Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Lutar contra o excesso de peso #30

 

Sábado foi dia de pesagem. Sobrevivi com estilo: Menos um quilo e meio no bucho!

 

 

Desde 28 de Janeiro que perdi 5kg, reduzi centímetros vários em todo o corpo e reduzi de 7 para 4,5 a gordura visceral. Estou a ir, devagarinho estou a ir para onde quero. Desde Abril de 2020 já perdi 10kg e já "só" me faltam perder 7kg, estou perto, tão perto. Só não me quero perder pelo caminho, desta vez não. Já não tenho idade para me perder... Mas a verdade é que desde que a balança saiu dos 70kg que ando muito mais motivada, mesmo quando a bichinha empanca semanas a fio no mesmo valor não me desmotivo porque sei que já passei tantas vezes por isso que será só mais uma vez e que irei conseguir superar este embruxamento do meu metabolismo.

 

Parece pouco, mas um quilo e meio nesta altura do campeonato é muito positivo, tendo em conta que reduzi os treinos para metade - devido ao curso - e passei por um casamento bem recheado e regado e por uma despedida de solteira cheia de coisas boas... Não me privei de nada em nenhum dos momentos. Fiz as minhas escolhas, tentei fazer as melhores escolhas possíveis dentro do que foi encher a Mula - literalmente - desde que lá cheguei até à minha partida, mas fiz escolhas. Fugi dos queijos, não comi a massa folhada que enrolava o bife, escolhi apenas provar duas sobremesas, e nas entradas evitei o pão. Também dancei muito, ajudou, mas também bebi demasiado o que prejudicou. Mesmo com as escolhas, andei mais de uma semana a recuperar do casamento, mas a verdade é que se fosse hoje não faria nada de diferente - talvez o vinho, não teria bebido o vinho, que sinto que tive uma experiência de quase-morte - porque feta é feta e ninguém drome toda a gente come! E nesses dias é para aproveitar, para festejar e divertir, e comer pois claro. Prefiro ser uma gordinha feliz do que uma magra amargurada. Prefiro ter resultados mais lentos, mas ser feliz, e quem me conhece sabe. Comer faz-me feliz. Demasiado feliz. Transbordo felicidade!

 

 

Acho que a minha sorte, no fundo, é que eu sou tão feliz a comer um hambúrguer como a comer uma salada. Para mim o que importa é o sabor, e a combinação de ingredientes. Claro que adoro gordices, pizas, hambúrgueres, lasanhas. Mas também sou menina para pedir uma bela de uma salada com salmão fumado - ou até cru! Adoro salmão cru! -, queijinho do bom e abacate. Gosto de coisas saborosas, por isso é que coisas só cozidas... Sem piada e sem sabor... Meh! Aí não sou feliz. Por isso é que mesmo no dia-a-dia tento colocar sabor no que como, ainda que sejam maioritariamente coisas cozidas e grelhadas. Adoro atestar os meus brócolos cozidos com alho em pó e cebola em pó. Não vão a saltear, economizo nas gorduras, mas no dia seguinte ao almoço - continuo a levar marmita - eles estão super saborosos como se tivessem sido salteados.

 

E são estas opções que me fazem seguir em frente confortável e feliz. E orgulhosa. Orgulhosa também. Orgulhosa porque no trabalho tenho uma máquina de vending carregada de chocolates, croissants e bolachas gulosas e digo-vos que em quase 4 meses de trabalho tirei uma fatia de salame de chocolate e um pão de sementes com queijo! Quando quero uma gordice vou às máquinas da prozis, é um pecado, mas não é um pecado tão pecaminoso, nutricionalmente falando - tirando umas barritas energéticas que eles lá têm e que uma vez tirei e vi que aquilo tinha tanta caloria, mas tanta caloria, que jurei que a barrita haveria de durar 3 dias... e durou! - e por isso estou orgulhosa de conseguir resistir ao pecado apesar de ele morar logo ali ao lado e me acenar com alguma frequência.

 

Sim, estou orgulhosa e a minha querida Nutricionista também disse que era motivo para estar e que poderia comer uma porcariazita para festejar. Escolhi uma bela de uma açorda de marisco, num restaurante à beira mar - ouvia-se as ondas... tão bom! - e mousse de chocolate - caseira!!!! - para sobremesa. Domingo treinei duas horas, até doer tudo! Lei da compensação... 

 

 

E resumidamente é isto. Já caibo nas minhas calças amarelas, que era um grande objetivo para este verão - e não foi preciso chegar ao verão - e agora só preciso de ganhar cu - perdoem-me ser tão direta mas ando mesmo triste que o meu rabo está mesmo a desaparecer! - afinar e endurecer aqui e ali, perder a gordura dos braços que é das teimosas e barriga. Basicamente e resumindo, agora é treino, muito treino.

 

Eu consigo! 

 

Lutar contra o excesso de peso #29

Sábado passado foi dia de colocar a pesagem em dia na nutricionista...

 

Se eu podia ter fingido demência? Fingido surpresa perante os resultados desastrosos da balança? Poder podia, mas sabendo ela da existência aqui do curral, não sei se me iria safar.

 

[Mania de botarmos tudo nas internetes pá!]

