Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

3 anos!

desabafos 3 anos.JPG

 

Porque tristezas não pagam dívidas, enxuguemos as lágrimas que hoje é dia de festa. Hoje o blog faz 3 anos! 

 

Julgava que não duraria nem 3 meses, quanto mais 3 anos! E como tanta coisa mudou em 3 anos...

 

Ao longo destes 3 anos muita coisa aconteceu e vocês acompanharam-me desse lado: Casei-me, viajei, fiquei desempregada, arranjei um novo trabalho, emagreci, voltei a engordar, emagreci novamente. Conheci muita gente diferente, fiz novas amizades e partilhei livros. Sorri. Chorei. Revoltei-me!

 

Em 3 anos escrevi cerca de 2500 publicações que geraram mais de 25.000 comentários - excluindo os meus. Em 3 anos, 30 publicações minhas foram destacadas, uma das quais me trouxe mais de 12 mil visitas em apenas 3 dias! Obrigada Sapo, por tudo isto!

 

Em 3 anos vi muitos blogs a serem criados, outros tantos a desaparecer e tantas outras pessoas que desapareceram dos blogs sem que desaparecessem a minha vida. O blog trouxe-me os Pássaros e As Fofinhas, trouxe-me amizades com quem posso desabafar. O blog trouxe-me gente preocupada e pessoas sempre prontas a ajudar. No fundo o blog trouxe-me um pouco mais de fé na humanidade, e tantas vezes a confirmação de que este mundo já não tem salvação para o bem e para o mal.

 

O blog trouxe-me dias mais coloridos e ofereceu-me companhia, porque o meu blog trouxe-me também tantos outros blogs que me acompanham diariamente mesmo quando estou calada que nem uma mula muda.

 

Mas o meu blog não é o que eu escrevo. É o que eu escrevo com vocês desse lado!

 

Obrigada por tudo!

 

30!

 

Parece que ainda ontem tinha 16 anos ansiosa por alcançar os 18 como qualquer adolescente! Acho que foram os anos mais compridos da minha vida. Dos 12 aos 18, os anos não passavam. Queria tanto alcançar a maior idade - vá-se lá saber porquê - com tanta pressa de fazer voar o tempo que nem me apercebi como devemos fazer prolongar os anos, essencialmente se somos ainda menores, sem grandes responsabilidades para além das de se ser bom aluno e bom filho.

 

Assim que alcancei os 18 foi um tirinho até aos 20. Aos 20 saí de casa, juntei os trapinhos, passei a ser uma adulta com essas coisas chatas a que chamam de responsabilidades. Desde aí que o tempo nunca mais andou... Voou!

 

A moça que tinha pressa de crescer começou a ter medo de crescer. O tempo começou a passar demasiado rápido e os objetivos a cumprir demasiado longes de ser alcançados. Licenciei-me tarde e a más horas, já não vou a tempo de ser mãe antes dos 30, continuo num trabalho que nada tem que ver com a minha área de formação e entro nos intas com excesso de peso contrariamente ao que desejava.

 

Apesar de tudo não me sinto com 30. Também não me sinto com 20. Não me sinto com 30 anos porque a imagem que o espelho devolve ainda é demasiado jovial - ou pelo menos é assim que me vejo, talvez pela força do hábito. Não me sinto com 20 porque a energia é de uma mulher de 40 anos, esgotada pela rotina. Não me sinto com 40, porque os sonhos ainda são os da adolescente bipolar que chorava a ver filmes de comédia. Por isso no fundo sinto que não tenho idade.

 

Mas o Cartão de Cidadão diz que hoje abandono os intes e entro nos intas. Por isso que assim seja que eu vou tentar que sejam fantásticos!

 

Parabéns à Mula!

2 anos!

E hoje este blog faz 2 anos!

 

Há dois anos que criei este canto para desabafar, quase como um diário pessoal sem achar que alguém iria ler, e muito menos dar-me crédito. Em dois anos tudo mudou. Comecei como esperava, anónima, sem ninguém que me lesse e muito menos que me comentasse. Depois, aos poucos, comecei a ter gente que gostava de me ler e abençoada com leitores fantásticos, esses leitores foram ficando, foram gostando, foram acompanhando os desvarios desta louca, e pior foram dando crédito aos mesmos desvarios.

 

Volvidos dois anos, o balanço é mais do que positivo. Conheci muita gente boa, ganhei novas pessoas a quem posso chamar amigas e amigos. Troquei livros, recebi presentes e enviei outros. Hoje o blog não é só meu é vosso também. Por isso hoje não é parabéns para mim, é:

 

Obrigada a vocês!

