Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Constatações

 

O segredo para manter a linha e fechar a boca é...

 

Dormir!

 

Quanto mais tempo estivermos acordados, mais porcaria comemos. Mais engordamos. É quase impossível ter uma alimentação saudável e hipocalórica, para perda de peso, estando acordada, a viver rodeada de pessoas que passam a vida a comer, ou a falar de comida, ou a publicar fotos de comida, ... É difícil conviver com pessoas tipo eu, entendem? Então constatei, e está cientificamente provado, que a dormir eu não como - até me ser detetado sonambulismo guloso -, não penso em comida e como tal, não engordo!

 

Tardou mas encontrei a solução, agora é só convencer a minha médica de família a dar-me baixa médica para poder hibernar durante... um mês chegará?

Lutar contra o excesso de peso #26

 

Desde a operação ao nariz que deixei de pôr os pés no ginásio com regularidade. Ainda fui a uma ou outra aula, mas a verdade é que de forma regular e focada já não vou desde janeiro. Aliado a isto, uma fome desgraçada me tem atacado os dias. Meninas e meninos, nem vos conto, tenho parecido um leão que não come à semanas! E pronto... O inevitável aconteceu: Engordei!

 

Não, calma, não recuperei de enfiada os 20kgs que perdi... Mas desde Fevereiro/Março, que engordei uns 2 kgs e nestas férias engordei mais 3!... Isto requer medidas drásticas. Tenho tentado voltar a cozer a boca e chicotear-me sempre que penso em doces, mas a verdade é que acabei por tomar uma medida ainda mais drástica: Deixei o meu ginásio - aquele que tanto adoro, com os professores que eu adoro, com as aulas que eu adoro - para ir para um outro ginásio - que não me parece ter nada que eu adore, sou sincera - para ter companhia, para me forçar a treinar, e para ganhar juízo. Digamos que ganhei um PT privado nesta vida, e tenho de aproveitar.

 

Assim como assim... Sabem o que é que eu percebi? Difícil não é fazer dieta e perder peso, difícil é parar e retomar... É mais fácil seguir sempre em frente do que olhar para trás, dar um passao atrás, e depois voltar a seguir em frente. Só de me lembrar que tenho de voltar a ter juízo e voltar a ter horários para tudo nesta vida alimentar até se me dá um piripaque no coração... Mas dizem que o que tem de ser tem de ser, correto?

 

Quase aposto o meu dedo mindinho em como há alguém a ler-me na mesma luta que eu, por isso:

Juntas-te a mim neste recomeço? 'Bora lá!

Lutar contra o excesso de peso #25

 

 
Tenho estado doente. Ando com uma constipação que não me larga há 3 semanas e então afastei-me do ginásio. Mas, na segunda-feira regressei e regressei com tudo.  Marquei nova consulta de nutrição para a próxima segunda-feira e a avaliação física foi ontem, estou a precisar de um novo plano de treinos. Confesso que estava com um pouco de receio do tamanho do estrago, por ter estado tampo tempo longe do ginásio, mas confesso que me surpreendi com os resultados.
 
Ao nível do peso não houveram grandes alterações, apenas menos 200g - mas o que importa é que seja sempre a descer! Mas a nível de valores realmente alguém deve ter acendido uma velinha por mim... Perdi 1,8kg de massa gorda - não entendo como, à quantidade de porcarias que tenho comido ultimamente, mas o que interessa é que sim - e aumentei 1,5kg de massa muscular - um resultado ótimo para quem tem estado parada. Acredito que o facto de andar a "dar forte" na proteína, que tenha ajudado. E tenho feito algumas caminhadas - essencialmente do sofá para o frigorífico e o caminho de volta, deve ser por isso.
 
Uma das minhas maiores dificuldades, e como tem sido habitual nesta altura do ano é a água. Longe vão os dias em que bebia 1,5L/2L. Sei que é errado, e até tenho tentado beber chá, mas não sou fã de chá sem açúcar - causa-me azia... mais alguém com este problema? - e por isso acabo por beber muito pouco.
 
A nível de alimentação, tirando as imensas bombas calóricas que tenho consumido - não vou estar aqui com mimimis, tenho comido mesmo muita porcaria! - tenho-me alimentado bem. A verdade é que há muito que não faço dieta, há muito que como de tudo mas com tino por isso manter não tem sido nada difícil.
 
No que toca a tonificar, tenho de voltar a ter foco e ir ao ginásio com a cadência desejada, 3 a 4 vezes por semana. Quero regressar a TRX - já me dói só de pensar - e regressar ao meu Pilates - que tenho quase a certeza que é a mesma professora do outro ginásio.
 
