Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Livro Secreto #10 A Pérola de John Steinbeck

Há livros, que por serem tão pequeninos foram escritos para serem lidos de uma só vez, sob pena de se perder a essência das palavras que neles contêm. Assim é A Pérola de John Steinbeck. 

 

 

A pérola é mais do que uma simples história de Kino, sua mulher e seu filho. A pérola é uma parábola, que pretende transmitir uma moral acerca dos nossos valores e do dinheiro, de como o dinheiro move o mundo e as pessoas.

 

Este pequeno livro de Steinbeck, conta assim a história de uma família de índios mexicanos que viviam de modo simples, desprovidos de bens até o filho, Coyotito, ter sido mordido por um escorpião e precisar urgentemente de cuidados médicos. Nesta história, os médicos são tidos como racistas e oportunistas e quando o médico da cidade percebe que Kino e sua esposa não tinham dinheiro para lhe pagar, disse não estar disponível para ver o seu filho. Assim Kino foi tentar pescar uma pérola para conseguir pagar a consulta e assim salvar o seu filho. Kino encontra uma pérola, mas não era uma pérola qualquer, Kino julgou ter encontrado a Pérola do Mundo de tão grande que era, e toda a gente dizia nunca ter visto uma pérola assim, que eles estavam ricos. Assim o médico já apareceu na cabana onde moravam para ver Coyotito. Kino começou a ver o seu futuro na pérola, o que poderia vir a ter e o futuro que poderia proporcionar a Coyotito. 

 

No entanto, a pérola em vez de atrair felicidade só lhes trouxe problemas, porque várias pessoas começaram a perseguir Kino para lhe roubar a pérola, e apesar da mulher lhe pedir para deitar a pérola fora, que só atraía mau agoiro Kino não a escutava, uma vez que achava que naquela pérola é que estava o seu futuro.

 

No entanto a pérola, da mesma maneira que trouxe os sonhos de Kino, também os levou com ela. 

 

Este pequeno livro contém uma história muito bonita. Esta história fala do perigo das ambições, do perigo de sair da nossa bolha de conforto e desejar ir mais além. No entanto não consigo concordar com a perspetiva que nos é dada, apesar do seu fim, uma vez que é devido a se sair da zona de conforto que permitiu ao mundo evoluir, seja na educação, seja na saúde, seja nas condições de vida. Se ninguém tivesse saído da sua zona de conforto e não ambicionasse mais e melhor, ainda estaríamos a viver junto às árvores, com peles de animais mortos a tapar o corpo e a falar como macacos, no entanto compreendo o que a história pretende transmitir, porque efetivamente pode acontecer que quem tudo quer, tudo perde, mas acho que não podemos efetivamente viver com esse medo, com essa angústia, mas é preciso efetivamente compreender e balancear se o que desejamos de diferente na nossa vida nos poderá fazer mais ou menos felizes. Kino não parou para pensar no que tinha, e se isso que tinha lhe era suficiente. Kino ficou cego com o que poderia ter, ainda que o que desejasse era o melhor para si e para a sua família. Esta história demonstra como os sonhos dos que têm tão pouco, são tão simples. Um dos sonhos de Kino era que seu filho Coyotito pudesse estudar, conhecer o mundo e ensinar-lhes o mundo.

 

Além desta lição de moral, A Pérola conta-nos também de como os povos indígenas vêm a cidade, de como são diferentes e por isso as pessoas da cidades os assustam. Fala também da união de um povo, para o bem e para o mal, fala de como a sabedoria popular na cura de certas doenças pode ser válida, fala de tanto em tão poucas páginas que souberam a pouco. Fala da coragem de regressar de onde se partiu às escondidas.

 

Fala de tanto, e soube a tão pouco!

 

Gostei! Acho que deveria de ser um livro de leitura obrigatória, no entanto considero que deva ser lido com espírito crítico e não resignado uma vez que defendo totalmente o oposto do que é defendido no livro. Venha o próximo!

 

Boas Leituras!

25 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.