Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

5 Dicas para não faltarem ao ginásio

Não sou, claramente, nenhuma expertise nem a pessoa ideal para vos falar sobre este tema. Logo eu que sou Mula preguiçosa e que já fui a cliente ideal dos ginásios: daquelas que pagam certinho mas que nunca ocupam espaço. No entanto, tenho de admitir que existem dicas que minimizam as faltas. E a verdade é que eu tenho ido certinha nestes dois meses de inscrição e acima de tudo: continuo motivadíssima.

 

Por isso, falo-vos do que resulta comigo, é que a Mula continua gorda, mas a Mula vai ao ginásio quase tão certinho como um relógio suíço.

 

dicas.JPG

 

 

1. Ter sempre o saco pronto e de preferência na mala do carro. 

(imagem retirada daqui)

 

Já me aconteceu faltar ao ginásio pela preguiça de ter de preparar o saco. Parece parvoíce, porque a ida ao ginásio vai cansar muito mais do que preparar o dito, mas a verdade é que isso já aconteceu mais vezes do que me orgulho. Por isso tenho o hábito atual de ter sempre o saco preparado. Ou seja, vou ao ginásio, chego a casa, ponho a roupa a lavar e de seguida faço logo o saco para a próxima vez.

 

Mesmo quando pode não existir tempo para ir ao ginásio gosto de ter o saco sempre no carro, para quem vai de carro claro, porque já aconteceu ir num dia em que não estava previsto. Claro que se não estiver no carro mas estiver prontinho, é só ir a casa pegar e sair, mas ainda assim o facto de ter de se regressar a casa poderá ser motivo para: "ai afinal vou ficar aqui no sofá!" A minha experiência diz-me que devemos evitar, sempre que possível, ir a casa antes de irmos ao ginásio. A menos que seja um dia que estejamos em casa, pois claro.

 

 

2. Ter o mp3 recheado com as nossas músicas mexidas favoritas.

(imagem retirada daqui)

 

Eu Mula me confesso, quando me esqueço do mp3, ou o bicho está descarregado, os meus treinos são horríveis e isso nem me motiva a ir. Eu para treinar em condições tenho de me abstrair do que está à volta e por isso preciso de música animada aos berros nos meus ouvidos. Por isso se calho de não ter mp3 para treinar sei perfeitamente que quase mais valia nem ir ao ginásio. Os treinos vão ser rápidos, sem vigor, e sem qualquer tipo de motivação. O barulho das máquinas, o barulho das pessoas a queixarem-se ou a gemerem são mais que motivos para eu querer sair dali rapidamente. Por vezes quando fico sem mp3 uso o telemóvel com a fita de braço, mas acho, sinceramente acho, desconfortável e a verdade é que a música que tenho no telemóvel não é a melhor para treinar. Por isso não levem qualquer música. Levem música que vos deixem animados e com energia.

 

 

3. Arranjar uma boa companhia para os treinos.

(imagem retirada daqui)

 

É mais fácil arranjarmos desculpas para faltarmos aos treinos se não tivermos ninguém à nossa espera. Eu não tenho ninguém que me acompanhe, mas já tive, e sei bem reconhecer a diferença. Quando tinha uma companheira de treinos até acordava cedo para ir às primeiras aulas da manhã. Agora isso já não acontece. Felizmente, por vezes, tenho alguma companhia para alguns eventos que de outra forma não iria. Fui há duas semanas a um evento de Fit Brasil com umas colegas de trabalho, e fui no fim-de-semana passado a um dia aberto no ginásio de uma amiga. Treinar acompanhado é muito diferente, muito mais motivador e muito mais divertido. Claro que, quem tiver possibilidades financeiras pode sempre contratar um personal trainer que certamente fará o mesmo efeito. Eu não tenho.

 

 

4. Encontrar um ginásio perto de casa, ou perto do local de trabalho e estabelecer a altura dos treinos.

(imagem retirada daqui

 

Parece lógico, mas creio que nem sempre o é. Não é só importante a localização do ginásio, mas escolhermos a sua localização mediante os treinos que pretendemos fazer. Quem nunca escolheu um ginásio perto do local de trabalho na tentativa vã de ir na hora do almoço mas que depois percebeu que afinal não tem tempo suficiente, e depois quer ir para casa e o ginásio fica demasiado longe? E quem nunca escolheu um ginásio perto de casa e depois querendo ir à hora de almoço verificou não ser viável porque ficava demasiado longe? E quem nunca - aqui está claramente a Mula - escolheu um ginásio que nem era perto do trabalho nem perto de casa só porque era mais barato e que depois ficava claramente fora de caminho e tornou-se mais caro porque primeiro pagava e não ia, e segundo, quando ia gastava mais em transportes e/ou combustível? Devemos por isso antes de escolhermos o ginásio respondermos a algumas questões: Quando é que queremos treinar? Como é que queremos treinar? Vamos fazer aulas ou só máquinas? Quanto é que estou diposto a pagar?