Estou "magra", e coloco magra entre aspas porque não sou e nem nunca serei verdadeiramente magra, mas olho para o espelho e gosto do que vejo, mas estou muito flácida. Quero enrijecer o meu bumbum, tonificar os meus bracinhos e aumentar a carga para poder dar asas aos meus desejos alimentares sem culpa. Se é errado treinar para comer mais? Até é... Mas pouco importa. Sou saudável, sempre o fui, por isso deixem-me comer o que me apetecer. Logo que depois compense não é algo que me pese na consciência.
 
 
Segunda-feira tenho consulta com a nutricionista e será uma nova nutricionista, pois mudei de ginásio, por isso um novo plano alimentar me aguarda. Na realidade, e sou-vos muito sincera, nesta fase a nutricionista já não tem o peso que tinha. Vou mais para ter dicas, algumas correções e afins porque a nível alimentar já tenho as minhas rotinas bem definidas, mas é sempre bom continuar: 1º porque é uma forma de ter algum controlo regular; 2º porque há coisas que por vezes achamos que estamos a fazer bem mas não estamos efetivamente e a nutricionista atua nesse campo. Mas a verdade é que estou bem encaminhada.
 
Vou comprar um bom biquíni - se me deixarem não é verdade? - e antecipo o meu corpo de verão 2020. Se tudo correr bem, terei o meu corpo de verão 2019!

Lutar contra o excesso de peso #24

 

 

E desde Agosto que não ia à nutricionista... Muita coisa mudou desde então... Deixei de comer, de dormir, de ir ao ginásio... Deixei de fazer um pouco de tudo, e confesso que pensei que os resultados fossem desastrosos porque comecei logo a imaginar a minha massa muscular a perder-se para o infinito, e a massa gorda a tomar conta do meu corpo.

 

Mas não foi assim.

 

Claro que perdi um pouco de massa muscular - mas nada de significativo - mas perdi essencialmente gordura. Parece que as desilusões amorosas têm efeitos especiais sobre a gordura corporal humana.

 

E eis que em dois meses perdi mais 2kg e centímetros vários. Faltam 5kg para o objetivo final, ainda que, atualmente o meu objectivo não é o número da balança mas as medidas. Ainda tenho muita barriga. As coxas já não me preocupam porque até gosto de ter uma coxinha que se veja, mas barriga não... E parece que não há maneira da desgraçada me abandonar o corpo...

 

Parece que apesar de tudo as coisas até nem estão a correr mal, mas claro que agora nesta nova fase da minha vida as coisas não estão fáceis. Tenho de reerguer rotinas, estados de alma. Criar novas rotinas, novos objetivos e não é a melhor altura para ser restritiva ao nível alimentar. A nutricionista concorda e mandou abrandar. A nutricionista concorda e mandou ouvir um pouquinho o meu corpo. É preciso ter alguns mimos, mesmo através da comida. Tudo de forma controlada claramente. Só me proibiu de comer uma coisa como se não houvesse amanhã... Gelados? Não... Não como gelados como se não houvesse amanhã. Chocolate? Não, agora até um chocolate pequeno - daqueles de dose individual - me dá para dois ou três dias... Pão? Nada disso. Frutos secos minha gente! Ando viciada e ando a descontar nos frutos secos!

 

A mãe está a ajudar a comer saudavelmente: faz muito peixe, muitos legumes, e há sempre fruta para sobremesa. Há gelados claro. E só quem nunca comeu um gelado - será que existe? - é que não sabe o conforto que proporciona um gelado. Raramente como pão, parece que me libertei finalmente da gula do pão.

 

Mudei de ginásio, já lá fui algumas vezes mas não as vezes devidas, ainda não interiorizei a rotina ginásio como deve de ser, mas esta semana quero ir com força. Usar e abusar do exercício físico é preciso. Corpo ocupado mente tranquila! Preciso urgentemente de regressar a TRX... Sentir-me morta em TRX no ginásio, é sentir-me viva no dia seguinte na vida.

 

E a vossa luta como está? Aproveitem bem o inverno para lutarem pelo vosso corpo de verão! 

Lutar contra o excesso de peso #23

(imagem retirada daqui)

 

 

Semana passada fui à nutricionista. Estive quase dois meses sem lá ir, e posso desde já dizer-vos que não é tão mau como imaginei, espaçar as consultas. A verdade é que aos poucos pretendo autonomizar-me para que possa de futuro deixar a nutricionista sem achar que vou engordar tudo o que perdi só porque já não tenho ninguém a controlar o peso.

 

Neste mais de mês e meio perdi 1,5kg e alguns, vários, centímetros em todo o corpo. 67kg diz a balança. Já estive com 84kg... É nisto que eu penso quando estou mais em baixo, quando sinto que deixei de conseguir perder peso. Eu já estive com 84kg. 17kg  já foram! Não sou de me gabar, mas é impossível não me encher de orgulho quando me dizem que estou ótima. É impossível não me encher de orgulho quando cabeças se viram ou quando ouço um piropo.

