Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Factos incontornáveis...

... tão incontornáveis como as fases da lua.

 

 

Facto incontornável: O fim de uma relação não dita o fim de um sentimento.

 

É meu ex-marido mas nunca será meu ex-amor!

 

Há uma clara diferença entre o ser incompatível e o deixar de amar, o nosso caso foi claramente a primeira situação. Por isso tentamos ser amigos fora da relação, tentamos continuar a vermo-nos regularmente e tudo isso falhou redondamente. Claramente não conseguimos ser amigos porque ainda há sentimentos que ultrapassam em larga medida a amizade. Ele nunca acreditou quando eu lhe disse "eu ainda te amo, mas já não consigo continuar" e achava que lho dizia apenas por piedade, para tentar de alguma forma diminuir o sofrimento, como se existissem formas de diminuir o sofrimento de uma separação.  Não, não menti.

 

O Triptofano algures por aqui, perguntou à Mula o que falhou na nossa tentativa vã de sermos amigos. O que falhou? No fundo tentarmos ser amigos era só continuar com a cabeça na guilhotina depois de decepada. É sofrimento desnecessário e há gestos que são quase inconscientes e que temos de lutar contra e é só horrível: Como não dar a mão a alguém a quem demos toda a vida? Como dar um beijo no rosto a alguém que toda a vida beijamos na boca? Como não agarrar quando toda a vida foi um porto seguro?

 

Facto incontornável: Nem todos os portos seguros são eternos.

 

Esta semana li um artigo que falava sobre pessoas que não conseguem ficar juntas apesar dos sentimentos que as unem...

 

... Isto nunca me fez sentido...

 

Até agora!

 

Facto incontornável: Um amor e uma cabana não é suficiente para uma relação se manter sólida, saudável e inquebrável pelo tempo.

 

Para uma relação ser suficientemente e positivamente segura é necessário duas pessoas remarem no mesmo sentido, quererem as mesmas coisas, terem minimamente os mesmos objetivos... Lutarem em conjunto por um bem comum.

 

Dizem que toda a panela tem seu testo... Devemos por isso procurar o testo que nos pertence mas sempre com a consciência deste último facto...

 

Facto incontornável: Prosseguir e procurar um futuro não é esquecer um passado.

Vidas que davam filmes...

E porque ontem falamos de filmes...

 

Às vezes dizemos que as nossas vidas davam verdadeiros filmes pelas voltas e mais voltas que a vida dá...

 

... Mas a minha vida não dava um filme, ou se desse seria um daqueles sem um final feliz, seria apenas um daqueles filmes aborrecidos, em que o fim esperado não acontecia, os protagonistas não ficavam juntos e quase de certeza que os "bons" morriam e os "vilões" triunfavam! Não seria, portanto, um sucesso de bilheteira.

 

E a vossa vida: Dava um filme?

Uma espécie de Review de alguém que não percebe nada disto: Nós

Adorei o anterior filme de Jordan Peele, o Foge e por isso desde o trailer que sabia que tinha de ir ver o Nós. Deixem-me já dizer-vos que é um dos filmes mais inteligentes que vi nos últimos tempos. É brilhante!

 

 

Uma vez mais Peele traz-nos um filme de terror - com um toque de comédia, como o Foge - cujo foco é a identidade e retrata a história de uma mulher que em miúda encontrou uma espécie de sósia numa feira popular que a irá seguir uma boa parte da sua vida para a obrigar a enfrentar grandes demónios. Não querendo esmiuçar muito a história com medo de vos contar demasiado, o filme retrata a coexistência de duas espécies de mundos paralelos, com pessoas tão iguais e tão diferentes. Retrata a existência de um mundo privilegiado e um submundo completamente negligenciado e rapidamente percebemos que estamos diante de uma gigante crítica social.

 

Nós demonstra o poder da organização e da persistência e nunca o lema "juntos somos mais fortes" foi tão retratado num filme, ainda que nesta situação, essa união não seja propriamente desejada. Mas até a dúvida de quem é bom e quem é mau, Peele semeia.