 

 

5. Ter um plano adequado.

(imagem retirada daqui)

 

Odeiam correr mas o plano está feito para correr uma hora na passadeira? Claro que só de pensarem em ir ao ginásio que se vos arrepiam os pelos da nuca! Eu recuso-me a fazer coisas que não gosto, porque sei que há alternativas. Eu por exemplo no meu atual plano tinha um exercício que eu não gosto mesmo - que é subir para a caixa - e ainda fiz algumas vezes na tentativa de poder vir a gostar. Não, aquele exercício não era para mim e fazia-o totalmente contrariada por isso falei com quem de direito e optamos por um outro exercício, numa máquina, que eu gosto. Caixa é que não! Por isso se não gostarem de correr, quiçá preferiam a bicicleta ou vice versa. Se não gostam de uma certa máquina, certamente poderão exercitar-se com outra. Se não gostam de máquinas, quiçá sejam mais felizes com aulas. O que importa é mexerem-se e encontrarem um ponto de equilibrio entre o que gostam de fazer e o que têm de fazer.

 

E aqui a Mula ainda tem um incentivo extra: É que no dia que vou ao ginásio não tenho de cozinhar! 

 

 

E são estas as dicas que não sendo nada de especial resultam comigo. E vocês, que dicas têm para mim?

 

Lutar contra o excesso de peso # Inspiração da Semana

Nem só de altos se fazem os percursos de reeducação alimentar. Na realidade tantas vezes se fazem mais de baixos do que de altos... O próximo testemunho demonstra isso mesmo, e acima de tudo que é uma luta constante, que nunca, infelizmente, acabará, porque no dia que pararmos... No dia que pararmos então voltaremos a ganhar o peso todo que perdemos. Este é o testemunho da minha querida Sofia Gonçalves que já agora aproveito e faço publicidade. Visitem o The Daily Miacis, visitem que não se vão arrepender.

 

Gostava que a minha história fosse uma história de sucesso. De momento, até hoje não é, mas sei que será. A verdade é que sempre tive tendência a ser gordinha mas por outro lado sempre tive medicação que não me ajudasse muito. Quando era mais pequenina era a bailarina da coxa gorda. Fazia ballet e ginástica, mas as constantes crises de asma e alergia, faziam com que tivesse constantemente a tomar corticóides, que por sua vez, aumentavam me imenso o apetite. Juntem a isso os picos de fome por causa do crescimento. Agora com a ansiedade não é fácil porque a ideia da medicação é mesmo reduzir o metabolismo. O meu médico diz me que eu estou a arranjar bodes expiatórios, mas pensem um pouco: eu já faço dieta low carb, durante o dia não toco em pão, em massas, batatas, ou arroz. Como iogurtes cujo índice de hidratos sejam abaixo dos 5g, e tento evitar fruta, embora não a corte por completo porque as vitaminas da fruta também são necessárias. Já voltei ao ginásio regularmente, e a balança não se mexe. E bebo  2L de água por dia. É frustrante e desanimador. 

 

Tem dias como hoje, que olho para mim e vejo uma bolinha, vejo os defeitos todos.

 

Mas depois vou ao supermercado, que nesta altura do ano é um assédio constante de doces, e... não fico louca. Até apetecia um chocolate, mas não há nada que me deixe mesmo com vontade, então só pela gula de o ter e comer por ser doce, não compro. Vejam lá que eu este ano nem o meu kinder surpresa grande quero (ou estou mesmo fit ou é os  -inta a chegar)! Vou ao ginásio, e já consigo correr 15 minutos seguidos sem ficar com os pulmões de fora, já consigo fazer mais de 3 repetições de flexões seguidas, algo que eu há dois anos considerava impensável. 

 

Tudo isto para concluir que, sim é frustrante subir à balança e não ver melhorias, como é frustrante nem na roupa notar muito. Mas o objectivo também é nos manter-mos saudáveis, certo? Eu acredito muito no poder da cura através da alimentação, e acredito que tendo em conta o estilo de vida sedentário que temos nos dias de hoje é necessário fazer exercício para compensar. Logo, sim não sou nenhuma Carolina Patrocinio, nem nunca serei. Mas sou saudável, e isso é o que interessa acima de tudo. E com tempo as coisas vão lá, porque por muito que não note no meu corpo, noto na minha resistência e capacidade.

 

Por isso vamos em frente na luta que a passo de caranguejo eu chego lá na mesma.

 

Não creio sinceramete que hajam bodes expiatórios... A verdade é que fazes mesmo muito esforço. É horrível quando o nosso corpo não reage, quando parece que até o nosso corpo está contra nós! Falas sobre correr "15 minutos seguidos sem ficar com os pulmões de fora" acreditas que este ano corri pela primeira vez em toda a minha vida, exatamente isso? 15 minutos seguidos! Nunca tal tinha acontecido, nem quando andava na escola e prativava desporto com regularidade. Isto quer dizer, creio, muito sobre nós! Por isso sim. Lutemos acima de tudo por um estilo mais saudável do que por um peso "perfeito" - que nunca o é realmente, porque vamos sempre querer mais. Muita força, e chegaremos lá!