Passatempo: Sorteio Alma Gémea

Poderia encontrar uma alma gémea para cada alma solitária que por aqui passa, mas em primeiro lugar sou péssima casamenteira, em segundo lugar, este curral poderia ser, mas não é, um blog de encontros. Posto isto, vamos lá ver o que se sorteia por estes lados.

 

Os Desabafos da Mula fazem, no dia 9 de Julho, 2 anos. Para celebrar, a Mula tem um conjunto da Alma Gémea, da Amorim, para sortear. O conjunto é composto por duas peças: um galheteiro branco e um açucareiro/leiteira azul, ambos constituídos por cerâmica e cortiça.

 

Passatempo Mula.jpg

 

 

Para ficarem habilitados ao sorteio têm apenas de preencher nome e e-mail no formulário, mas se forem seguidores da Mula no Sapo, no Facebook e/ou no Instagram têm mais possibilidades de ganhar, ganhando uma entrada extra no sorteio por cada elemento extra (e olhem que eu vou confirmar). Ou seja, só podes participar uma vez, mas podes conseguir de uma só vez, quatro pontos que te garantem quatro posições no sorteio

 

Formulário de Participação

 

Eu sou apaixonada por estas peças desde que lidei com elas na loja onde trabalhava. Queria fazer um passatempo para celebrar estes dois anos - tão crescido que ele está a ficar - e como tal, porque não sortear algo que adoro? Espero que vocês adorem também!

 

O Passatempo estará ativo até às 23:59 do dia 9 de Julho de 2017 e o vencedor será sorteado no decorrer da semana seguinte - até o dia 16 de Julho -, que é como quem diz, quando eu tiver tempo. O vencedor tem até dia 23 de Julho para responder ao meu e-mail para ser informada a morada para envio do conjunto. Caso o vencedor não responda em tempo útil será feito um novo sorteio durante a semana seguinte e por daí em diante.

 

Como é que podem ter a certeza que o sorteio será justo? Pois não podem. Não há qualquer elemento ou entidade externa a regulamentar o sorteio, têm só a minha palavra que já se sabe, vale o que vale, de que será efetivamente um sorteio justo.

 

Outros tempos

Sempre adorei e respirei música. Todos os meus poros são e sempre foram música. Tivesse eu um vozeirão acreditem que teria dado todos os dedinhos da mão e dos pés para tentar fazer carreira! Mas assim não o é, com muita pena minha.

 

Por esta altura, há muitos anos atrás, a Internet ainda não era o que era - apesar de nela já existir muita coisa - e o acesso gratuito às músicas de que gostávamos ainda não era generalizado. Por essa altura, ainda não existiam Youtube's, Spotify's ou afins. Nessa altura, oferecerem-me música era oferecerem-me vida. Assim, pais e amigos sabiam que um CD de uma banda que eu gostasse fazia as delícias aqui da miúda. Adorava ler, e os livros sempre foram bem vindos e bem recebidos, mas música era sem dúvida a minha grande paixão, acima de todas as paixões. Ainda me recordo da primeira vez que me ofereceram CD's gravados, do meu ar de choque, perplexo, do meu ar de desânimo, como se me tivessem oferecido um livro fotocopiado. Bem sei que o preço dos CD's era muito elevado, demorava eternidades a conseguir juntar dinheiro que me sobrava dos lanches para comprar CD's, sempre tive noção de que não era, na altura, uma prenda barata. Mas ainda assim: Oferecerem CD's gravados? Porquê?... Sinceramente, preferia não receber, a verdade era mesmo essa. Hoje sou assim com os livros, mas já não sou assim com a música.

 

Hoje os CD's não fazem parte da minha vida, a verdade é que raramente os compro a não ser que consiga ter o dito autografado num qualquer concerto que vá. Tem as suas desvantagens, essencialmente para quem vive da música. Tem as suas vantagens, essencialmente, para quem respira música. Hoje podemos ouvir o que quisermos em qualquer altura, em qualquer lugar, à distância de um clique.

 

Outros tempos...