 

Podia ter tentado... Mas optei por colocar as cartas em cima da mesa, de outro modo não poderia justificar o motivo de ter perdido peso por via de perda de massa muscular e ainda ter, pela primeira vez, aumentado massa gorda e consequentemente, medidas. Não voltei à estaca zero, obviamente, mas digamos que apesar de estar mais leve, regredi um mês. Quis festejar os 33 como se não houvesse amanhã e arranjei um belo de um 33! Carrega Mula, que agora tens de perder o que devias de ter perdido no mês passado, recuperar a massa muscular que perdeste e ainda correr atrás dos resultados deste mês!

 

Apesar de ter consciência que os resultados não iriam ser do meu agrado, confesso-me chocada, porque apesar de ter cometido demasiados excessos e de ter reduzido a intensidade dos treinos, por falta de tempo, não os reduzi para zero, apenas não treinei uma semana, mas mesmo nessa semana, continuei a fazer as minhas caminhadas. Fui para a consulta carregada de dores musculares do último treino, com direito a dores nas costelas e axilas, esperava um pouco mais, confesso. Por isso, claro, fiquei um pouco frustrada.

 

Ainda assim, estou meio quilo mais próxima do meu objetivo e tenho esperança que aumentar agora a minha massa muscular não me vá aumentar o peso.

 

Para o próximo mês vemos...

Correr atrás do prejuízo

imagem retirada daqui

 

As coisas que o covid propicia... 

 

Porque não se pode juntar todas as pessoas queridas numa mesa para comer, beber e rir... Enfim, para festejar! O aniversário deste ano pareceu festa cigana - sem qualquer tipo de conotação negativa, atenção! - e durou quase uma semana. Basicamente comecei os festejos na quarta-feira e o ditos só terminaram no domingo depois do redom ter sido todo deglutido. Basicamente e resumindo, quarta houve um evento aqui no trabalho e o almoço foi oferecido: Uma bela de uma sandocha de alheira e ovo que comi com todo o prazer e satisfação mas que tenho a certeza que não passaria no teste da nutricionista. Quinta, festejei com a mãe, as duas melhores amigas e o moço, na sexta com mais duas amigas e uma repetente. Novamente bolinho e coisas boas que alimentam a alma e que enchem uma mesa cheia de risos. Sábado com o moço e com o melhor amigo do moço. Não houve bolinho, mas houve gelado, e sushi, muito sushi. Domingo, por mais que uma parte da minha consciência dissesse "Não faças isso",  a outra parte da minha consciência mais conscienciosa lá ditou que as sobras tinham de ser comidas.

 

A parte gira disto tudo, é que sábado é dia de consulta, por isso é altura de correr atrás do prejuízo. Não apetece treinar? Problema meu, tenho mesmo de treinar. Apetece um docinho? Problema meu, não há docinho para ninguém. Se queremos resultados temos de fazer sacrifícios, e se decidi viver como se o mundo fosse terminar no final da semana, e tentar por momentos esquecer esta pandemia - eu Mula, me confesso, ainda que tudo realizado com as devidas condições de segurança - na semana passada, agora é hora de retomar ao carril. Não engordei, calma, mas também não perdi peso, obviamente.

 

Agora é continuar.

 

'Bora lá!

Lutar contra o excesso de peso #28

Imagem retirada daqui

 

Sábado foi dia de pesagem e dia de pesagem é sempre aquele dia importante, encarado com nervosismo. Basicamente porque o dia de pesagem é aquela verificação/compensação de todo o esforço feito ao longo de 30 dias e nem sempre conseguimos obter a recompensa desejada e é isso que torna este dia tão potencialmente dramático. Quem nunca fez um esforço descomunal para perder peso e o ponteiro da balança não se mexeu um milímetro que atire a primeira pedra. Ou pior! Quem nunca se esforçou verdadeiramente para perder peso e a balança ainda subiu os números? Eu já passei por isso... Por isso o dia de pesagem para mim é sempre um dia importante, encarado com alguma ansiedade e esperança.

 

E o dia anterior à pesagem?

 

Desse ninguém fala, mas alguém tem de dizer as verdades neste mundo. O dia anterior à pesagem é ainda pior, porque é aquele dia que nós achamos que vamos conseguir compensar todos os males cometidos em 29 dias, é o dia em que temos de beber o máximo de água que conseguimos "para limpar", é o dia que não podemos comer um bróculo se quer a mais, porque é isso que vai desequilibrar os números no dia seguinte, e não podemos se quer respirar demasiado ar porque inchamos e os resultados vão ficar comprometidos. Compreendem a pressão? Conseguem sentir a pressão? Claramente estou a satirizar e a elevar ao expoente da loucura tudo isto, mas a verdade é que os dias próximos das pesagens, são os dias em que mais andamos a toque de caixa, certinhos, sem excessos, na inocência de que vamos compensar os disparates já cometidos. Não quero desiludir-vos, mas, e apesar de ter algumas atitudes parvas a este nível, o que importa é o todo, e não apenas o que fazem no dia anterior. Não digo que devemos estar focados 100% do tempo, mas no mínimo 80% do tempo, que não serão os restantes 20% que nos irão derrubar, ainda que nos possa atrasar.

