Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: A Canção de Lisboa

A Mula regressou ao cinema, e desta vez foi ver o terceiro e último remake da trilogia portuguesa antiga produzida por Leonel Vieira. Tive oportunidade de ver os três filmes, e dos três tenho a dizer-vos que é o menos pateta, sendo na minha opinião o melhor dos três, precedido pelo Pátio das Cantigas e por último o Leão da Estrela.

 

 

Como sempre, o remake usa apenas a história original como uma linha condutora, sendo um filme bastante diferente do original. Concordo que fazer remakes fieis de filmes tão amados pelo público é muito perigoso porque é complicado ascender a certas qualidades. Por exemplo, sou grande fã de César Mourão, considero-o um bom actor dentro do género de comédia mas... O Vasco Santana é o Vasco Santana, não há comparação possível. Por isso considero que foi uma atitude inteligente, pegar nas histórias originais e adaptá-las à actual realidade portuguesa. Mais do que inteligente, achei-a enriquecedora para o cinema português.

 

Esta nova Canção de Lisboa conta-nos a história de Vasco Leitão - o eterno estudante de medicina - que se apaixona duas vezes pela belíssima e brasileira Alice - recém-chegada a Portugal para apoiar o seu pai na campanha política. Acontece que Vasco não se lembra de a ter conhecido - por ter fumado algo duvidoso e ter batido com a cabeça - e Alice  fica extremamente chateada quando o encontra pela segunda vez e este não a reconhece, achando que ele é um playboy desmiolado que não respeita as mulheres. O filme retrata por isso a história de amores e desamores entre os dois.

 

Fico muito feliz por terem mantido a famosa cena do "Esterno Cleido Mastoideu" do exame de medicina do Vasco, fico triste por não terem mantido a outra famosa cena do "Se eu não te estou a dizer a verdade que me cortem a cabeça" que a meu ver era uma cena que se encaixava na perfeição na nova história:

 

 

O filme é bastante divertido, tem vários elementos para prender o público do início ao fim, apesar de ter uma história corriqueira e expectável. Perde-se com este filme músicas que cresceram connosco - como a famosa Agulha e o Dedal da Beatriz Costa - mas ganham-se novas músicas escritas pelo Miguel Araújo, como é o caso da próxima música - que A-DO-RO!

 

 

Algo que gostei bastante no filme, foi a introdução de várias personagens homossexuais, porque acho que a ficção, em particular o cinema, tem um papel bastante importante na mudança de mentalidades e na descomplicação de questões sociais e relacionais.

 

Adorei o filme por isso aconselho vivamente a irem ao cinema deliciarem-se com este quase clássico português. Este é daqueles que vou, sem dúvida, rever!

Livro vs eBook Reader

 

O Sr. Solitário lembrou-me de uma pequena discussão saudável que tive com um amigo em tempos.

 

Ele dizia que ia comprar um eBook Reader porque era mais prático andar com ele em vez do velho e quase ultrapassado livrinho de tinta e papel. Ele sabe a minha opinião sobre os eBook Reader's. Sabe que tão cedo estes pequenos tablets disfarçados não me convencem e que quem me tira a alegria de ter um livro na mão, tira-me também a alegria e a vontade de ler. No entanto, como já o disse por aqui e por ali, não me choco quando dizem que preferem a tecnologia. Ler é ler. Não é menos leitor quem lê através de aparelhos.

 

Ainda assim, gosto de puxar a brasa à minha sardinha e de enumerar mil e um motivos para defender os meus gostos e interesses. Houve um que efectivamente o demoveu - até agora - de comprar o dito leitor. Ninguém lhe iria roubar o livro que tinha na mão. Que a ladroagem não tem interesses tão.... culturais, direi. Mas que é certo que muitos deles são pouco cultos e facilmente confundirão o leitor com um tablet e que poderá vir a ter surpresas desagradáveis - e até mesmo sabendo o que é, isso na feira dá mais dinheiro do que um livro de verdade. A verdade é que no percurso que ele faz casa-trabalho-casa, às vezes ouve-se umas histórias tristes.