 

Há muitos, muitos anos atrás, mais propriamente há exatamente 17 anos atrás, ofereceram-me um álbum que nunca me saiu da memória, talvez dos poucos que consigo associar a uma data concreta e que ainda hoje tenho guardado com todo o cuidado: Return Of Saturn dos norte-americanos No Doubt, que eu sempre adorei e que tinha sido apenas lançado uns dias antes. Quatro dias antes, apenas. É impossível esquecer. A responsável por esta memória tão concreta e tão clara apesar dos anos volvidos? A quarta faixa do dito: 

 

 

"Today is my birthday
And I get one every year
And some day...
Hard to believe
But I'll be buried six feet underground

I'll be dead and gone, no longer around"

 

 

De modo inconsciente e parvo, aquela música era um presente dos No Doubt para a minha pessoa. E se a música hoje parece um tanto ou quanto mórbida, a verdade é que na altura era tão clara como água, porque não nos podemos esquecer que já eu era adolescente, com crises de adolescencite aguda e por isso No Doubt são sem dúvida, ainda hoje, uma grande referência, impossível de esquecer, desses tempos. Nesta altura, tenho ainda de agradecer à minha mãe a paciência e a persistência por nunca me ter deixado pintar o cabelo como a Gwen na altura, ainda que acho que o rosa sempre me caiu bem e não seria certamente a exceção.... Ou seria?! Muahahahaha

 

 

E vocês, têm alguma prenda de aniversário antiga que ainda hoje não conseguem esquecer?

Esta é pra vocês! O meu muito obrigada!

Já dizia o anúncio, e com toda a razão: Se eu podia viver sem vocês? Poder podia, mas não era a mesma coisa. [Não era bem assim, mas podia perfeitamente ser assim].

 

A verdade é que comecei a escrever por mim - e ainda escrevo por mim e para mim - mas hoje escrevo também por vocês e para vocês, porque como já disse, eu tenho os melhores subscritores do sapo e arredores e vocês merecem o meu melhor, e o meu pior, que isto nem sempre é tudo à larga...!

 

Hoje, dia 9, o blog faz 9 meses! Se fosse feto, estaria agora a nascer! Mas como não é, na realidade nasce todos os dias. E há 9 meses - mais coisa menos coisa... ok talvez bastante menos, mas pouco importa - que acordo com a certeza que vou ter um dia carregado de carinho e de sorrisos, porque vocês estão desse lado, dispostos a aturar as minhas neuras e dispostos a partilhar as minhas alegrias e eu as vossas. Perdoem-me se nem sempre estou presente como gostaria... Mas nem sempre me é possível estar atenta a tudo e todos. É que por mais estanho que pareça, há dias em que vivo...  nem sempre, é verdade,  mas há dias que tenho uma vida só para mim e às vezes faço coisas com ela, e às vezes parece que estou cá, mas não estou... E às vezes parece que estou cá, e só vou estando... e até há vezes que parece que estou cá... e estou mesmo! Não é incrível?

 

Há 9 meses que vocês fazem os meus dias mais felizes! E há 9 meses que não faço a ideia do motivo de me seguirem... Mas gosto disso! E por isso a próxima música é para vocês, para todos, sem excepção! Obrigada!

 

 

Fazes no dia que nasce
A manhã mais bonita
A brisa fresca da tarde
A noite menos fria
Eu não sei se tu sabes
Mas fizeste o meu dia tão bem

Esse bom dia que dás é outro dia que nasce
É acordar mais bonita
Trabalhar com vontade
É estar no dia com pica
É passar com a vida e desejar-te um bom dia também
Um bom dia para ti
Não que apenas passa não que pesa e castiga
Não que esqueças mais tarde
Mas o dia em que me digas
Ao ouvido baixinho ai tu fizeste o meu dia tão bem tão bom tão bem 

Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém

Fazes no dia que nasce
A manhã mais bonita
A brisa fresca da tarde
A noite menos fria
Eu não sei se tu sabes
Mas fizeste o meu dia tão bem

Um bom dia para ti
E para o estranho que passa
Para aquele que se esquiva
Para quem se embaraça e se cala na vida
Mesmo que não o diga
Ai tu fizeste o meu dia tão bem tão bom tão bem

Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém
Faz também o dia de alguém

Até amanha*

Andei há uns dias atrás um pouco chateada, amuada, triste - como lhe quiserem chamar - mas não há sofrimento que dure a vida toda, até porque como diz o povo português: "Não há bem que sempre dure, nem mal que nunca se acabe.", e por isso digo com alguma frequência que não acredito na felicidade mas em momentos felizes. E eu hoje estou num momento feliz.

 

E embora ninguém tenha perguntado, nem ninguém queira saber, eu digo na mesma!

 

Hoje o Mulo entra nos intas e como tal hoje há jantar especial cá em casa. Como não quis comemorar com os amigos será só um jantar especial a dois. E... sou sincera, estou muito curiosa para ver o que ele achou da prenda que lhe comprei!