 

Mas adiante, que já sabem, que quando começo a divagar... A coisa alonga-se demasiado. Tinha-vos contado aqui que este mês estava a ter algumas dificuldades, e que apesar de estar a cumprir o plano direitinho e de treinar quase todos os dias que a balança não estava a ser minha aliada... Pior, e isso não vos contei, mas ainda se atreveu a aumentar de peso um pouco. Dá-me cabo dos nervos a bicha, confesso, e já faltou menos para a atirar janela fora. Fizemos um ajuste no plano e a coisa desempanou. Desempanou e finalmente alcancei o meu primeiro grande objetivo: Estou oficialmente abaixo dos 70kg!

 

Não conseguem imaginar a minha felicidade ao subir para a balança e ver um 6 como primeiro número. Não importa que logo a seguir estivessem dois noves, não interessa, porque para a vossa Mula não são 100g que separam os 69,9 dos 70kg - já sabem que sou má com números -, na minha cabeça 69 pertence aos 60kg, e 70, são 70kg. E essa diferença são de 10kg! Contas estranhas? É... eu sei... Mas quem luta diariamente contra o excesso de peso certamente me compreenderá. Senti exatamente o mesmo quando deixei os 80kg, e sinto o mesmo agora que voltei a deixar - e espero que desta vez, de vez - os 70kg para trás.

 

Estou oficialmente confirmada nos 69,6kg, a balança de casa do moço assim o diz e a balança da nutri confirmou! Percebem o porquê de querer deitar a balança pela janela fora? Como assim roubar-me 300g? Maldita! Perdi alguns centímetros em todo o corpo, diminui 2% de massa gorda e ainda consegui aumentar a massa muscular, poucochinho, mas consegui e esta última semana tenho a confessar-vos que não consegui treinar um único dia, por falta de tempo. 

 

E foi assim que num mês supostamente mau, em que durante duas semanas não alcancei, supostamente, resultados, que consegui perder quilo e meio. É por estas e por outras que devemos de ser persistentes e não desanimar. Estou assim a aquecer para rumar ao meu segundo grande objetivo: Chegar aos 65kg, peso que estupidamente me escapou por entre os dedos há uns 2 anos atrás. Não querendo bater com a cabeça na parede, acho que o pior já foi conseguido, que foi criar rotinas alimentares saudáveis, inclusive lanchar - que sempre foi algo que não se encaixava na minha rotina -, não passar fome e ser feliz.

 

Neste processo de perda de peso estipular objetivos é muito importante e eu estabeleci três: sair dos 70, alcançar os 65 e a minha meta final são os 60kg e lá manter-me até ser velhinha, permitindo-me uma oscilação consciente de 1 ou 2kgs, no máximo.

 

E é isto minha gente, continuo aqui firme, a rumar para o meu corpo de verão que pode chegar entre este ano e o ano de 2025 - não vamos botar muita pressão, né? - num caminho sinuoso, com lombas e paralelos desnivelados, mas continuo firme e otimista!

 

Quem está comigo desse lado?

A importância de ter a nutricionista à distância de um click

O meu metabolismo é preguiçoso - é como a dona, no fundo... - e por isso é necessário, por vezes, fazer alguns ajustes aos planos, sob pena de chegar à consulta e não ter perdido uma grama. Já aconteceu. A importância de ter a nutricionista à distância de um click - ou de uma mensagem - é a de não necessitar de esperar pela próxima consulta para fazer ajustes necessários ao plano. 

 

Desta última vez, voltei a ficar presa no peso da última consulta, por duas semanas. Continuei a treinar - ainda que não tanto quanto gostaria, por falta de tempo - continuei a fazer tudo direitinho e a verdade é que a coisa não andava, ou não diminuía, vá. Mandei assim uma mensagem à menina que acompanha aqui a Mula e fizemos as devidas alterações ao plano de alimentação e a coisa desempenou. Isto é um processo complicado por si, mas fazer esforço para controlar o que como e fazer um esforço descomunal para treinar depois de um dia de trabalho e a balança não reagir é algo que me desmotiva com alguma facilidade e que pode fazer com que deite tudo a perder. Não quero isso. É por isso importante estar sempre atenta e reagir rápido às alterações e não alterações. Vigiar intestinos, inchaços e reações estranhas após refeições. É importante vigiar peso e perceber o que está a correr menos bem.

 

É por isso importante termos um acompanhamento personalizado que nos ajude a alcançar os nossos objetivos e ter alguém do outro lado que rapidamente nos ajuda é muito importante.

 

 

Go, metabolismo, go! E ele vai... devagarinho, mas vai.

Treinar em casa

Imagem retirada daqui

 

Perguntam-me com alguma frequência como é que eu treino em casa, se faço algo por mim ou se recorro a alguma plataforma. 

 

Pois que hoje partilho convosco o meu método, que não sendo nada de especial, pode, quiçá, ajudar-vos desse lado. 

 

Eu utilizo o YouTube. No YouTube vocês têm disponíveis, de forma totalmente gratuita, imensas aulas, imensos exercícios, imensas formas de se mexerem desde exercícios para iniciantes até algo mais intenso, para avançados. Têm exercícios com imensos materiais e exercícios apenas com o vosso corpo. Não há desculpas.

