Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: O Bebé de Bridget Jones

Assim que vi o trailer fiquei curiosa com este filme. Acho que é daquelas apostas seguras, que seja como for vamos sempre gostar, porque se a Bridget for a Bridget vai sempre ser engraçado, ainda que possa ser mais do mesmo vamos gostar. E é mais do mesmo e gostei.

 

De ressaltar que a Bridget é a Bridget mas que a Renée Zellweger não é bem a Renée Zellweger. Aquelas plásticas deixaram-na demasiado esquisita, e se quando se ri ela continua a ser ela, quando está séria parece uma cara estranha, uma outra pessoa qualquer que não a Renée. Renée se me estás a ouvir, não te metas em aventuras que eras linda e agora estás só... esquisita.

 

 

O Bebé de Bridget Jones traz mais uma aventura da agora quarentona Bridget, que após uma longa separação de Mark Darcy ainda não encontrou ninguém para refazer a sua vida, mas que em vez de se preocupar com isso decide investir na sua carreira. Num festival de música, e após um longo tempo sem sexo, Bridget decide aventurar-se com um desconhecido, num caso de uma noite apenas, desaparecendo no dia seguinte. Alguns dias mais tarde, num batizado onde Bridget é a madrinha juntamente com Mark como Padrinho, acabam por se envolver, no entanto, Bridget achando que não ia resultar, desaparece deixando uma carta a Mark, a explicar-lhe que já tentaram uma vez e que não deu certo e que por isso era melhor deixarem as coisas como estão. No entanto Bridget descobre que está grávida e como a médica não lhe consegue precisar em que data o bebé foi concebido exatamente, Bridget não faz ideia de quem é o pai. Descobre entretanto que um dos possíveis candidatos, é um milionário, guru dos encontros online, que nunca encontrou o amor da sua vida por estar demasiado ocupado com os algoritmos. E assim começa a aventura até se descobrir quem é o pai do bebé.

 

É um filme engraçado, que me levou algumas vezes às gargalhada, essencialmente nas cenas onde entra a médica altamente sarcástica e pouco dada a sorrisos. Adorei, adorei, adorei a médica. No entanto é um filme que não traz surpresa. Se lhe tivessem dado um fim diferente talvez tivesse trazido, assim, efetivamente, SPOILER ALERT, eu já sabia quem era o pai do bebé ainda antes de ver o filme, é daquelas situações que... Quase de certeza que não iria ser diferente do esperado e aí fiquei desiludida, porque se ela e o Mark já tinham tentado e tinha corrido mal, por que é que agora iria dar certo? Porque há um bebé no meio? Acho que transmite uma mensagem muito errada da vida real, uma ilusão que muitas mulheres acreditam, mas que depois corre mal e acabam sozinhas e com um bebé nos braços. Acho que a Bridget merecia um final diferente. A personagem de Jack, ainda por cima um americano interessante, poderia ter sido um bom final para a Bridget. 

 

No entanto o filme cumpre, no fundo, o que promete, continuar-nos a divertir com as peripécias desta mulher tão desastrada, que podia ser qualquer uma de nós, pelo carácter imperfeito que tem, e acho que é isso que tanto gostamos na Bridget, é que é a Renée, mas no fundo poderia ser qualquer uma de nós, todos nós temos um lado Bridget, eu pelo menos tenho.

 

Acho que fiz bem não o ter ido ver ao cinema, uma vez que gosto de ver no cinema outro tipo de filmes, que me arrasem o coração e a alma, ou pelo menos que tentem, e me surpreendam e este não seria capaz de o fazer, no entanto, é um bom filme, como eu lhe chamo... Um bom filme para domingo à tarde, em família, pois promete arrancar alguns sorrisos.

 

Quem já viu? O que acharam?

12 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.