Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Solteirices #2

O preconceito e o estereótipo

É inegável que há algum preconceito ligado às aplicações para conhecer novas pessoas. Preconceito esse com alguma bastante razão de ser. Há quem vá para as aplicações mascarado de boas intenções quando no fundo a intenção é só e apenas uma: a procura de sexo fácil. Ainda que não me parece que a sorte dessas pessoas esteja sempre do seu lado. Acima de tudo acho que deve existir transparência. Não é certo, nem errado, deve é ser-se transparente e encontrar matches com as mesmas intenções e está tudo certo. Quando assim não é, acho errado.

 

Apesar de saber que existem boas pessoas com boas intenções, ou sem qualquer intenção específica - a prova é que eu também lá fui parar... - a verdade é que eu também instalei a dita com algumas reticências e com os dois pés atrás, que só um pé atrás parecia-me pouco.

 

Num dos meus primeiros matches, um moço vem falar comigo e a primeira pergunta a seguir ao típico "olá, tudo bem?" foi "o que é que procuras por aqui?". Confesso que foi inesperado, e até precipitado, mas compreendo que as pessoas pretendam clarificação, a tal transparência de que vos falava. Claro que não imaginei o desfecho, levei logo a situação para o estereótipo que esperava da aplicação e respondi logo na defensiva. Expliquei que não procurava nada em específico, ao estilo do "estou só a ver" quando somos abordados pelos colaboradores das lojas de roupa ou sapatarias... Mas afinal o moço procurava um relacionamento sério e a minha contra informação não foi satisfatória e o moço não quis continuar a conversa. Achei justo. Estranho. Mas justo.

 

E é assim meninos e meninas, tenham cuidado que há quem vos queira pôr um anel no dedo no primeiro minuto de conversa...

 

 

Solteirices #1

Solteira e boa rapariga, decidi instalar uma aplicação para conhecer pessoas. Nada para essas badalhoquices que estão a pensar - ainda que nada contra e não nego que possa eventualmente acontecer - mas essencialmente para falar com pessoas, livremente, sem stresses, descontraidamente. Deixar fluir, aliviar a cabeça, a mente e o resto logo se vê. Conheci o Mulo na internet, ainda que há 20 anos atrás, quando as internetes ainda eram muito diferentes, quem sabe se não volto a encontrar alguém especial? Verdade que a minha disponibilidade atual também é mais reduzida, a paciência nula, e a vontade de falar zero, mas pronto, dizem que temos de contrariar, estou a tentar contrariar.

 

Não é difícil de perceber que as aplicações não são para mim. Para além das razões já enunciadas, descobri também que sou suficientemente exigente para recusar 90% dos possíveis candidatos à primeira triagem ao ponto da aplicação dizer que não tem mais ninguém para me mostrar, há já vários dias... Esgotei o stock de perfis... de portugueses. Agora, quando a aplicação me mostra alguém novo não é português... É espanhol, já a dizer "já que és esquisitinha com os nossos, vê se os de fora são melhores!". Choquem-se, não são. Paletes deles com tudo escrito em espanhol, com ar de espanhol, nome espanhol e localização espanhola. A sabedoria popular diz que: De Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Não que eu ache que vá encontrar um príncipe encantado numa aplicação e contrair matrimónio mas... há que ter algum foco.

 

Outra razão terrível das aplicações é quando nos mostram gente conhecida!

 

Sim, aconteceu, obviamente carreguei logo no X com muita veemência e acendi velinhas para que recusando eu, não apareça como sugestão do outro lado. Já lá encontrei o Mulo, o ex-moço e um colega. É uma alegria.

 

Já eliminei a conta vezes sem conta, instalei e registei-me outras tantas vezes, é que ainda por cima passando a maior parte do tempo sem ter ninguém para ver, a coisa nem divertida é...

 

Pelo pouco tempo que lá passei e pelas poucas pessoas com quem já falei já consigo traçar alguns perfis...

 

De futuro falar-vos-ei do tipo de pessoas com que me cruzei para que se riam comigo. Sim, é para rir!

 

Mas antes pergunto-vos: Quem já andou a explorar este mundo novo, têm histórias engraçadas para contar?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.