 

Eu não tenho muito material de treino, tenho apenas 4 halteres com dois pesos diferentes - de 2 e 3 kg - e corda para saltar, mas em diversos canais vão perceber que podem utilizar mil e um materiais que têm em casa, desde mochilas com livros, garrafões e garrafas de água, embalagens de detergentes... O céu é o limite, é só puxar pela imaginação. Mas se querem algo mais ligeiro vou partilhar convosco exercícios de caminhada em casa, algo tão simples como isto.

 

Normalmente faço treinos de cerca de uma hora e quando tenho este tempo divido o meu treino em dança - aquecimento - e em aulas de cardio e força - o exercício propriamente dito. Quando não tenho este tempo, opto por aulas pequenas de HITT que permite exercitar num curto espaço de tempo vários grupos musculares de forma eficaz e aqui podem recorrer apenas a uns 15 minutos do vosso tempo.

 

Páginas do YouTube que eu sigo e adoro:

 

Carol Borba - A Carol é uma das minhas PT Online favoritas. Super divertida, carismática e com uma capacidade de incrível de nos motivar à distância. Conheci a Carol num desafio de 100 achamentos por dia durante 30 dias e nunca mais abdiquei dela (apesar de alguns dias terem sido demoníacos). Dá aulas online em direto praticamente todos os dias e à parte disso tem imensos vídeos de pequenos treinos para fazer em casa especialmente treinos localizados: especial braços, especial bumbum, especial abdominais,..., e com imensa variedade de vídeos por categoria, o que nos permite organizar o treino de uma forma bastante eficaz. Gosto de combinar diferentes vídeos e o mesmo muitas vezes repito umas 3 vezes. À parte disso tem imensos desafios de caminhada em casa e de treinos bem ligeiros para quem está a começar. Tem também alguns vídeos de dança que eu utilizo como aquecimento, como este ou este. Deixam-me logo bem disposta para aguentar o treino de uma hora depois de um dia de trabalho. 

 

MadFit - Adoro a miúda. Tem exercícios muito variados, com e sem material e é ideal para quando tenho pouco tempo para treinar porque tem uma boa diversidade de treinos de Hiit de baixo impacto. Normalmente é a ela que recorro nos dias em que não tenho muito tempo. Tenho usado este vídeo como aquecimento por exemplo. Aquecer antes de treinar é importante, por muito curto que seja o treino, não se esqueçam, assim como os alongamentos no final para evitarem lesões. 

 

Pamela Reif - Dona de um corpo magro bonito (e do rabo que eu pretendo), não excessivamente definido - confesso que não sou fã de um corpo demasiado tonificado na mulher e que não é esse, de todo, o meu objetivo - esta jovem alemã promete fazer-nos suar e tonificar. Tem bons exercícios de Hiit sem necessidade de qualquer equipamento, e tem a grande vantagem de raramente falar durante os exercícios. É a mudinha, como uma amiga minha lhe chama! Gosto também bastante dos exercícios de alongamento dela e de dança

 

Body Project - está página tem imensos exercícios simples para fazer em casa, normalmente em blocos de 30 minutos e adaptados para todas as intensidades. Dificilmente acabamos a aula sem pingar. Apesar de ser em inglês - para quem não entenda - é fácil de acompanhar. Tem bons exercícios de cardio e de Hiit e normalmente uma só aula trabalha todo o corpo. Gosto especialmente por ter imensos vídeos com pessoas como nós, mais gordinhas e às vezes até meias desajeitadas e não apenas malta fit, o que nos leva a acreditar que se eles conseguem, nós também. Motiva-nos! 

 

À parte disto, há imensas aulas no YouTube dadas pelo Solinca, pelo Holmes Place entre muitos outros ginásios. Divirtam-se a pesquisar e a criarem as vossas aulas. 

 

Partilho ainda convosco uma outra plataforma gratuita onde vocês se podem apoiar que é do ginásio Fitness Hut que é a Hut-home com aulas em direto e gravadas acessíveis a todos. Confesso que raramente utilizo esta app mas já andei a explorar e os conteúdos parecem-me interessantes.

 

Tenho sorte de ter, atualmente, uma smartTV e de poder assistir a tudo isto numa televisão grande, parece até que estou no ginásio, mas no primeiro confinamento assistia no PC ou até no telemóvel e dava perfeitamente. Aliás, não tarda volto a treinar cá fora, e será com recurso ao telemóvel.

 

Podemos fazer uma grande variedade de exercícios em casa e temos ainda uma vantagem: no ginásio estamos condicionados às aulas daquela hora que vamos, em casa, fazemos qualquer aula que gostemos em qualquer sitio, em qualquer horário. Haja motivação!

 

Conheciam estes canais que vos falei? Gostaram das sugestões? Têm outras sugestões aqui pra Mula? 

Voltei à nutricionista

 

"Engordei no confinamento... Só como...!"

 

Haverá frase mais ouvida nos últimos tempos? Para além de covid, covid, covid...

 

Era certo e sabido que isto ia acontecer. Stress, demasiado tempo livre e aborrecimento, é uma mistura estrondosa para se assaltar os armários da cozinha vezes a fio. Eu desde o primeiro confinamento que fiquei em alerta, acima de tudo quando a mãe começou a ir para a cozinha passar tempo. Perigo!