 

Nós, tal como o Foge é um filme que explora as emoções e o desespero humano ao limite, demonstrando o que o ser humano é capaz de fazer numa situação extrema. É um filme intenso, que perturba e nos faz mudar várias vezes de posição na cadeira e é um filme com um volte face gigante que me deixou completamente de queixo caído. Confesso que para mim o final foi totalmente surpreendente apesar de várias dicas serem dadas ao longo do filme, mas para mim só no final é que tudo fez sentido.

 

Alerto que é um filme com cenas bastante violentas e sangrentas, mas é um filme acima de tudo inteligente, que cativa do início ao fim!

 

Quem já viu? Opiniões?

Mais um objetivo não cumprido

Este ano realmente tem tudo para ser fantástico... Já não me bastava estar mais velha, como as portas com que levo na cara continuam a ser as mesmas, deve ser para eu não estranhar...

 

Saíram os resultados provisórios das candidaturas ao mestrado que eu quero. Ainda não será desta, a menos que aconteça alguma espécie de milagre... Mas como milagres não existem, é impossível eu entrar. Tenho 15 pessoas à minha frente. Quinze pessoas teriam de desistir, morrer ou endoidecer, para eu poder entrar e isso nunca irá acontecer. Dizem que à terceira é de vez, e será. Ponto final, parágrafo. Não me voltarei a candidatar.

 

Como costumam dizer: "Mula, aceita que dói menos!" Vou aceitar, não sei se vai doer menos, mas eu vou aceitar!

Finalmente... O Cartão de Cidadão!

E a saga continuou!

 

 

 

Tentei ir onde antigamente se tirava o cartão de cidadão, no registo civil de Gondomar, como me foi aconselhado, mas é um registo que já não permite tirar o cartão. Um fantástico registo que dá apenas para fazer levantamentos, alterações de morada e cancelamentos do dito. Um registo muito útil, portanto. Comecei a achar que ainda não era desta...

 

... E com alguma razão!

 

Como precisava de ir ao shopping fazer umas compras, fui ao ArrábidaShopping onde achei que iria juntar o útil ao (des)agradável: Aguardar pela senha enquanto fazia as compras que precisava. Cheguei à loja de cidadão eram 12h e já não dava para tirar senhas... Apesar da loja só encerrar às 19h! Praguejei tanto, mas tanto, mas tanto... Fui almoçar, fui fazer as compras que precisava e quando já ia embora diz-me a minha mãe assim:

 

Mãe: Vai lá ver se ainda não dá para tirar senhas!

Mula: Achas? Se às 12h já não tinham... às 15h muito menos!

Mãe: Vai lá!!!!

Mula: Não vou nada!...

Mãe: Perdes alguma coisa em lá ir? Não sabes... Pode ter desistido tanta gente que podem ter voltado a dar senhas!

Mula: Oh achas mesmo?... Impossível!

 

Mas porque a mãe ainda é mais teimosa que a Mula, regressei novamente à loja do cidadão como tira teimas, só para a mãe ficar satisfeita e eis que ela tinha razão! [WTF?] Sim, estranhamente voltaram a dispensar senhas e eu consegui tirar uma senha. Era o número 178... Estava no número 90!

 

Não sabia se ria se chorava... As compras estavam todas feitas, e eu tinha uma senha para tirar o cartão de cidadão... Pois que esperei... Sem mais nada para fazer...

 

... Esperei...

 

... Esperei...

 

... Esperei...

 

E às 18h fui atendida! Palminhas para mim que consegui estragar um dia de férias para renovar o cartão de cidadão! Ainda assim consegui um comentário super simpático do funcionário que disse "Bem, esta foi a melhor foto do dia!" Um comentário simpático para tornar cinza um dia que foi negro. Pior que isto só se depois disso tivesse que ir para uma fila interminável de um posto de combustível como se os combustíveis fossem esgotar-se de uma hora para a outra...

