Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Remodelar

ou como quem diz, o depois de uma publicação de Janeiro de 2019

Mais vale tarde do que nunca, certo...?

 

Mesmo que o tarde sejam quase 2 anos de atraso, certo...?

 

 

Certo! Pois claro, que certo! E agora até tenho mais tempo...

 

Ora bem, deixe-me enquadrar-vos.

 

Mudei-me para casa da mãe em Outubro de 2018 e como precisava de algum alento na minha vida, investi o dinheiro que (não) tinha num quarto, porque se era para regressar a casa da mãe por tempo indeterminado, que ao menos tivesse um quarto embonecado que eu merecia, porque se olharmos em volta e gostarmos do que vemos é meio caminho andado para nos sentirmos bem, e eu precisava de me sentir bem.

 

Então, em 2019, mais propriamente em Janeiro, renovei o meu quarto de adolescente e transformei-o no meu quarto atual, todo menina, como nunca tive. Deixem-me só dizer-vos que não podia ter escolhido melhor altura para fazer a renovação do quarto - sou uma idiota! Começaram a pintar o quarto tinha eu saído do hospital há um dia ou dois, conclusão, quando me vieram entregar a mobília, eu também não consegui aqui dormir porque estava muito sensível do nariz e o cheiro da tinta demorou a passar pra xuxu - pintar no inverno foi uma ideia muito inteligente - pelo que quem estreou o meu quarto foi a minha mãe, que ainda por cima odiou o colchão.

 

Mas pronto, meninos e meninas, só assim para vos fazer uma breve apresentação do quarto antigo...

 

... Este era o meu quarto de solteira, muito branco, muito impessoal, muito deprimente para uma recém divorciada:

 

1547312200799.jpg

 

E este é o meu quarto atualmente - o quarto de gaja que nunca tinha tido:

 

1603926189574.jpg

1603927624947.jpg

 

Como vêm é um quarto pequenino, mas a verdade é que ganhou espaço e luz com a nova decoração.

 

Gastei algum dinheiro é certo, mas não foi uma fortuna e a verdade é que às vezes pequenos pormenores e alguns apontamentos e cor, ajudam a criar um ambiente diferente. Apostei numa mobília simples, de tons claros, porque já sabia que iria querer têxteis de cores mais fortes e vibrantes. Ainda tenciono colocar uns cortinados nos mesmos tons dos tapetes e do edredon mas ainda não encontrei os tais, e como tal, mantenho-me com estes branquinhos já todos picados pelas garras dos meus pequenos príncipes.

 

Para tornar a obra mais barata, fui eu que comprei a tinta e chamei apenas um senhor para pintar. Digo um senhor, porque era um jeitoso - que na realidade de jeitoso tinha muito pouco - e não um pintor. O senhor não era muito competente ainda tive que me chatear - apesar de mal abrir os olhos, gaseada de dores - porque começou a  pintar diretamente sem diluir em água - não comentem, não vale a pena... é que até eu que não percebo nada disto, sei que é preciso diluir! - e obviamente gastou no teto do meu quarto a tinta que era para pintar o teto do quarto e duas casas de banho. Confesso que aqui o barato saiu um pouco mais caro que o previsto, mas... No que concerne à técnica, a coisa ficou bem feita, ficou bem pintado e a verdade é que gosto muito das minhas escolhas e sou uma apaixonada pelo meu quarto.

 

Entretanto apenas um conselho: Não gastem as vossas economias em mobília da Conforama. Há muita gente que se queixa do Ikea mas... o meu antigo quarto era do Ikea, assim como o colchão e nunca tive problemas e posso dizer-vos que foi muito mais barato. Esteticamente poderia não ser tão atrativo, mas a qualidade era sem sombra de dúvidas superior. Até posso ter tido azar mas...

   Primeiro: O estrado chia ao ligeiro movimento da cama - nada de se porem aí com risinhos malandros que eu durmo sozinha - e tive de arranjar umas esponjas isoladoras para colocar entre o estrado e o colchão para não ranger como uma cama do tempo dos meus avós.

   Segundo: A medida do colchão veio errada - é um pouco maior do que o suposto - e  com apenas dois anos de uso já começa a dar sinais de cansaço. Já começa a abalar mais para um lado - do lado que durmo. E o colchão não foi nada barato!

   Terceiro: Recusaram-se a colocar o estrado e o colchão aqui em casa porque teria de passar por uma janela e telhado. Teve de ser a minha mãe e o moço a tratar disso, quando eu paguei o serviço de colocação de tudo no sítio.

 

Podia ter reclamado? Podia, claro. Mas eu estava tão debilitada que eu só queria ver tudo no sítio e foi-se arranjando as coisas à medida de ficarem em condições, mas a verdade é que não voltarei lá a comprar peças de mobiliário, até poderei comprar de decoração, mas nada que implique durar muito tempo de modo estável e silencioso.

 

Mas à parte disto...

Gostaram do resultado?

22 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.