 

Engordei uns dois ou três quilos no primeiro mês e depois como vos contei aqui com ajuda dos Florais de Bach comecei a regrar a minha vontade de comer este mundo e o outro e a ganhar resistência aos doces que a mãe insistia em fazer na cozinha. Assim, desde o início, sabia que ficar em casa, em teletrabalho, que iria tramar o meu corpinho a menos que eu ganhasse juízo e também por isso continuei a treinar em casa. E assim, desde então que tenho continuado na luta, como basicamente desde sempre que me conhecem, não posso negar. Mas a luta é constante e cá continuamos. Quem tem tendência a excesso de peso, como é o meu caso, sabe que é uma luta para a vida, que não é um esforço único e depois "pronto, estou no peso que queria, agora já posso voltar a comer este mundo e o outro!" é demasiado fácil recuperar muito do algum peso perdido. Tantas vezes estamos anos para alcançarmos um resultado, e em algumas semanas, mais tarde, estragamos tudo. Confesso que este verão exagerei nos tremoços nos amendoins e nas cervejas - tal era a fadiga das quatro paredes - e isso não abonou nada a meu favor. Mesmo nada a meu favor! No próximo desconfinamento tenho de gerir isto de modo diferente.

 

Ficamos aqui, lembram-se? 73,6kg a 23 de Novembro de 2020! Entretanto perdi mais uns dois quilos antes do Natal com algum tento na boca e muito treino diário, mas nas festas - apesar de não ter exagerado e é isto que me enerva! - voltei a recuperá-los...

 

Decidi por isso recomeçar as consultas na nutricionista, até porque com o trabalho novo, com o restabelecer de rotinas, senti que precisava de ajuda para não descambar por aí fora, até porque nem sempre é fácil preparar marmitas e programar todo um dia fora de casa.

 

Já seguia o blog - e o instagram! - da Gisèle há muito tempo e por isso quando decidi recomeçar as consultas, lembrei-me de entrar em contacto com ela para traçar-mos este caminho juntas. E cá estamos as duas a caminho do segundo mês.

 

Neste primeiro mês, sem desespero, sem fome, sem grandes restrições perdi 2kg e 25cm em todo o corpo. Claro que continuo a treinar quase diariamente, apesar de chegar a casa cansada e apenas com apetite de ter uma relação séria e apaixonada com o meu sofá... Mas tenho contrariado! Não treino todos os dias, nem sempre é possível, mas umas três a quatro vezes por semana tento treinar e acreditem que todos os dias chego a casa e digo "ai hoje não, hoje não quero!" mas depois quando coloco a música... Animo-me logo! Por alguma razão o meu aquecimento é SEMPRE, religiosamente, dança, só passo para o treino propriamente dito depois de estar toda louca enérgica...

 

 

Eis a atualização da coisa:

 

IMG_20210304_222224.jpg

26 de Fevereiro de 2021

 

Estou quase, quase, quase, quase a sair do número o 7 e sei que quando chegar aos 69,9kg vou ser a pessoa mais feliz do mundo, apesar de não ser um valor assim tão diferente do atual. O número 7 aterroriza-me. 69kg parece muito menos do que 70kg. Psicologicamente é muito diferente. 

 

Assim, esta semana recuperei 4 pares de calças antigas e renovei o ânimo para continuar. Não digo que estou a fazer dieta porque não é bem isso. Estou a comer bem, a ganhar hábitos mais saudáveis. Não passo fome e fiz apenas ajustes àquilo que eu já fazia. Às vezes o problema não é bem o que comemos mas como comemos. Uma das grandes alterações que fiz foi começar a comer sempre sopa ao almoço - já o fazia ao jantar - e isso faz com que eu possa comer de tudo no prato principal mas de forma regrada, porque com a sopa como muito menos o prato principal, e dificilmente tenho vontade de repetir, fico muito mais saciada e acreditem que este ponto é muito importante para mim porque eu preciso de me sentir "cheia". Pode parecer estranho, e parvo, mas é verdade. Se sentir que "comia mais qualquer coisa" vou ter tendência a procurar o que comer, com a sopa antes das refeições isso não acontece porque não sobra assim tanto espaço. Às vezes também é uma questão de lógica. Algo que também reorganizei são os lanches - ou passei a lanchar, vá.... - e como como menos em cada refeição os lanches agora são muito bem vindos e já me fazem falta se por alguma razão não consigo comer.

 

Apesar dos bons resultados - que podiam ser melhores, mas que para mim são ótimos - o meu grande calcanhar de Aquiles cá continua: Beber água!... Batalho nisto há anos. Acho que não há coisa que mais me custe fazer do que beber água. Mas ó Mula, não gostas de água? Não gosto, nem desgosto, a água não sabe a nada, não há nada para gostar ou desgostar. O problema é lembrar-me. Instalei agora uma app que me está a ajudar, mas ainda assim nem sempre o lufa-lufa do dia-a-dia permite-me ser ajudada. O outro grande problema que me chateia, imenso, de beber água é o realmente ir vezes a fio por hora à casa de banho. Eu não tenho vida para ir à casa de banho duas ou três vezes por hora, que é o que acontece quando bebo 1,5L, ou para acordar duas e três vezes a meio da noite. Mas pronto, tem de ser não é verdade? Pode parecer que não, mas ando-me a esforçar. Rabugento mas esforço-me.

