Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Escrever banalidades e livros é muito diferente

(imagem retirada daqui)

 

 

Agora que irrompeu o escândalo da Chiado Editora apetece-me falar de sonhos. Sim, eu também sonho. Não sonhamos todos?

 

Aqui me confesso: Gostava de um dia escrever um livro. Dizem que o homem tem como objetivo na vida plantar uma árvore, ter um filho e escrever um livro, e eu já plantei um pinheirinho em miúda, um dia conto ser mãe, e só me falta perceber como cumprir o último. Um dia em conversa com uma amiga esta pergunta-me: porque é que não publicas um livro? Tu tens jeito para escrever!

 

Para publicar um livro é preciso primeiro escrevê-lo e para isso é preciso muito mais do que ter jeito para escrever, porque se é verdade que até acho que tenho jeito para escrever por aqui e por ali - mais por aqui que por ali - uma coisa muito diferente seria escrever um livro, um romance, uma coisa cheia de folhas e de letras, com enredo, com sentido. Acho que nunca conseguirei escrever um porque escrever as banalidades que escrevo por aqui é muito diferente.

 

Mas a verdade é que não é só o escrever.

 

Hoje em dia publica quem quer - ou quem tem dinheiro, vá - longe vão os tempos que só publicava um livro quem era realmente bom. Longe vai o tempo em que os autores batiam a todas as portas na esperança vã de que alguém se interessasse pelo seu manuscrito e o decidisse publicar. Hoje em dia ter um livro nas prateleiras de uma livraria é só uma questão de dinheiro e não de qualidade - claro que no que toca aos famosos sempre foi assim -, e isso revolta-me, confesso. No entanto, isto que aconteceu com a Chiado Editora é grave é muito grave. É grave porque é burla, mas é ainda mais grave porque se aproveitam dos sonhos das pessoas, qual Freddy Krueger do mundo dos livros. A verdade é que levaram tantos inocentes a confundir as coisas, porque essa editora dizer "vamos publicar o seu livro a troco de 2000€" não significa "vamos publicar o seu livro" significa antes "vamos aproveitar-nos do seu sonho e lucrar 2000€ e fingir que somos uma editora mas somos apenas uma gráfica". É tão mas tão diferente... Estas pessoas não editaram um livro, estas pessoas imprimiram um livro, isso é fácil e em muitos lugares muito mais barato.

 

Um dia gostava de escrever um livro e de o publicar se tivesse qualidade, e não quantidade, ou de o escrever sem qualidade nenhuma e guardá-lo na gaveta para dizer com orgulho: Um dia escrevi um livro por diversão, mas não tem qualidade para ser publicado, mas está escrito, existe, eu consegui. Mas o que eu gostava mesmo, mesmo, mesmo, era de um dia ter um insight qualquer e escrever algo que um dia pessoas quisessem ler e então aí quem sabe ver o meu nome nas capas de um livro numa banca de uma livraria qualquer e apontar envergonhada e dizer bem baixinho: Fui eu, mas não digas a ninguém, porque insights à parte nunca gostei da fama, apenas da parte em que me orgulho.

 

Sonhos... Que seria de mim sem sonhos?

41 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.