 

Posto isto coloco a questão, sabendo, ou tendo quase a certeza da resposta de ante mão:

 

Será que se o Sr. Solitário tivesse ali deixado um leitor de eBooks as pessoas teriam sido assim tão sérias "aquilo deve ter dono, é melhor não mexer"?

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #1 Lilly Essence

Desde a altura da preparação do casamento que ando mais vaidosa, não vos sei dizer porquê, mas a verdade é que a mudança de visual não ajudou e ando pior. Desde então que começo a tornar-me numa mulher mais normal e choquem-se até gasto dinheiro em cremes e maquilhagem. O verdadeiro apocalipse do Mula's World! Anda uma mãe a criar uma filha para isto...

 

Enfim...

 

A verdade é que por isso tenho experimentado coisas que tenho gostado, outras nem tanto, e prontus a modos que vou começar a falar-vos sobre isso, vou tentar não vos maçar muito, tá? E de uma coisa podem estar certos, o blog está longe de ser um blog de beleza e bem-estar, até porque como perceberão, não percebo nada disto!

 

 

 

Estava a Mula a passear no centro comercial aqui da zona quando uma menina d'O Boticário lhe oferece uma pequena amostra do creme Lily Essence.

 

Antes de mais adorei o cheio. Como estava com as mãos um bocado secas aproveitei e usei-o nas mãos. E não é que o cheiro do estupor do creme durou o dia todo? E olhem que ao longo do dia lavo bastantes vezes as mãos. Mas lavagem após lavagem ali estava o bendito e encantador cheiro. Encantei-me - é tão fácil fazerem-me feliz - e só descansei quando o comprei.

 

O creme não é muito barato - custa cerca de 18€ - mas a verdade é que tem uma durabilidade fantástica, o nosso corpo fica tão cheiroso e hidratado o dia todo - pelo menos o corpo da Mula - e por isso vale bem o valor que pedem por ele, não desfazendo também do tamanho do boião que é  bastante grande por isso, mesmo para pessoas como eu, que descobriram agora a pólvora e se untam e besuntam como se fossem assar num forno qualquer para canibais, promete ser para durar.

 

Sou uma Mula cheirosa, nanananannaaaa, sou uma Mula cheirosa, nanananananaaa!

Se entretanto não tivermos mais oportunidade para falar...

Gostaria só de vos agradecer por tudo e dizer que foi um prazer partilhar a minha vida com todos vós.

 

Não... Eu não vou abandonar o blog, mas o meu colega aceitou - por estupidez pura e por uma inocência inexplicável - guardar dez malas de dez pessoas que não conhece de lado algum porque os cacifos de um certo local estavam cheios...

 

Obviamente que não pensou no pior, nem que numa altura destas isso não se faz... Até porque ele está de folga de tarde e sou eu que estou a conviver com dez malas de 10 desconhecidos...

 

Se eu entretanto fizer kaboum, obrigada por tudo!

 

#nãotenhomedootanas

Semana 30 - Desafio 365 Fotos

Desafio #365.jpg

 

E mais uma semana passou e com ela, mais de metade do desafio. Vamos a mais uma visualização da minha semana em fotos?

 

1469349629050.jpg

 

Foto 1- Tarte de maçã cuja receita podem encontrar aqui.

 

Foto 2- Terça-feira foi dia de tratar as fotos do batizado do meu sobrinho, esta é uma das minhas favoritas. 

 

Foto 3- Terça-feira dei início a uma mudança de hábitos alimentares e entrei consequentemente em dieta. Mula [Im]Perfeita surgiu para poder partilhar convosco a minha luta. 

 

Foto 4- Porque há citações que me marcam... Esta é uma delas. Do livro As velas ardem até ao fim de Sándor Márai.

 

Foto 5- Porque todos nós precisamos de um anjo na nossa vida, nem que seja em cerâmica. 

 

Foto 6- Está a decorrer em Valongo uma exposição ao ar livre de carros clássicos. Tem lá carros fantásticos! 

 

Foto 7- E para não variar... Domingo é dia de mensagem de pacotes de açúcar. Bom dia a quem tem as mãos frias e coração quente.

 

E para não variar... Estas e outras fotos no Instagram da Mula. Quem é que já acompanha a Mula no insta?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.