 

E a modos que é assim, conto daqui a menos de um mês contar-vos com euforia que já larguei os 70kg - e que sejam de vez, desta vez! - por isso acompanhem-me desse lado.

 

E... Se me estás a ler e precisas de um empurrão: 'Bora lá, faz-me companhia, façamos este caminho lado a lado, com todas as vitórias e derrotas que tivermos de enfrentar. Não esperes por segunda-feira, começa já hoje!

 

#jánãovoumorrergorda

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar e emagrecer (mas não vamos botar pressão nisto!)

Take 4589555 e 10 quartos - isto parece esquecido, mas não está #parte 1

Iniciei em Abril um percurso com muitos caminhos apertados e piso em muito mau estado que dura até aos dias de hoje, com as respetivas pausas e férias a que toda a Mula em dieta - e em privação do tabaco - tem direito.

 

Porque precisava de ajuda - porque queria ser magra e menos pobre um pouco - iniciei em Abril um tratamento à base de Florais de Bach para me ajudar no combate à ansiedade que me fazia fumar e comer doces como se não houvesse amanhã. Não sabem o que são os Florais de Bach? Como assim? Vão aqui, vão aqui, que eu aqui explico-vos tudo - ou quase tudo, e o que não souberem, perguntem à Sara.

 

Falei-vos um pouco da evolução da coisa - tipo o The IT mesmo, que isto também é um filme de terror, às vezes - nas publicações seguintes, de como estava realmente a funcionar o floral personalizado que a Sara me enviou, mas não vos mostrei efetivamente os resultados.

 

Vamos por partes:

 

#Parte 1 - Corpo de Verão 2020 - Que adiei para 2021 por razões óbvias (o covid claro, nada a ver com o facto de eu continuar uma lontra, apesar do projeto ter iniciado em 2017)

 

O caminho nunca é fácil, e como tal toda a ajuda é sempre bem vinda. Os Florais não emagrecem, por muito bons que sejam, se eu não levantar o rabo do sofá para ir treinar, no entanto desempenham um papel fundamental na gula. Aquele apetite insano que eu tinha por petiscar entre as refeições, essencialmente, aquela fome voraz que aparecia logo a seguir a um almoço balanceado - e por balanceado diga-se com mais legumes do que hidratos e xixinha da boa, com muita pena minha - e me fazia erradamente comer sem fome efetivamente. O raio da fome emocional trama-me sempre, e a verdade é que o início do teletrabalho, o confinamento, o afastamento das pessoas do coração, e tudo isso foi mesmo muito complicado, os Florais salvaram-me de uns quantos quilos que iria ganhar por estar tanto tempo encerrada em casa, com a mãe na cozinha sempre a fazer guloseimas.

 

Quero hoje mostrar-vos o meu progresso. Registar aqui, o meu progresso.

 

Menos de 3 semanas em casa fechada e engordei 2 kg. Cheguei no início do Estado de Emergência aos 77kg. Foi assustador voltar-me a ver tão perto dos 80kg novamente, quando disse que nunca lá mais voltaria... Fiz questão de registar o momento.

 

77.2.png

30 de Março de 2020

 

Foi motivo de susto. Há muito que estava estagnada - mesmo contrariada - nos 75kg que nem percebi como é que de repente a balança gritava 77kg. Deitei as mãos à cabeça e percebi que tinha de fazer alguma coisa. Comecei a treinar e novamente a ter cuidados com a alimentação e a verdade é que mesmo com treino e uma alimentação saudável os resultados não estavam a aparecer.

 

O que notei quando comecei a tomar os Florais?

 

Ai o xixi, tanto xixi meus queridos amores da Mula. Era de dia, era de noite, era all day long. Explicou-me a Sara que era a expulsar os líquidos acumulados, algo em que eu sou realmente boa. Tivesse eu o talento para reter dinheiro como retenho os líquidos e estava rica. Percebi também, que aos poucos as bolachas deixaram de ser uma tentação e que estava muito mais enérgica. Ou seja, comecei a treinar mais, com mais intensidade e energia. Isto, aliado ao facto de comer menos porcarias - essencialmente em altura de TPM - fizeram com que os resultados começassem a aparecer.

 

evolução.png

 

Se houve semanas que não tinha resultados? Claro que sim! E semanas em que me apetecia desistir e semanas em que sem fazer nada de especial perdia mais umas gramas... Grama a grama foi o que me propus. Dizem que uma das grandes ajudas na perda de peso é o estabelecimento de objetivos reais, e por isso nunca objetivei grandes milagres. Se na semana seguinte eu já tivesse uma grama a menos - nem que fosse só mesmo uma grama! - eu ficava feliz e era para mim uma vitória.

