Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: O Bosque de Blair Witch

E hoje é dia 31 de Outubro, conhecido pelo Dia das Bruxas, e por isso não poderia ter melhor filme para falar. Vamos falar da Bruxa de Blair? Quem é que viu o primeiro filme?

 

Pois é, voltei ao cinema, desta vez para ver O Bosque de Blair Witch, o que foi uma grande surpresa quando fui ver o cartaz, porque não tinha conhecimento deste filme até então. Vi o primeiro: o Projecto de Blair Witch e gostei imenso. Este não sendo muito diferente do primeiro, não desiludiu.

 

 

O Bosque de Blair Witch parte do primeiro filme. Quem viu o primeiro sabe que Heather, Joshua e Michael se perderam em 1994 na floresta de Burkittsville quando queriam realizar para a escola um documentário sobre a Bruxa de Blair, e nunca foram encontrados. Assim neste filme, e após ter aparecido no youtube um vídeo de Heather, filmado na fatídica noite, James parte para Burkittsville com um grupo de amigos, porque acredita que a sua irmã Heather ainda pode estar viva, perdida na densa floresta.

 

Quem viu o primeiro filme conhece a história, a lenda é antiga: Na aldeia norte-americana Burkittsville uma mulher foi acusada de raptar crianças para lhes tirar sangue sendo por isso acusada de bruxaria. Dessa acusação resultou na sua morte. Diz a lenda que a enforcaram na floresta, mas que o seu corpo desapareceu e que nunca mais foi localizado e que desde então a floresta ficou assombrada: quem lá entra e lá dorme, não sai de lá vivo.

 

Assim que James e os seus amigos passam a primeira noite na floresta percebem que algo de macabro ali acontece e pretendem abortar o plano e regressar a casa, só que tal como aconteceu no primeiro filme, perdem-se na floresta e não conseguem regressar. Assim acabam por passar uma segunda noite e o pior acontece.

 

Quem for ver este filme não pode esperar um enquadramento muito diferente do primeiro: A sequência da história é relativamente semelhante à primeira, a forma de filmagem é a mesma - com câmaras não profissionais, goPro e drone -, no entanto a qualidade de imagem é bastante superior ao primeiro, no entanto se tiverem tendência para enjoar neste tipo de filmes, não é aconselhável. Para quem viu o primeiro filme, vou ser spoiler: não diferem muito um do outro, no entanto este tem cenas bastante mais violentas e assustadoras. Lembro-me bem quando vi o primeiro filme que o fator medo estava no facto de achar que aquele filme era efetivamente um documentário real, daqueles jovens desaparecidos, tal como o marketing do filme o fez crer. Nunca me vou esquecer das últimas frases que apareciam no filme: "Agradecemos a todos os familiares dos intervenientes o facto de nos disponibilizarem estas gravações." confesso que isso me perturbou bastante, o filme saiu em 1999 quando eu tinha 11 anos, o que me levou a pesquisar bastante sobre o filme até perceber que foi apenas marketing e que era pura ficção. Desta vez, fui com a certeza que era ficção e por isso ia mais tranquila para a sala de cinema - quem me conhece sabe que eu sou muito sensível aos filmes de terror, mas fã do género - no entanto se a primeira metade do filme não assusta, apenas intriga, as imagens na segunda metade do filme fizeram-me ficar colada à cadeira de dedos na boca e olhos fixos no ecrã.

 

O final não foi surpreendente, ainda que tenha ido mais além do que esperava. Mas é um bom filme para quem goste do género.

 

Aguardo um terceiro filme para que finalmente expliquem o que ali acontece naquela floresta maldita. Talvez encontre respostas no Book of Shadows: Blair Witch 2 do ano 2000. Tenho de me atualizar, mas confesso que me falara muito mal do filme, e eu depois já não o vi.

 

Alguém já viu este filme? Opiniões?

13 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.