 

E vocês, juntam-se a nós nesta luta?

______________________________________

 

Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos por email para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me, e o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

Curtas do dia #958

Como faz um ginásio pressão psicológica com os seus sócios:

Ontem cheguei ao ginásio e tinha o dito todo em obras, parecia que não ia ao ginásio há meses... Até contei pelos dedos os dias que não fui. Uma mão chegou para contar os dias que não fui por causa da Páscoa, mas ainda assim fiquei com a sensação de que tinha faltado e que precisava de ganhar juízo...

Dias de merda

 

 

Já não me lembrava de ter um dia tão mau como sexta-feira passada. Se eu pudesse ir ao calendário e apagar um dia... Seria esse, tão recente, tão ainda presente na memória!

 

Custou-me a acordar, cheguei atrasada ao trabalho e tive um dos piores dias da minha história naquela empresa. Almocei em apenas 20 minutos - apesar de ter direito a 1h30 - mal tive tempo para café ou lanche. Berrei o dia todo e todo o dia berraram comigo. Mal tive tempo para beber um copo de água que fosse. É feriado dizem. Eu costumava gostar dos feriados...

 

Saí do trabalho depois da hora. Com a cabeça a arder! Mas não importava, já estava cá fora e só isso importava!

 

Tenti apagar o dia mau, agora é que ia começar a correr bem!

 

Fui às compras, queria fazer algo diferente para me compensar. Queria porque queria comprar espargos! Estava tão irritada que estava pela primeira vez disposta a dar 5€ por um molho de espargos porque isso me iria fazer feliz. Não havia! Improvisei e decidi fazer umas alterações no prato que tinha planeado, precisava de molho de soja. Fui comprar, mas o meu cérebro deu curto-circuito e comprei vinagre balsâmico, que por acaso tinha em casa. O que é que tinha que ver? Pois não sei. Comprei entre outras coisas congelados.

 

Fui para casa. Finalmente estava quase em casa... Precisava tanto do conforto do meu lar do aconchego do meu sofá por uns segundos...

 

Já estava na garagem quando descobri que não tinha chaves para entrar em casa e ali fiquei na garagem à espera que o Mulo chegasse a casa, no carro, com congelados a descongelar no banco de trás. Fiquei quase uma hora fechada na garagem com sinal fraco de Internet, sem rede móvel e sem luz natural. Poderia ter ido dar uma volta? Poder podia... Mas não me apetecia!

 

Quando o Mulo chegou, finalmente fui para casa. Finalmente em casa! Em casa tudo fica melhor... #sóquenão Deixei queimar uma parte do jantar! Achei que tinha desligado o fogão mas não tinha. E puff esturriquei um tacho.

 

Como se ainda não bastasse ainda nos chateamos os dois por uma parvoíce sem sentido algum!

 

Eu costumava gostar de feriados! E o Murphy é que tinha razão: "Se algo pode correr malcorrerá mal."

 

Quando tiver algo que corra mal num dia, vou ter este dia bem presente na memória para não me esquecer como é um dia verdadeiramente de merda! Felizmente esses dias também só têm 24horas!

Curtas do dia #957

Pediram-me que transportasse uma planta...

 

Pediram-me que transportasse uma planta apesar de eu ter negligenciado um vaso com salsa e outro com manjericão antes que os ditos se desenvolvessem. Pediram-me que transportasse uma planta apesar de saberem que me ofereceram dois vasinhos com cactos que só me duraram umas semanas. Pediram-me que transportasse uma planta apesar ter tido uma suculenta que não durou nem três meses. Pediram-me que transportasse uma planta apesar de desde tenra idade ter fama de matar plantas...

 

Pediram-me que transportasse uma planta... Achei que não haveria problema, só tinha de a guardar por dois dias. O que é que pode acontecer a uma planta em dois dias?

 

Cheguei a casa e a planta passou a duas... Partiu-se durante a viagem...

Foto da Semana #13

1522667552165.jpg

 

Fui passar a Páscoa a uma terra em Trás-os-Montes onde tenho família. Felizmente o mau tempo deu tréguas e o S. Pedro brindou-nos com um fantástico sol. Fomos por isso fazer uma caminhada para "moer" o que comemos - não falemos sobre isso... O que se come na Páscoa, fica na Páscoa! - e encontramos este amiguinho que estava mais preocupado em ver o que se passava algures numa casa ou terreno do que connosco. Aproveitei e registei este momento. 

Curtas do dia #955

Uma boa Páscoa a todos. Mas... 

 

Primeiro: Cuidado com as amêndoas!*

Segundo: Tenham atenção à linha, redonda ou não.**

Terceiro: Não caiam nas mentiras do costume.***

 

* Só porque algumas são demasiado duras e podem lascar um dente.

** Essencialmente cuidado com a redonda  que exige os seus cuidados diários. 

*** Mas no fundo vamos caindo diariamente em várias.

 

Pág. 6/6

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.