 

Desde há três semanas que aumentei o número de idas ao ginásio. Estou a ir 4 vezes por semana fazer várias modalidades, e há muito que abandonei o meu plano por sugestão da nutricionista. A nutricionista aconselhou-me a fazer mais aulas e é isso mesmo que eu agora faço. Pilates à segunda-feira. Zumba à quarta-feira. Cycling à quinta-feira. TRX à sexta-feira. Se for ao ginásio no sábado, por me ter baldado algum dia durante a semana é cyling novamente. As aulas permitem-me uma maior rentabilidade pois não há aquela opção de: "bem estou cansada, vou-me embora!" Nas aulas por muito morta que eu esteja tenho de ficar até ao fim. Que remédio! Mas há dias, como sexta-feira passada, que me apetece bater e insultar os professores. Que ódio! Tenho concluído que quanto mais baixo é o professor mais demoníaco é também!

 

Esta semana perguntaram-me se eu continuava a fazer dieta ou se era só ginásio. Acreditam que não soube responder? Eu acho que já não estou a fazer dieta. Não sinto como se estivesse a fazer dieta. Como de tudo - meu Deus, comi 3 meias francesinhas no último mês! - e continuo a ter cuidados. Continuo a comer gelados, mas continuo a comer muitos legumes e a evitar os hidratos à noite - ou pelo menos a gerir muito bem a quantidade de hidratos que ingiro à noite. Já não é nada forçado. Já não ando com uma folhinha atrás para ver o que é que eu tenho de comer às onze horas e vinte cinco minutos e quantas amêndoas. A rotina já está interiorizada e continuo a ir à nutricionista mais para controlar medidas e receber dicas e alternativas ao que eu faço do que para me ensinar a comer. Eu isso já sei. Mesmo quando erro, eu sei por que é que estou a errar. Tornei o processo de comer muito mais consciente.

 

Neste momento uma das minhas maiores lutas é comer - quem diria que este dia iria chegar. Comer após o treino. Tenho ido para o ginásio super cansada e saído de lá exausta que a minha vontade de comer é zero. Por mim saía direita do ginásio para a cama. Mas não. Temos de comer proteína depois do treino para a recuperação dos músculos. Porra lá para a recuperação dos músculos!

 

Mas apesar de tudo sinto-me muito bem. Tirando os intestinos que sinceramente, desde que comecei a comer melhor, passaram funcionar pior... Mas verdade é que me sinto super bem, ando toda vaidosa, tenho roupa nova que adoro e que me fica bem. E andar bem é tudo nesta vida minha gente!

 

E agora temos como objetivo perder mais 1kg até à próxima consulta que é daqui a um mês, felizmente mesmo antes das férias!

 

Será que vou conseguir? Saberemos daqui a um mês!

Lutar contra o excesso de peso #22

Dia-de-pizza-na-dieta.jpg

Imagem retirada daqui

 

Apesar de os resultados estarem bastante mais lentos desde que me inscrevi no ginásio, a verdade é que eles vão aparecendo. Fez o mês passado 1 ano que iniciei esta luta. 1 ano! Nem acredito que consegui ter juízo durante mais de um ano... E 16kg já me desapareceram do bucho. Faltam apenas 7kg para o meu objetivo ser cumprido.

 

Confesso que neste momento sou uma das principais culpadas pela perda lenta. A verdade é que já não estou tão rígida no plano - acho que já não preciso de ser! -, já me permito mais coisas que não é suposto - e nem falemos das férias! - e já não me desespera o peso que tenho e por isso não me importo, neste momento, que os resultados sejam mais lentos. A verdade é que me sinto muito bem como estou.

 

Preciso de afinar as coxas, reduzir a barriga e perder a gordura do adeus. São estes os meus objetivos, mas no geral sinto-me muito bem como estou. No fundo o sentimento de nos sentirmos bem, é uma espécie de pequeno inimigo oculto que nos atrasa o objetivo. Não quero dizer com isto que me desleixei totalmente do plano. Não. Isso não aconteceu. Mesmo nas férias tive em atenção para não cometer demasiados excessos. E fui tentando manter o equilíbrio, até porque já não consigo comer tanto quanto comia, isso é um ponto assente.

 

Tenho a gordura visceral nos 4 valores. Já estive nos 8! Ao nível da percentagem de gordura saí finalmente dos níveis de obesidade estando nos 34%. Em Junho de 2017 quando iniciei esta jornada estava acima dos 44% de gordura. E apesar dos valores  ainda não serem os ideais, podem ver pela tabela abaixo que não estou assim tão distante de alcançar o valor ideal. Estou quase no verde e já estive no vermelho.

 

faixas_de_gordura.png

 Imagem retirada daqui

Body-Mass-Index-Chart-Child.png

Imagem retirada daqui

 

Por isso, acho que tenho mais do que razões para estar feliz com o que já alcancei, apesar de ainda precisar de mais uns pozinhos milagrosos - que de milagre tem 0 e de trabalho tem 100! - para alcançar finalmente o meu objetivo. 

