Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Quem deve pagar no primeiro encontro?

(Imagem retirada daqui)

 

Um homem conversava há algum tempo com uma mulher pelo Facebook. Davam-se muito bem e falavam horas a fio. Decidem encontrar-se, vão jantar e ela nunca mais lhe falou ou respondeu às mensagens.

 

Mãe: Claro que não! Eu também não lhe falava mais. Então cada um pagou o seu jantar? É o homem que tem de pagar!

 

Mula: Mas não trabalham os dois? Não queriam os dois encontrar-se? Então por que é que é o homem que tem de pagar? Não faz sentido...

 

Após uma troca de galhardetes entre mim e a minha mãe, concordamos em discordar. Definitivamente temos maneiras muito diferentes de pensar, essencialmente por motivos geracionais.

 

Compreendo que a minha mãe é de uma geração bem diferente da minha. De uma geração onde se esperava que o homem abrisse a porta, ajudasse com a cadeira, e claro, pagasse a conta, mas nos dias que correm não me faz qualquer sentido assim ser. Não quero com isto dizer que não se possa aceitar o pagamento de uma conta por parte de um homem ou um qualquer outro gesto considerado de cavalheirismo, que não gosto de moralismos exacerbados, mas esperar que assim seja e chocarem-se se assim não for eu não consigo compreender. Esperar que um homem me pague sempre uma conta é estar a ser paga para o acompanhar na refeição, e esse não é um sentimento bom. Agora, claro que há alturas em que vou jantar com amigos ou amigas e me pagam, assim como por vezes vou jantar com amigos ou amigas e eu apresento o meu cartão e apresso-me a pagar eu, mas isso é muito diferente.

 

Mas posto isto fiquei curiosa:

 

Que têm vocês a dizer sobre isto? Deve um  homem num primeiro encontro pagar para parecer bem ou dividir a conta é sempre uma boa opção?

62 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.