 

Ah... Espera lá!...

A Mula também experimenta coisas e fala sobre isso #23 Unstoppables by Lenor // PASSATEMPO

A Mula recebeu um novo produto que a conquistou por completo: Pelo perfume, pela praticidade, pela utilidade. A Mula recebeu as pérolas perfumadas Unstoppables da Lenor e adorou.

 

Recebi em dois aromas: o Fresh e o Lavish e gostava muito de experimentar o Spring. Como também recebi vales de desconto, a ver se aproveito.

 

Screenshot_1.png

 

As pérolas perfumadas da Lenor são muito fáceis de utilizar: Atiram-se algumas pérolas no tambor da máquina, depois coloca-se a roupa e é só lavar como habitualmente.

 

Desta forma dispenso a utilização do amaciador, pois que só o uso pelo cheirinho, mas quem quiser pode acrescentar o amaciador, mas alerto já que o aroma das Unstoppables se sobrepõe aos restantes cheirinhos. O cheiro é duradouro e bastante agradável. Notei claras diferenças de outros amaciadores, essencialmente no que toca à roupa de desporto, que é sempre o meu maior problema. Com os amaciadores normais, parece que a roupa de desporto não "agarra" o cheirinho e tem sempre aquele cheiro sem graça de uma roupa que está sempre impregnada de suor... Mas com as Unstoppables a roupa de desporto fica realmente a cheirar a perfume. Mas no resto da roupa, não senti que tivesse um cheiro mais intenso que outros amaciadores, mas senti que dura mais tempo na roupa guardada. Mesmo que a roupa fique mais tempo na máquina que o normal - que com tantos outros produtos de lavagem implica voltar a lavar a roupa - com as Unstoppables a roupa não ganha aquele cheiro estranho - a mofo? - da roupa molhada, por isso permite uma poupança - em pessoas que como eu se esquecem com frequência da roupa na máquina - de água, energia e produtos de lavagem.

 

E porque a Mula fez anos, e está de férias e até acordou bem disposta decidiu oferecer-vos uma embalagem Unstoppables fresh, para participarem, só têm de preencher o inquérito aqui em baixo. Quem for seguidor da Mula no facebook, duplica as possibilidades de ganhar, e quem for seguidor da Mula no Facebook e no Instagram, triplica as possibilidades de ganhar.

 

O passatempo é exclusivo apenas a residentes em Portugal (continente e ilhas) e é válido até 30 de Abril. Vencedor será divulgado até o dia 5 de Maio.

 

Boa Sorte!

31!

 

Se entrar nos 30 me arrepiou a espinha... Entrar nos 31 com a vida em total extreme makeover é simplesmente assustador! Poderia ser um motivo de celebração... Mas essa coisa das odes aos recomeços, dos brindes às escolhas, das palmas às forças interiores... Não. Não funciona assim. Não se carrega num botão, não se muda o disjuntor para outra posição e de repente está tudo bem, porque efetivamente não está. Posso estar numa luta interior intensa para mostrar que está tudo bem, mas efectivamente não está. E há dias que tenho a certeza de que estou a fazer tudo errado nesta vida e ver mais um ano passar é... Assustador. Uma vez mais os anos passam e os planos são atropelados pelas minhas escolhas. Mas quem faz as suas próprias escolhas tem de viver com as suas consequências suponho... Dizem que sim. Dizem que é isto ser adulta.

 

Então olha Mula, agora aguanta-te. Aguenta-te firme!

 

Portanto, é este o espírito deste fantástico dia: As mensagens não param de chover, o telefone de tocar, o facebook de apitar... E eu por mim deitava-me e acordava quando já tivesse 31 anos e 1 dia.

 

Assim como assim... Parabéns para mim, que sou uma trintona quase fit, quase magra e quase renovada!

 

 

P.s.: Falta o quase!

Pág. 1/2

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.