corinne nunca foi descoberta. Todos os intervenientes prosseguiram com a sua vida, ainda que em sofrimento e terrivelmente marcados, porque há situações que nunca se ultrapassam. No entanto todas as dívidas com o passado têm de ser pagas. A falta de dinheiro obriga Nicolette a regressar a casa, a Cooley Ridge, para tentar vender a casa de família, só que voltar à sua terra Natal implica voltar a reviver tudo novamente, como se não se passasse nem um único dia desde que Corinne desapareceu. Entretanto, e 10 anos depois, por volta da mesma altura, um novo desaparecimento, desta vez de Annaleise que estranhamente e inexplicavelmente está ligada a Corinne e isso faz com que todos os segredos do grupo comecem a vir a cima, e começa a luta contra o tempo para esconderem novamente aquilo que tentaram esconder 10 anos antes. Para confundir ainda mais Nicolette, o seu pai, cada vez mais confuso e demente, diz ter visto a Corinne. Será que Corinne está viva? O que aconteceu há 10 anos atrás? E Annaleise? Estão os dois crimes relacionados? Leiam que não se vão arrepender.

 

O livro é marcante, é emocionante, é daqueles que se gruda a nós e não largamos até terminar. É daqueles livros que dentro do sofrimento, dentro das mentiras e dos segredos nos permite refletir sobre questões muito importantes, como a possibilidade de se amar e se odiar a mesma pessoa, na mesma proporção e como incrivelmente com o tempo tendemos a ver apenas as coisas boas daqueles que amamos e que irremediavelmente já não estão connosco. É um livro que também reflete acerca das pessoas tóxicas e do que os outros nos conseguem obrigar a fazer, sem obrigar efetivamente. É um livro que fala de ganância. É um livro que mostra como num crime, todos podem ser culpados por diferentes razões, porque podem efetivamente existir diversas razões e motivações, não há inocentes e como é difícil acreditar por vezes naqueles que amamos quando as evidências parecem ser claras, ainda que na realidade sejam turvas.

 

Gostei mesmo muito do livro, passa provavelmente diretamente para o meu Top10, e adorei ter um final totalmente diferente do que eu imaginava, e no fundo um final pouco habitual nos livros.

 

É um thriller mas não mete medo, leiam é realmente fantástico.

 

Boas Leituras!

34 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.