Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Livro: Em Busca do Carneiro Selvagem de Haruki Murakami

E após um ano e três meses, finalmente terminei de ler o livro Em Busca do Carneiro Selvagem de Haruki Murakami. Nunca um livro me custou tanto a ler, mas como não sou de desistir, decidi que deste mês não passava. Mas decididamente Murakami não é para mim. É demasiado... Irreal, digamos assim. No entanto, tendo em conta o fantástico, o irreal, até está uma história interessante.

 

 

Em Busca do Carneiro Selvagem retrata a história de um jovem japonês que prestes a fazer 29 anos entra em decadência. A mulher pediu o divórcio, o trabalho não corre como esperado, e este sente-se apático. O primeiro momento de reviravolta na vida deste jovem é quando conhece uma rapariga com poderes especiais, devido às suas orelhas, tornando-se obsessivo com estas. E o segundo momento, é quando é abordado por um estranho homem, para procurar um carneiro específico tendo por base uma fotografia, tendo de viajar até uma aldeia recôndita no interior do Japão, sem saber se esse carneiro realmente existia.

 

É um livro fantástico - não fantástico de bom, mas da categoria do fantástico - onde os carneiros têm poderes especiais e entram dentro das pessoas comandando-as e onde raparigas com orelhas perfeitas conseguem prever o futuro. É um livro onde os mortos falam e onde nada é o que parece ser. É um livro mirabolante.

 

É no entanto, um livro de fácil leitura - bem sei que não parece, pelo tempo que o demorei a ler - no sentido que tem uma linguagem simples, clara e com bastantes diálogos. Acaba por ser maçador por ser um livro que se demora a desenrolar, e é demasiado descritivo. Demorei 1 ano e 3 meses para ler 100 páginas, mas a verdade é que li as restantes 260 numa semana, porque finalmente o livro ganhou um propósito, ganhou algum mistério que nos permite querer saber o que acontece depois. Até essas 100 páginas, era só a história de um homem divorciado obcecado pelas orelhas de uma rapariga... Mas ao longo de 100 páginas! É insano! Depois disso é um homem que se envolve numa série de mistérios em busca de um carneiro que poderá nunca ter existido e ser fruto da imaginação, já que normalmente ele só era visto em sonhos, mas que tem a sua vida ameaçada se não o encontrar. A partir deste ponto confesso que fiquei emaranhada na história e fiquei curiosa.

 

Gostei, realmente, das questões existenciais do personagem - que não tem nome, talvez por não saber quem é - que tem dificuldades relacionais com pessoas e animais. O personagem não consegue dar nome ao seu gato, porque acha que isso o determinaria demais, e há inclusive uma enorme confusão no que toca à rapariga das orelhas que ora ele chama de amiga, ora de namorada. A personagem é realmente muito confusa e esta busca do carneiro representa no fundo a sua descoberta pessoal, quem é, e o que representa no mundo. Retrata também as prioridades da vida, quando um pai prefere viver para a sua obsessão do que para o seu filho, por exemplo.

 

No entanto, o final não me satisfez, e acho que até nem o compreendi. Compreendi que efetivamente este livro representará uma metáfora e que o homem que outrora se encontrava perdido encontrou um rumo para a sua vida, passando por uma série de transformações que o ajudou a encontrar o propósito da sua vida, mas para um livro tão descritivo, senti que o final foi apressado.

 

Descobri no entanto que este livro faz parte de uma trilogia: A Trilogia do Rato, mas creio que a minha experiência com Murakami termina aqui. No entanto recomendo-o para quem gosta do estilo fantástico.

 

Já agora, se alguém leu este livro e percebeu bem o final, que mo explique se faz favor, que eu tenho umas quantas questões para fazer.

 

Boas leituras.

10 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.