 

Mas... Finalmente adoro ir às compras, encontro imensa roupa de que gosto e me fica bem e isso era o meu grande objetivo oculto. A minha autoestima está no seu exponencial máximo desde há uns anos e isso nota-se. Agora raramente ando mal disposta com o que como e por isso na realidade eu não perdi peso, eu ganhei foi saúde, energia e alegria.

 

Mas sabem o que realmente me faz bem ao ego, muito mais do que a roupa? É a reação das pessoas quando não as vejo há algum tempo. É que eu não tenho tanta noção - porque foi uma perda gradual - do que perdi, mas ver a reação das pessoas faz-me perceber que é uma perda bastante visível e isso faz-me muito, mas mesmo muito feliz.

 

E sabem o que é mais estranho? É estranho fazerem-me uma pergunta que eu fiz a outras pessoas ao longo de anos e anos: Como é que conseguiste? Toda a vida fui eu a fazer esta pergunta, e agora eu também faço parte do lote das pessoas que a ouve. Só vos posso dizer uma coisa, aliás, duas ou três: Não é fácil começar, não é mesmo nada fácil mudar de hábitos, mas quando percebemos o que funciona connosco, e quando começamos a ver os resultados, também não é tão difícil quanto parece porque a força de vontade faz o resto! 

 

Se me dissessem há uns anos que haveria dias - como ontem - que iria beber quase 3L de água eu não acreditaria. Se me dissessem há uns anos que eu hoje iria estar a comer sopa com atum ou com ovo ou papas de aveia com claras de ovo eu rir-me-ia de quem o dissesse, e hoje como e gosto e não o faço como um sacrifício mas como uma plataforma de lançamento - só a água nem sempre é fácil confesso. Se me dissessem há uns anos que eu iria dizer que já não passo sem o ginásio, eu iria rir-me em triplicado dessa pessoa, e estas duas semanas de férias em que estive afastada do ginásio fez horrores pela minha coluna, não só pelas minhas pernas, que as dores voltaram, mas essencialmente pelas minhas costas e ombros e mesmo pelo meu sono. Se me dissessem há uns anos que eu num ano iria conseguir perder 16kg eu rir-me-ia dessa pessoa. E hoje consegui. E acreditem que se eu consegui, qualquer pessoa consegue. Eu sou das pessoas mais gulosas que alguém pode conhecer. Eu consigo - e adoro! - e leite condensado às colheres. Eu adoro massa de rissol crua. Eu adoro chantilly e chocolate e se tivesse distraída 1L de gelado ia numa noite. Afastem o puré de mim que eu devoro taças dele. Sou louca por pão. Essencialmente se esse pão vier barrado com manteiga. Afastem a massa de mim, que eu devoro esparguete por 3 ou 4 pessoas. Ou devorava, vá, que isto agora a mente continua de gulosa mas o estômago é de pessoa normal. Tudo isto para vos dizer que eu sou uma pessoa que adora comer, e continuo a adorar, e continuo a comer de tudo o que gosto mas... Com tino meus amores, acima de tudo agora eu como com tino que era isso que eu não sabia fazer.

 

Acreditem em vocês, criem um objetivo e cumpram-no. Uma dica? Antes de começarem o vosso caminho planeiem bem a vossa "última" refeição antes da dieta, com tudo o que vocês gostam. Não se reprimam. Comam a vossa pizza favorita, o vosso pão carregado de manteiga, o gelado que mais gostarem. Comprem tudo. Comam e saboreiem tudo calmamente com as consciência de que amanhã será um novo dia e que as coisas vão mudar. Depois mentalizem-se e sigam à risca o plano que traçarem, pelo menos nos primeiros meses, depois quando tiverem mais auto-controlo podem permitir-se às vossas guloseimas favoritas. Outra dica? Criem planos realistas de pessoas reais, não há milagres nem planos em que perdem 20kg num mês de forma saudável.

 

Vocês não controlam tudo, não controlam as hormonas, não controlam onde perdem peso, mas pelo menos controlem o que colocam na boca, vão ver que é meio caminho andado para verem resultados. O poder também está do vosso lado!

 

E porque sei que já não vão a tempo do #corpodeverão2018 - nem a Mula! - já sabem, encontramo-nos na praia com o nosso #corpodeverão2020!

Lutar contra o excesso de peso #21

1496.gif

(imagem retirada daqui)

 

Mudei de vida há quase 11 meses. Comecei este longo percurso no dia 7 de Junho de 2017. Parece que o número sete dá sorte! É muito tempo? É! Há quem consiga mais em menos tempo? Há! Mas apesar de todos os entraves, estou muito feliz com o que já consegui. São 10 meses de luta diária. De esforço constante. O melhor destes 10 meses, é que mesmo quando os resultados não são satisfatórios são resultados em que nunca andei para trás. Ao longo destes 10 meses só aumentei de peso uma única vez e foi no primeiro mês de ginásio devido ao aumento da massa muscular. 