 

2015-12-16_13.43.08.jpg

 

Tenho a confessar-vos uma coisa: Eu adoro receber prendas. Mas... gosto ainda mais de as dar, e gosto de dar coisas que as pessoas não estão à espera só para ver a reacção - quando a reacção é boa, está claro. Por isso... olhem...

 

Sejam felizes, ou tenham momentos felizes!

 

E agora shiuuu que ele está quase a chegar, ao menu sinal, cantamos todos os parabéns em uníssono! ^_^

 

Até amanhã*

Hoje é dia de festa

 

E hoje os Desabafos da Mula fazem 4 meses. É ainda um bebé, mas é um bebé que me dá um orgulho enorme! Ai se vocês imaginassem o orgulho! Para celebrar, decidi reavivar alguns textos que me deram um prazer enorme escrever, ainda no tempo de uma Mula totalmente desconhecida.

 

E o TOP 5 dos textos antigos é:

Burros, Mulos, Mulas e Jumentos

O Primeiro Beijo

No dia em que tudo mudou

Fraqueza

O meu espaço é mais valioso do que o teu

 

Estes foram os 5 textos mais antigos que me deram mais prazer escrever. Se alguém estiver com paciência e sem nada para fazer, digam lá qual o vosso preferido. Querem um gin para acompanhar? Temos também vinho do porto, para quem não gostar de gin, que porto é coisa que não pode faltar cá em casa. Façamos então um brinde aos blogs! Desejo a todos muita inspiração para que nunca deixem morrer um blog, que eu vou tentar nunca deixar morrer o meu.

A Mula faz dois meses e lança um desafio!

E é motivo para celebrar!

Vamos dançar?

mula 2 meses.jpg

Por ser dia de festa, tenho, uma prenda para mim e para vocês, para quem quiser, está claro, que o cantinho é meu, mas não sou uma ditadora: um novo desafio semanal, podem ler mais no final do post. 

 

Antes de mais, gostaria de vos dizer, que estou em êxtase, porque o feedback destes dois meses, é muito positivo, e a anos-luz do que eu imaginava que iria ser:

       - 1580 visitas (1260 das quais apenas neste último mês, o que significa uma média diária de 44 visitas apenas num mês)?

       - 114 post's, 323 comentários (não esquecendo que metade são meus), 43 reacções?

       - 45 Seguidores? 

 

Muito obrigada!

Muito obrigada, mesmo, a todos aqueles que ao longo deste mês - essencialmente - têm seguido, comentado e apoiado este meu cantinho que é tão especial para mim e me faz tão bem. A verdade, e só porque sou mesmo mula, este cantinho existiria na mesma sem vocês, mas com vocês tem um gostinho especial. Ver um novo favorito, um novo comentário, um novo seguidor, dá-me alento para querer escrever mais e melhor. É como o slogan de uma empresa que odeio: continuaria a escrever neste blog sem vocês? Continuar, continuaria, mas não seria a mesma coisa! Por isso, uma vez mais vos agradeço! E aproveitem estes obrigados todos, que tão cedo não verão outros! Não é normal eu ser assim, umas mãos largas de brotar felicidade pelos poros abertos da minha cara.

 

Um desafio:

E para celebrar, lanço hoje uma nova corrente de post's, ao estilo das #Curtas do dia, que tentarei escrever semanalmente. Faço desde já o convite a todos aqueles que estiverem a ler, para se juntarem a mim. 

 

A ideia é criar um post com "Eu já... ", com o objectivo de contar sentimentos que já tivemos, experiências - boas ou más - que já vivemos, and so on. O objectivo, no fundo é formar uma frase, verdadeira, sobre nós, a partir do "Eu já... #". Lembrei-me disto enquanto tomava um banho de imersão, 'tá? Podia dar-me para pior...

 

E é isto, quem me quiser acompanhar, pode fazê-lo através do seu próprio blog, através dos comentários, ou se alguém quiser que eu publique algo em nome de alguém (ou em anónimo), é só enviar mail para a Mula, que assim que puder, satisfarei a vontade do leitor ou leitora, sim?

 

Se não houver ninguém com interesse em seguir esta ideia brilhante - ou apenas parva - da Mula, a Mula seguirá, na mesma muito feliz, o seu caminho solitário. 

 

Então vamos lá... mais logo poderão ler o primeiro "Eu já...", vou só ali confessar-me primeiro e já volto!

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.