Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

#sexosemculpa // Vamos quebrar tabus?

 

 

bolinha.png

Conteúdo com bolinha vermelha. És menor, virgem ou apenas sensível... É melhor ires fazer qualquer outra coisa de útil com a tua vida. Alerta-se para conteúdo ou linguagem considerada chocante.

 

A dESarrumada lançou o movimento, e eu acompanho-a na luta com as restantes meninas. E sim, parece que hoje e ao longo desta semana, aqui no blog se vai falar de...

 

...sexo!

 

 

Não se choquem, até porque não é a primeira vez: Já vos falei sobre preliminaressobre prostituição, e sobre mitos ligados à sexualidade na mulher. Por este blog, já se discutiu a satisfação sexual e tiramos dúvidas de leitores e até se escreveu um conto erótico a quatro mãos.

 

Claro que com o tempo, e à medida que fui ficando mais exposta no blog, o tema sexo acabou por ficar de parte. Por tabu? Por vergonha? Não vos sei responder, talvez um bocadinho pelos dois.

 

Apesar de defender que o sexo é um tema como outro qualquer, e de ter respondido recentemente à dESarrumada que sim, que uma mulher pode falar publicamente de sexo, seja num blog, entre amigos, ou em praça pública, a verdade é que o que lhe tem vindo a acontecer é prova de que ainda é um tema, não tabu, mas muito estigmatizado. Homem que fala de sexo é macho. Mulher que fala de sexo é puta. Simples. Está provado por A+B que é assim. Infelizmente.

 

Quem acha que uma mulher que fala abertamente de sexo está literalmente aberta para qualquer pila, ou para qualquer macho, é o mesmo tipo de pessoa que acha "muito bem feito, porque estava a pedi-las" que uma miúda seja violada por andar de saia curta na rua. Porque já se sabe, é do conhecimento público: uma mulher que ande mais arrojada, ou decotada, na rua, sozinha, é porque quer levar com uma pila de um estranho à bruta num beco qualquer. Ai não é assim? Perdão. Pensei que fosse assim. Assim sendo... Será que já posso guardar a coleção de burcas que comprei em saldos na coleção Primavera-Verão 2015? Parece que não, porque parece que as mentes retrógradas ainda minam este mundo.

 

Choquem-se todos, e porque o movimento é #sexosemculpa aqui vai: Sou gaja, ando de saia curta na rua e gosto de sexo - não necessáriamente por esta ordem - e não, não quero que um qualquer homem ou mulher interprete isso como um estou disponível agora e sempre e a qualquer hora, até porque aqui a Mula só vai para a cama com quem quer, e quando quer, e se quer. 

 

Vejamos... Também gosto de comer - toda a gente sabe que eu adooooro comer - , e não vou ao indiano manhoso ali da esquina. Nem como comida que cai no chão - bem aqui confesso que depende de muitos factores, inclusive de quem é o chão e do que cai efetivamente no chão e de quantos segundos... Mas adiante! -, nem como do lixo - nada contra quem o faz - nem comida roubada, nem vou a restaurantes que à partida têm mais lixo na panela do que eu no chão da garagem lá de casa. E no entanto, eu gosto mesmo muito de comer. Tanto como de fazer sexo - taco a taco, mesmo! - e no entanto não gosto de todas as comidas deste mundo, e apesar de parecer que não é  bem assim, nem me apetece comer a todas as horas e até recuso comida.

 

Pelo mesmo motivo... Gosto de homens, e gosto de sexo, mas não faço sexo com todos os gajos que vejo, só porque são gajos e estão aparentemente disponíveis. Pensem comigo: Colocaram-nos alguns neurónios no crânio para nos distinguirmos um pouco dos cães, dos gatos e dos macacos.

 

Posto isto, não é por gostarmos de algo, que temos de ser selvagens e achar que esta vida são dois dias e o mundo é um buffet livre.

 

Agora não me fodam: Se é bom, a gente gosta, e como me disseram uma vez: se até os animaizinhos gostam, como não haveríamos nós de gostar?  E por isso confesso que me choca um pouco algo tão bom ser tão problemático. Porque não temos problemas em mostrar os fantásticos pregos deliciosos com que nos lambuzamos, mas temos problemas em falar sobre as nossas fantasias sexuais, sobre as nossas aventuras e experiências, essencialmente quando somos mulheres, porque isso faz de nós desavergonhadas, putas, pouco sérias. 

 

Lamento informar a todos os pudicos que o sexo é das coisas mais importantes do nosso mundo. Porque para além das espécies terem continuidade graças ao sexo, quando bem fodidos os nossos chefes fodem-nos muito menos a cabeça, porque quanto mais bem fodidos andam, mas felizes andam. E todo mundo sabe: chefes felizes e desestressados tratam melhor os seus funcionários, e é o que nós queremos!

 

Por isso só vos posso desejar: Tenham muito e bom sexo.

22 comentários

Comentar post

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.