 

O Estado de Emergência se bem me recordo terminou no dia 2 de Maio de 2020. Comecei a desconfinar aos poucos a partir dessa data, mas foi em Junho que voltei aos petiscos de verão, aos almoços tardios, às tardes passadas na esplanada. Toda a gente conhece a grande inimiga das dietas: A cerveja. E eu adoro cerveja, e a verdade é que estive tanto tempo privada em casa de tudo e de todos que decidi que não me ia privar mais. Continuei com o exercício físico, mas a verdade é que a alimentação deixou de ajudar e com isso estagnei - vá, ok, ok engordei 1kg.

 

Screenshot_1.png

23 de Novembro de 2020

 

Eis que volto assumir convosco um compromisso: A partir daqui continuará a ser sempre a descer.

 

O projeto é da quarentena, mas não é de hoje, começou em 2017 quando disse que não queria mais ser obesa. Comecei este grande percurso convosco, esta foi a primeira publicação, tinha, se bem me recordo, 85kg e apesar de ter recuperado uma parte do peso que perdi, poderão ver pelas seguintes fotografias que o meu corpo manteve-se mais ou menos o mesmo, porque também tenho aumentado a massa muscular ao longo dos anos.

 

Screenshot_2.png

Screenshot_3.png

 

Não vou negar que fico um pouco desiludida comigo por ter recuperado uma parte do tanto peso que perdi, mas como as transformações físicas não foram assim tão grandes - nota-se essencialmente na zona das coxas e dos braços - também não bato com a cabeça nas paredes. Mas...

 

... Pra frente é que é o caminho.

 

O meu objetivo inicial é voltar para os 65kg, o meu objetivo ideal é alcançar os 60kg, que é o peso recomendado para a minha estatura.

 

Bora lá? Acompanham a Mula desse lado?

 

 

Ps.: Espero que tenham apreciado a minha coleção de meias!

 

Ps.2: Em breve #parte 2 para vos falar sobre a evolução o sucesso da minha cessação tabágica.

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar e emagrecer (mas não vamos botar pressão nisto!)

Take 3 e 2 quartos

E mais de um mês depois de ter iniciado a toma de florais, iniciei o meu segundo frasquinho, por isso parece-me bem vir cá dar-vos feedback da coisa.

 

Qual era o foco mesmo? Brincadeira! 

 

Propus-me a dois objetivos nesta quarentena: Emagrecer - a minha grande prioridade - e deixar de fumar - a prioridade da minha carteira.

 

Então e como vai isso, Mula?

 

Imagem retirada daqui

 

No que toca a tabaco já estive, quase quase, a deixar de fumar. Já estive a fumar uma quantidade residual por dia, basicamente apenas a seguir às refeições, mas a verdade é que esta quarentena anda-me a trocar as voltas e ainda não consegui deixar totalmente, apesar de já ter passado vários dias sem tocar num único cigarro, sem que isso me causasse ansiedade ou vontade de cortar os pulsos. Os florais funcionam muito bem: sente-se vontade? Coloca-se umas gotinhas na boca e a vontade acalma - quando um floral adequado para o efeito, claramente. No entanto dei por mim a trabalhar horas seguidas sem tirar uma pausa - porque normalmente só paro para fumar ou comer, e tendo em conta que não queria nenhuma das duas coisas... - e como tal nunca larguei totalmente, mas ainda assim não fumo a quantidade que fumava em tempos e não sofro por ansiedade quando termina, ou quando saio de casa sem o maço, contrariamente ao que acontecia antes. Aqui assumo a minha responsabilidade na falência deste objetivo. Com os florais eu neste momento já conseguia ter deixado totalmente de fumar, mas há outras coisas igualmente importantes, como o descanso no trabalho para manter a saúde mental e enquanto não encontrar alternativas mantemo-nos assim. Basicamente fumo por aborrecimento, não por vício.

 

Quanto ao peso... tantantantan (imaginem dito com rufar de tambores):

 

Perdi um total de 5kg, mais 2kg desde o último feedback, e muito volume. Creio até que aumentei a massa muscular e reduzi bastante a massa gorda tendo em conta que acho que perdi demasiado volume para "apenas" 5kg. Muita roupa já me serve novamente, roupa de quando tinha peso inferior a 70kg e ainda estou acima dos 70, por isso vos digo que isto do peso não será muito real, mas ainda assim estou bastante satisfeita com os números da balança. Numa fase inicial os florais faziam-me ir à casa de banho de 15 em 15 minutos como se estivesse a tomar um drenante, o que é espetacular porque só uso umas 4 ou 5 gotinhas umas 6 ou 7 vezes ao dia e os resultados depurativos foram mesmo muito surpreendentes na fase inicial, e agora com o novo floral o mesmo voltou a acontecer, uma vez que tem uma nova fórmula para tratar outros problemas que entretanto se evidenciaram ao longo da terapia.

 

Claro que para emagrecer, e deixem-me fazer-vos esta salvaguarda, não é tomar o floral e sentar no sofá. O floral por si só, não emagrece! O meu floral personalizado tem componentes que me reduzem a vontade de comer, essencialmente a vontade de comer doces e outras porcarias, o resto é feito com o cu fora do sofá, claramente. Muitas caminhadas, treinos intercalados com caminhadas, e algum - bastante - tino a comer. Mas a verdade é que o meu floral tem um desempenho mesmo muito importante no que toda ao controlo da gula, da compulsão alimentar, que como sabem - porque já acompanham a Mula há tantos anos nesta luta - a Mula padece. Tenho inclusive passado por uns problemas pessoais e não estou, felizmente a refugiar-me na comida, e isso seria algo que iria de certeza acontecer se não estivesse em terapia. Tenho um armário cheio de chocolates. Ainda lá estão. Tenho gelados no congelador, contam-se pelos dedos de uma mão os que comi.