 

Desde então:

  • Perdi um total de 13kg e uns pozinhos - Já só faltam 9kg e fico feliz;
  • Baixei o IMC de 31,1 para 25,6 - Estou quase, quase a ter um IMC dito normal;
  • Reduzi a gordura visceral de 7,5 para 5,0 - Estou a reduzir as probabilidades de sofrer de um ataque cardíaco;
  • Diminui 15 cm na cintura - Mais perto do sonho de ter uma cinturinha de vespa;
  • Estreitei 8 cm na anca - Na realidade não deve dar para perder muito mais, que eu tenho anca larga, e mesmo quando era magra já usava o 38/40 de calça.

 

Mas para além do corpo, há muitas outras alterações:

  • Durmo melhor.
  • Ando muito mais bem disposta, porque tenho mais energia.
  • Já não ando constantemente enjoada e com azia.

 

Não vou negar: Os primeiros 10kg foram os mais fáceis de perder, hoje em dia já não é tão fácil assim.  A verdade é que a minha alimentação mudou como da noite para o dia e o corpo percebeu isso. Por isso e apesar de não fazer exercício físico a coisa foi correndo bem. Agora a perda de peso está mais lenta, mas vai acontecendo, só preciso é de ter paciência. Paciência é uma virtude, dizem.

 

Vamos a um resumo do que aconteceu ao longo destes 10 meses?

 

No primeiro mês perdi 4kg e uns pozinhos. Foi o mês em que perdi mais peso. No segundo mês perdi 2kg e mais outros pozinhos apesar de ter tido um casamento pelo meio. Em suma, dois meses e 6 kg tinham seguido o seu percurso sem mim e isso motivou-me a continuar, apesar de nesse segundo mês a coisa não ter corrido assim tão bem. Não desanimei. Continuei. No terceiro mês perdi mais 3kg e uns quantos centímetros em todo o corpo. Acho que foi por esta altura que comecei verdadeiramente a sentir-me mais magra. As roupas começaram a ficar muito mais folgadas, as calças a precisarem de cintos com mais furos e as pessoas já começaram a reparar e a elogiar. Faz-nos sempre bem ao ego os outros repararem que estamos mais magros. 

 

Depois fui de férias. No quarto mês de reeducação alimentar fui de férias. Aqui é que a porca começou a torcer o rabo. Exagerei um pouco nas férias. Deliciei-me com os petiscos dos Açores e foi aqui que o meu metabolismo embruxou, basicamente. Então os resultados da consulta pós-férias foram os piores de sempre: Nesse último mês perdi apenas 200g! 200g! Ainda hoje me apetece bater com a cabeça na parede. Mas... Porque na vida existe sempre um mas, os resultados não foram assim tão maus porque tive um aumento bastante significativo da massa muscular, e pelo que percebi aqueles 200g equivaliam a uma perda de 1kg, algo assim do género. Mas ainda assim 1kg num mês é pouco. Para mim era pouco. Mas eis que no quinto mês volto a perder apenas 1kg novamente. Nos inícios de Novembro, 5 meses após a grande mudança, 10kg já tinham ido para não mais voltar.

 

Depois disso foi sempre a sofrer para perder os restantes!

 

No mês de Novembro não perdi peso. Foi por isso no quinto mês que o meu metabolismo encravou de todo, pois por essa altura já deveria de estar abaixo dos 70kg e isso não aconteceu. Entrei por isso em Dezembro exatamente com o mesmo peso que tinha em Novembro para minha grande lapada na cara. 0g foi o que eu perdi. Felizmente 0g foi também o que eu ganhei, e prefiro ver o jogo por este lado. Por isso ao quinto mês, foi tempo de reformular o plano e torná-lo mais restrito. E assim em Dezembro, no sexto mês voltei finalmente a perder algum peso significativo. Perdi 1,5kg e consegui não engordar no Natal! Cheguei a Janeiro com menos umas gramas, nada de especial, mas que foi uma grande vitória já que no Natal comi que nem um alarve, confesso. Terminei assim o ano mais leve... 11,5kg mais leve. 

 

E foi em Janeiro que decidi inscrever-me no ginásio.

 

Após um mês de ginásio, e pela primeira vez, aumentei de peso. Aumentei 200g, é verdade, mas também é verdade que aumentei mais de 1kg de massa muscular por isso até aqui considero o resultado positivo. Felizmente este ganho foi uma vez sem exemplo e ao segundo mês de ginásio já perdi 500g e nos 15 dias que se seguiram, mais 1kg. Alcanço por isso, aos 10 meses de dieta - e agora de dieta e exercício - o marco dos 13kg perdidos.

