Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar e emagrecer (mas não vamos botar pressão nisto!)

Take 4589555 e 10 quartos - isto parece esquecido, mas não está #parte 1

Iniciei em Abril um percurso com muitos caminhos apertados e piso em muito mau estado que dura até aos dias de hoje, com as respetivas pausas e férias a que toda a Mula em dieta - e em privação do tabaco - tem direito.

 

Porque precisava de ajuda - porque queria ser magra e menos pobre um pouco - iniciei em Abril um tratamento à base de Florais de Bach para me ajudar no combate à ansiedade que me fazia fumar e comer doces como se não houvesse amanhã. Não sabem o que são os Florais de Bach? Como assim? Vão aqui, vão aqui, que eu aqui explico-vos tudo - ou quase tudo, e o que não souberem, perguntem à Sara.

 

Falei-vos um pouco da evolução da coisa - tipo o The IT mesmo, que isto também é um filme de terror, às vezes - nas publicações seguintes, de como estava realmente a funcionar o floral personalizado que a Sara me enviou, mas não vos mostrei efetivamente os resultados.

 

Vamos por partes:

 

#Parte 1 - Corpo de Verão 2020 - Que adiei para 2021 por razões óbvias (o covid claro, nada a ver com o facto de eu continuar uma lontra, apesar do projeto ter iniciado em 2017)

 

O caminho nunca é fácil, e como tal toda a ajuda é sempre bem vinda. Os Florais não emagrecem, por muito bons que sejam, se eu não levantar o rabo do sofá para ir treinar, no entanto desempenham um papel fundamental na gula. Aquele apetite insano que eu tinha por petiscar entre as refeições, essencialmente, aquela fome voraz que aparecia logo a seguir a um almoço balanceado - e por balanceado diga-se com mais legumes do que hidratos e xixinha da boa, com muita pena minha - e me fazia erradamente comer sem fome efetivamente. O raio da fome emocional trama-me sempre, e a verdade é que o início do teletrabalho, o confinamento, o afastamento das pessoas do coração, e tudo isso foi mesmo muito complicado, os Florais salvaram-me de uns quantos quilos que iria ganhar por estar tanto tempo encerrada em casa, com a mãe na cozinha sempre a fazer guloseimas.

 

Quero hoje mostrar-vos o meu progresso. Registar aqui, o meu progresso.

 

Menos de 3 semanas em casa fechada e engordei 2 kg. Cheguei no início do Estado de Emergência aos 77kg. Foi assustador voltar-me a ver tão perto dos 80kg novamente, quando disse que nunca lá mais voltaria... Fiz questão de registar o momento.

 

77.2.png

30 de Março de 2020

 

Foi motivo de susto. Há muito que estava estagnada - mesmo contrariada - nos 75kg que nem percebi como é que de repente a balança gritava 77kg. Deitei as mãos à cabeça e percebi que tinha de fazer alguma coisa. Comecei a treinar e novamente a ter cuidados com a alimentação e a verdade é que mesmo com treino e uma alimentação saudável os resultados não estavam a aparecer.

 

O que notei quando comecei a tomar os Florais?

 

Ai o xixi, tanto xixi meus queridos amores da Mula. Era de dia, era de noite, era all day long. Explicou-me a Sara que era a expulsar os líquidos acumulados, algo em que eu sou realmente boa. Tivesse eu o talento para reter dinheiro como retenho os líquidos e estava rica. Percebi também, que aos poucos as bolachas deixaram de ser uma tentação e que estava muito mais enérgica. Ou seja, comecei a treinar mais, com mais intensidade e energia. Isto, aliado ao facto de comer menos porcarias - essencialmente em altura de TPM - fizeram com que os resultados começassem a aparecer.

 

evolução.png

 

Se houve semanas que não tinha resultados? Claro que sim! E semanas em que me apetecia desistir e semanas em que sem fazer nada de especial perdia mais umas gramas... Grama a grama foi o que me propus. Dizem que uma das grandes ajudas na perda de peso é o estabelecimento de objetivos reais, e por isso nunca objetivei grandes milagres. Se na semana seguinte eu já tivesse uma grama a menos - nem que fosse só mesmo uma grama! - eu ficava feliz e era para mim uma vitória.

 

O Estado de Emergência se bem me recordo terminou no dia 2 de Maio de 2020. Comecei a desconfinar aos poucos a partir dessa data, mas foi em Junho que voltei aos petiscos de verão, aos almoços tardios, às tardes passadas na esplanada. Toda a gente conhece a grande inimiga das dietas: A cerveja. E eu adoro cerveja, e a verdade é que estive tanto tempo privada em casa de tudo e de todos que decidi que não me ia privar mais. Continuei com o exercício físico, mas a verdade é que a alimentação deixou de ajudar e com isso estagnei - vá, ok, ok engordei 1kg.

 

Screenshot_1.png

23 de Novembro de 2020

 

Eis que volto assumir convosco um compromisso: A partir daqui continuará a ser sempre a descer.

 

O projeto é da quarentena, mas não é de hoje, começou em 2017 quando disse que não queria mais ser obesa. Comecei este grande percurso convosco, esta foi a primeira publicação, tinha, se bem me recordo, 85kg e apesar de ter recuperado uma parte do peso que perdi, poderão ver pelas seguintes fotografias que o meu corpo manteve-se mais ou menos o mesmo, porque também tenho aumentado a massa muscular ao longo dos anos.

 

Screenshot_2.png

Screenshot_3.png

 

Não vou negar que fico um pouco desiludida comigo por ter recuperado uma parte do tanto peso que perdi, mas como as transformações físicas não foram assim tão grandes - nota-se essencialmente na zona das coxas e dos braços - também não bato com a cabeça nas paredes. Mas...

 

... Pra frente é que é o caminho.

 

O meu objetivo inicial é voltar para os 65kg, o meu objetivo ideal é alcançar os 60kg, que é o peso recomendado para a minha estatura.

 

Bora lá? Acompanham a Mula desse lado?

 

 

Ps.: Espero que tenham apreciado a minha coleção de meias!

 

Ps.2: Em breve #parte 2 para vos falar sobre a evolução o sucesso da minha cessação tabágica.

4 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.