 

Por isso é isto.

 

Estou bastante satisfeita com os resultados. Se podiam ser melhores? Podiam, e eu até sei que era capaz de mais e melhor mas, prefiro dar um passo de cada vez, do que me atirar com os dois pés e ainda partir uma perna. Acho que o mais importante foi feito: reconheci um problema - neste caso dois - e encontrei ajuda e os passos, aos poucos, estão a ser dados.

 

E vocês, têm dados os passos necessários para os vossos objetivos?

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar (e emagrecer, mas não vamos botar pressão nisto!)

Evolução da coisa

 

Comecei a tomar florais há cerca de uma semana e meia, mais dia menos dia e a verdade é que apesar da Sara dizer que só iria, provavelmente, sentir efeitos após cerca de 15 dias, a verdade é que funcionaram muito bem logo nos primeiros dias e estive inclusive três dias sem fumar e estive bem, sem problemas. Sempre que me apetecia um cigarro lá iam umas gotinhas na língua e a alma amainava e rapidamente deixava de pensar nisso. Não me afligi, não senti stress ou suores frios, talvez só um pouco de irritação, mas a verdade é que não fumando também não tiro pausas no (tele)trabalho, o que origina stress. Preciso de encontrar uma ocupação para as minhas pausas. Trabalhar em casa já é cansativo o suficiente, não preciso de dar horas extras!

 

Apesar de estar a funcionar muito bem, ainda não deixei totalmente de fumar. Os intestinos pararam... Já foi o que me motivou a começar a fumar, sejamos sinceros. A verdade, e por muito estranho que vos possa parecer, o tabaco e o café criam-me uma rotina incrível nos intestinos. Quanto ao café nem vamos falar sobre isso, que o café que existe nesta casa não é passível de ser degustado, por isso não bebo café há exatamente 34 dias! Exatamente o mesmo número de dias que estou "trancada" em casa. Por isso acabar de vez com café e com tabaco foi demais para o meu corpo.

 

Entretanto descobri algumas maneiras de regular o dito, mas é preciso ir às compras e não me está apetecer andar à mercê do vírus. Moro só no 4º concelho mais afetado, o que é isso, não é verdade? Ir às compras é peaners, só que não, realmente. O que torna a aquisição de tabaco algo mais fácil, na bomba de combustível aqui da zona nunca tem muita gente, e o senhor está ali na cabinezita dele, é só encostar o cartão, está pago. Desinfetar o maço e as mãos e está feito! Mas vamos a factos. Fumava 10 a 12 cigarros diariamente, estou neste momento e com a ajuda do floral, a fumar 4 cigarros por dia. Inicialmente reduzi para 6, e agora 4 e a ideia é continuar a reduzir até zero, sem cortar radicalmente como fiz inicialmente.

 

Quanto à dieta...

 

 

Brincadeira!

 

A coisa está a correr bem! A verdade é que não estou a comer compulsivamente como comia, tenho-me controlado imenso e a última TPM nem dei por ela, tirando os 5 litros de água que verti pelos olhos, as cólicas que me fizeram rastejar pelo chão e as dores pneumáticas nos rins, foi fácinho, nem dei por ela. Incrivelmente não comi 2kg de bolachas por hora, e não abri e fechei os armários da cozinha mais do que o necessário.

 

Estou incrivelmente surpreendida, confesso. A Sara fica sempre um pouco aborrecida quando lhe digo que estou surpreendida porque "como é que duvidavas de mim?" e não duvidava efetivamente mas... Eu sou mesmo muito gulosa, não seriam umas gotinhas de plantas - bem gostosas por acaso - que me iriam fazer parar de querer comer este mundo e o outro. Ok! Preciso um pouco de água para ajudar a engolir as minhas palavras. Tudo bem Sara, leva lá a bicicleta, que também não podemos andar lá fora a pedalar...

 

Resultado: - 3kg nesta quarentena!

 

Claro está que proibi a mãe de transformar a cozinha numa padaria e pastelaria e óbviamente que continuo a treinar em casa que nem uma doidaapesar da dor no joelho não passar - que o produto é bom mas não é milagroso. E sim, eu só posso estar doida da cabeça que tenho treinado 5 dias por semana, e eu não fazia isto nem quando ia ao ginásio! Mas suponho que é demasiada energia acumulada por não ver gente, não falar com gente e passar 24h sobre 24h no mesmo espaço - é que estranhamente eu moro numa moradia mas é como se morasse um T0 eu não saio da mesma divisão a não ser para comer, até treinar eu treino no meu pequeno espaço!

 

E pronto é isto, estou surpreendida, estou a ter resultados, agora é continuar no Foco! Esqueçam que com fé já não vamos lá e a força tem de ser relativa que não quero partir candeeiros nem arranhar o flutuante.

 

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.