 

Por esta altura, e de acordo com o meu plano inicial e com as expectativas das primeira nutricionista, eu já deveria de ter alcançado o meu objetivo em Dezembro de 2017 e em Abril de 2018 ainda estou a 9kg do meu objetivo mas... Que importa? Prefiro devagar e lá chegar, do que ser demasiado exigente e acabar a desistir.

 

Mas sabem o que acho mais curioso?

Como podem ver aqui com este semi-resumo, eu perdi a maior parte do peso entre Junho e Outubro, e só agora, 10 meses volvidos, é que as pessoas vêm continuadamente ter comigo perguntarem-me o que é que eu fiz porque estou bastante mais magra. É certo que estou a afinar a silhueta - uiii silhueta, como se eu tivesse disso! - com o exercício físico, mas ainda assim a mudança mais significativa ocorreu sem sombra de dúvidas lá atrás.

 

E é isto...

 

A Mula está cansada... Vai devagarzinho... Mas a Mula chega ao destino! Só precisa de tempo. E vocês? Já se juntaram à Mula para terem um #corpodeverão2020?

Lutar contra o excesso de peso #20

 

 

Começo mesmo a acreditar que devo estar a fazer alguma coisa errada. Na consulta passada fiquei desanimada porque apesar de ter aumentado a massa muscular e diminuído a massa gorda quase não reduzi medidas nem o peso. Finalmente perdi peso nestes 15 dias, mais propriamente 1kg. Deveria de estar feliz certo? Errado! O peso que perdi, perdi-o por ter perdido massa muscular.

 

Como é que perdi massa muscular, alguém me explica?

 

Vou três dias por semana ao ginásio, faço sempre musculação e tenho muito cuidado com a alimentação e até já aumentei a quantidade de água que bebo. É verdade que de momento não tenho conseguido aumentar carga porque ela para mim já está bastante pesada e ainda vai demorar algum tempo a conseguir aumentar, mas ainda assim treino direitinho, esforço-me, saio de lá feita num caco e os meus músculos fazem o quê? Mirram! Como?

 

Comecei a tomar um suplemento alimentar de ómega 3 por conselho da nutricionista. Estava relutante em tomá-lo mas após uma exaustiva pesquisa convenci-me. Ontem tive uma nova avaliação física para me ser alterado o plano, e serem introduzidos novos exercícios. Acho que me converti numa espécie de missão para um professor lá do ginásio. Após desabafar que as coisas não estavam a correr como suposto, pediu-me que fosse ele a fazer-me a avaliação e o plano "juntos vamos conseguir!" diz-me. Não tenho nada a perder, até lhe tenho simpatia - vamos ver se lhe vou continuar a ter simpatia após conhecer o plano de tortura - e por isso estou curiosa com o que me espera. Curiosa e receosa, claro está, já que 10 minutos depois me torturou numa sessão de apenas 20 minutos de abdominais! Exercícios do demo!

 

E hoje, após a avaliação de ontem, é dia de regressar à nutricionista, que tenho a certeza que não ficará lá muito feliz com os resultados obtidos e vai continuar a achar que eu é que não estou a cumprir o plano como devido... O que não é verdade. Mas eu no lugar dela também não acreditaria na pessoa que teria à frente... Ela continua, e continuará a fazer ajustes ao plano alimentar. Já eu... Já estive mais longe de marcar uma consulta com a médica de família para verificar se não tenho nenhum problema hormonal ou algo do género.

 

Mas claro que a falta de resultados poderia ser um motivo para eu começar a desistir. Mas não. A verdade é que desde que comecei a praticar exercício físico que me sinto melhor, que durmo melhor, que estou melhor do meu humor.

 

Por isso e apesar de tudo... Para a frente é que está o caminho! Melhores dias virão... espero!

5 Dicas para não faltarem ao ginásio

Não sou, claramente, nenhuma expertise nem a pessoa ideal para vos falar sobre este tema. Logo eu que sou Mula preguiçosa e que já fui a cliente ideal dos ginásios: daquelas que pagam certinho mas que nunca ocupam espaço. No entanto, tenho de admitir que existem dicas que minimizam as faltas. E a verdade é que eu tenho ido certinha nestes dois meses de inscrição e acima de tudo: continuo motivadíssima.

 

Por isso, falo-vos do que resulta comigo, é que a Mula continua gorda, mas a Mula vai ao ginásio quase tão certinho como um relógio suíço.

 

dicas.JPG

 

 

1. Ter sempre o saco pronto e de preferência na mala do carro. 

(imagem retirada daqui)

 

Já me aconteceu faltar ao ginásio pela preguiça de ter de preparar o saco. Parece parvoíce, porque a ida ao ginásio vai cansar muito mais do que preparar o dito, mas a verdade é que isso já aconteceu mais vezes do que me orgulho. Por isso tenho o hábito atual de ter sempre o saco preparado. Ou seja, vou ao ginásio, chego a casa, ponho a roupa a lavar e de seguida faço logo o saco para a próxima vez.

