Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

O colecionador de cacos

Não existem vidas perfeitas. Ao longo da nossa vida, vamos nos partindo aos poucos e nem sempre existem colas especiais capazes de colar verdadeiramente os cacos da alma, e eles mais tarde ou mais cedo, voltam a partir, voltam a ser apenas cacos.

 

Um artista brasileiro criou para a Bordallo Pinheiro, em tempos, uma peça que representava o Colador de Cacos.

 

cacos.jpg

 

Como podem ver, várias peças se partiram e ele tenta reconstruir essas mesmas peças, colando os vários cacos que vai encontrando. As peças ficam inteiras, mas não mais são que um conjunto de cacos, de retalhos, daqui e dali.

 

Na vida também é assim como esta obra. Os vários cacos que vão sobrando de nós, das nossas vidas, das nossas desilusões, vão se colando para prosseguirmos o nosso caminho, mas não é possível voltar à forma anterior... As imperfeições, os pontos de colagem vão estar sempre ali, vincados, imperfeitos, lembrando-nos do que já fomos um dia. E dia após dia, ano após ano novas quebras, novos cacos vamos colando e lá se desfragmenta um pouco mais a nossa personalidade, os nossos sonhos, as nossas vontades.

 

Caco aqui, caco acoli, e somos nada mais que um conjunto de cacos, de origens diferentes, resultados de dores diferentes, e não mais podemos voltar à forma inicial.

 

E atenção, que não quer dizer que a forma inicial seja a desejada, porque no fundo o resultado final é sempre o produto de todas as nossas vivências, e nós não seriamos verdadeiramente nós, sem os nossos cacos, e seriamos apenas mais um. Esta  peça da Bordallo é para mim a peça mais bonita que eles já desenharam, porque é única, é diferente, é sofrida, e é acima de tudo fruto de uma luta. O que importa é que nunca deixemos espalhados pelos chão os cacos partidos, para serem pisados por quem pouco se importa, por quem desconhece, por quem  não quer saber.

 

Todos nós somos diferentes, porque todos nós coleccionamos os cacos à nossa maneira. Somos no fundo todos coleccionadores de cacos.

51 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.