 

Mesmo quando pode não existir tempo para ir ao ginásio gosto de ter o saco sempre no carro, para quem vai de carro claro, porque já aconteceu ir num dia em que não estava previsto. Claro que se não estiver no carro mas estiver prontinho, é só ir a casa pegar e sair, mas ainda assim o facto de ter de se regressar a casa poderá ser motivo para: "ai afinal vou ficar aqui no sofá!" A minha experiência diz-me que devemos evitar, sempre que possível, ir a casa antes de irmos ao ginásio. A menos que seja um dia que estejamos em casa, pois claro.

 

 

2. Ter o mp3 recheado com as nossas músicas mexidas favoritas.

(imagem retirada daqui)

 

Eu Mula me confesso, quando me esqueço do mp3, ou o bicho está descarregado, os meus treinos são horríveis e isso nem me motiva a ir. Eu para treinar em condições tenho de me abstrair do que está à volta e por isso preciso de música animada aos berros nos meus ouvidos. Por isso se calho de não ter mp3 para treinar sei perfeitamente que quase mais valia nem ir ao ginásio. Os treinos vão ser rápidos, sem vigor, e sem qualquer tipo de motivação. O barulho das máquinas, o barulho das pessoas a queixarem-se ou a gemerem são mais que motivos para eu querer sair dali rapidamente. Por vezes quando fico sem mp3 uso o telemóvel com a fita de braço, mas acho, sinceramente acho, desconfortável e a verdade é que a música que tenho no telemóvel não é a melhor para treinar. Por isso não levem qualquer música. Levem música que vos deixem animados e com energia.

 

 

3. Arranjar uma boa companhia para os treinos.

(imagem retirada daqui)

 

É mais fácil arranjarmos desculpas para faltarmos aos treinos se não tivermos ninguém à nossa espera. Eu não tenho ninguém que me acompanhe, mas já tive, e sei bem reconhecer a diferença. Quando tinha uma companheira de treinos até acordava cedo para ir às primeiras aulas da manhã. Agora isso já não acontece. Felizmente, por vezes, tenho alguma companhia para alguns eventos que de outra forma não iria. Fui há duas semanas a um evento de Fit Brasil com umas colegas de trabalho, e fui no fim-de-semana passado a um dia aberto no ginásio de uma amiga. Treinar acompanhado é muito diferente, muito mais motivador e muito mais divertido. Claro que, quem tiver possibilidades financeiras pode sempre contratar um personal trainer que certamente fará o mesmo efeito. Eu não tenho.

 

 

4. Encontrar um ginásio perto de casa, ou perto do local de trabalho e estabelecer a altura dos treinos.

(imagem retirada daqui

 

Parece lógico, mas creio que nem sempre o é. Não é só importante a localização do ginásio, mas escolhermos a sua localização mediante os treinos que pretendemos fazer. Quem nunca escolheu um ginásio perto do local de trabalho na tentativa vã de ir na hora do almoço mas que depois percebeu que afinal não tem tempo suficiente, e depois quer ir para casa e o ginásio fica demasiado longe? E quem nunca escolheu um ginásio perto de casa e depois querendo ir à hora de almoço verificou não ser viável porque ficava demasiado longe? E quem nunca - aqui está claramente a Mula - escolheu um ginásio que nem era perto do trabalho nem perto de casa só porque era mais barato e que depois ficava claramente fora de caminho e tornou-se mais caro porque primeiro pagava e não ia, e segundo, quando ia gastava mais em transportes e/ou combustível? Devemos por isso antes de escolhermos o ginásio respondermos a algumas questões: Quando é que queremos treinar? Como é que queremos treinar? Vamos fazer aulas ou só máquinas? Quanto é que estou diposto a pagar?

 

 

5. Ter um plano adequado.

(imagem retirada daqui)

 

Odeiam correr mas o plano está feito para correr uma hora na passadeira? Claro que só de pensarem em ir ao ginásio que se vos arrepiam os pelos da nuca! Eu recuso-me a fazer coisas que não gosto, porque sei que há alternativas. Eu por exemplo no meu atual plano tinha um exercício que eu não gosto mesmo - que é subir para a caixa - e ainda fiz algumas vezes na tentativa de poder vir a gostar. Não, aquele exercício não era para mim e fazia-o totalmente contrariada por isso falei com quem de direito e optamos por um outro exercício, numa máquina, que eu gosto. Caixa é que não! Por isso se não gostarem de correr, quiçá preferiam a bicicleta ou vice versa. Se não gostam de uma certa máquina, certamente poderão exercitar-se com outra. Se não gostam de máquinas, quiçá sejam mais felizes com aulas. O que importa é mexerem-se e encontrarem um ponto de equilibrio entre o que gostam de fazer e o que têm de fazer.

 

E aqui a Mula ainda tem um incentivo extra: É que no dia que vou ao ginásio não tenho de cozinhar! 

 

 

E são estas as dicas que não sendo nada de especial resultam comigo. E vocês, que dicas têm para mim?

 

Lutar contra o excesso de peso # Inspiração da Semana

Nem só de altos se fazem os percursos de reeducação alimentar. Na realidade tantas vezes se fazem mais de baixos do que de altos... O próximo testemunho demonstra isso mesmo, e acima de tudo que é uma luta constante, que nunca, infelizmente, acabará, porque no dia que pararmos... No dia que pararmos então voltaremos a ganhar o peso todo que perdemos. Este é o testemunho da minha querida Sofia Gonçalves que já agora aproveito e faço publicidade. Visitem o The Daily Miacis, visitem que não se vão arrepender.

 

Gostava que a minha história fosse uma história de sucesso. De momento, até hoje não é, mas sei que será. A verdade é que sempre tive tendência a ser gordinha mas por outro lado sempre tive medicação que não me ajudasse muito. Quando era mais pequenina era a bailarina da coxa gorda. Fazia ballet e ginástica, mas as constantes crises de asma e alergia, faziam com que tivesse constantemente a tomar corticóides, que por sua vez, aumentavam me imenso o apetite. Juntem a isso os picos de fome por causa do crescimento. Agora com a ansiedade não é fácil porque a ideia da medicação é mesmo reduzir o metabolismo. O meu médico diz me que eu estou a arranjar bodes expiatórios, mas pensem um pouco: eu já faço dieta low carb, durante o dia não toco em pão, em massas, batatas, ou arroz. Como iogurtes cujo índice de hidratos sejam abaixo dos 5g, e tento evitar fruta, embora não a corte por completo porque as vitaminas da fruta também são necessárias. Já voltei ao ginásio regularmente, e a balança não se mexe. E bebo  2L de água por dia. É frustrante e desanimador. 

 

Tem dias como hoje, que olho para mim e vejo uma bolinha, vejo os defeitos todos.

 

Mas depois vou ao supermercado, que nesta altura do ano é um assédio constante de doces, e... não fico louca. Até apetecia um chocolate, mas não há nada que me deixe mesmo com vontade, então só pela gula de o ter e comer por ser doce, não compro. Vejam lá que eu este ano nem o meu kinder surpresa grande quero (ou estou mesmo fit ou é os  -inta a chegar)! Vou ao ginásio, e já consigo correr 15 minutos seguidos sem ficar com os pulmões de fora, já consigo fazer mais de 3 repetições de flexões seguidas, algo que eu há dois anos considerava impensável. 

 

Tudo isto para concluir que, sim é frustrante subir à balança e não ver melhorias, como é frustrante nem na roupa notar muito. Mas o objectivo também é nos manter-mos saudáveis, certo? Eu acredito muito no poder da cura através da alimentação, e acredito que tendo em conta o estilo de vida sedentário que temos nos dias de hoje é necessário fazer exercício para compensar. Logo, sim não sou nenhuma Carolina Patrocinio, nem nunca serei. Mas sou saudável, e isso é o que interessa acima de tudo. E com tempo as coisas vão lá, porque por muito que não note no meu corpo, noto na minha resistência e capacidade.

 

Por isso vamos em frente na luta que a passo de caranguejo eu chego lá na mesma.

 

Não creio sinceramete que hajam bodes expiatórios... A verdade é que fazes mesmo muito esforço. É horrível quando o nosso corpo não reage, quando parece que até o nosso corpo está contra nós! Falas sobre correr "15 minutos seguidos sem ficar com os pulmões de fora" acreditas que este ano corri pela primeira vez em toda a minha vida, exatamente isso? 15 minutos seguidos! Nunca tal tinha acontecido, nem quando andava na escola e prativava desporto com regularidade. Isto quer dizer, creio, muito sobre nós! Por isso sim. Lutemos acima de tudo por um estilo mais saudável do que por um peso "perfeito" - que nunca o é realmente, porque vamos sempre querer mais. Muita força, e chegaremos lá!

 

E vocês, juntam-se a nós nesta luta?

______________________________________

 

Partilhem a vossa história comigo. Enviem-me os vossos testemunhos por email para desabafosdamula@hotmail.com e aqui a Mula em altura oportuna partilha os vossos testemunhos aqui no blog. Testemunhos esses que poderão ajudar tanta gente na mesma luta. E se não quiserem que a vossa identidade seja revelada não há problema e que não seja esse o motivo da não partilha, digam-me, e o testemunho será publicado de modo totalmente anónimo. Vamos ajudar as pessoas a serem mais saudáveis?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.