Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Solteirices #5

solteira5.jpg

Imagem retirada daqui

 

Com o passar do tempo, e após colecionar uns tantos anormais, desisti das aplicações. Desisti umas quantas vezes, quando a solidão batia, lá instalei mais algumas vezes e fui alternando entre opiniões e situações. Definitivamente as aplicações não são para mim, por diversos motivos, inclusive e essencialmente, devido à minha falta de paciência e à quantidade de anormais que nelas constam como, de resto, já tínhamos concluído.

 

Neste seguimento, uma amiga minha vendeu-me as vantagens do orgânico*.

 

Não vivemos num mundo onde o orgânico verdadeiramente funcione. Concluí que já ninguém conversa, sem ser pelo telemóvel. Concluí que se um grupo de rapazes sair e no mesmo espaço estiverem um grupo de raparigas, que já não há a situação de meterem conversa, de tentarem conhecer. No máximo, tenta-se encontrar a conta do Facebook e do Instagram para se tentar obter mais informações e por lá meterem conversa. Se entendo? Entendo, atrás de um ecrã estamos mais seguros, perante a possibilidade de rejeição. Se concordo? Não concordo.

 

Em tempos estive na praia sozinha, fiz de propósito para ficar perto de um moço bem jeitoso - que eu tenho um olho extremamente rápido e clínico para avaliar os spots - e ali ficamos os dois durante horas. O moço não tirava os olhos aqui da Mula, a Mula não tirava os olhitos do moço... E depois? E depois nada, foi isto! Se o meu espírito de mulher independente e empoderada poderia ter dado corda aos meus sapatinhos - que não tinha, porque estava na praia -  e ter ido lá meter-me co moço?  Poderia sim senhora. Se eu fui? Não fui não senhora. Nem ele! E porquê? Concluí que o tradicional há muito que deixou de ser confortável...  Se é triste? É! 

 

Percebi, que se falar com moços pessoalmente, que venham do modo orgânico e que possam de alguma forma me interessar - que também já aconteceu - que viro totó. Gaguejo... Coração acelera e só digo coisas sem sentido e com a língua meia que enrolada - no mau sentido - e por isso a modos que descobri que não tenho desenvoltura suficiente para ser uma solteira bem sucedida no mundo do engate. Isto do orgânico não é para mim... E nas aplicações não há ninguém para mim... (ou se há... está muito bem escondido!)

 

A modos que concluo que não procuro nenhum príncipe encantado... Procuro o lobo mau, que tenha espírito de iniciativa, foco e dedicação e que dê os primeiros passos por esta atada da Mula, porque de outro modo estou a antever que vou morrer solteira!

 

 

*Pela via tradicional.

Solteirices #4

Cenas da vida real

Já vos tinha dito por aqui algures que tinha encontrado malta conhecida nas apps, inclusive um colega lá do trabalho. Não somos propriamente colegas, ele trabalha noutra empresa, mas adiante cruzamo-nos com elevada frequência.

 

Tinha esperanças de apenas eu o ter visto e que rejeitando-o, eu poderia não lhe aparecer. Sou tão inocente!

 

Não... O moço não me veio abordar... Seria altamente constrangedor... 

 

 

Mas estranhamente já não diz "Bom dia", diz "Bom dia, Mula!" todo sorrisos e simpatias quando anteriormente praticamente entrava mudo e saía calado. Agora volta e meia manda umas piadas, tenta meter conversa...

 

E é isto... Não desmerecendo, atenção, que até parece bom moço, não é mal apessoado nem nada, mas não... É um redondo não e só espero que não se lembre de vir dizer que me viu... Que eu finjo demência! #deusmefree como diz a minha chefe.

 

P.s.: isto anda estranho e eu ando a usar demasiadas hashtags. Quando estiver a abusar preguem-me com dois valentes coices para eu atinar, mas com carinho que #avossamulaestácarente. 

Solteirices #3

Relacionamentos - pouco - sérios

Nas aplicações há de tudo como na farmácia. E quando digo de tudo, é mesmo de tudo, desde casados à procura de atividades extras, até a casados à procura de atividades em casal... Ainda recordo com alguma ternura - #sóquenão - o primeiro casal que encontrei à procura de uma moça marota para se juntar... Nada contra, atenção, mas confesso que me chocou um pouco e ainda fiquei ali alguns segundos a tentar perceber por que é que estava a ver duas pessoas numa foto e não apenas uma como habitual...

 

Mas há realmente de tudo... Há boas pessoas e más pessoas. Há pessoas à procura de relacionamentos sérios e pessoas que claramente têm um objetivo específico e que não passa por um relacionamento e muito menos sério.

 

Hoje falo-vos das pessoas que procuram o lado menos sério da coisa.

 

Uma vez mais, nada contra, logo que de acordo entre as duas pessoas, mas há abordagens algo assustadoras. Já tive de olhar uma segunda vez para a app e por momentos quase achei que tinha instalado por engano - sei lá, é pouco provável mas não digo que seja impossível - uma daquelas apps de sexo casual imediato. Basicamente recebi um "Olá, tudo bem? Estás a trabalhar neste momento?" confesso que fiquei algo apreensiva com a pergunta, demorei a responder e é possível que entre a demora e a minha resposta não satisfatória que o moço perdeu as vontades porque basicamente deixou de responder... Moço apessoado, cheio de pressas. Uma pena. Bloqueado.

 

Uma outra vez fiquei confusa com o discurso do moço. Perguntou-me o que andava por ali a fazer - ao fim de alguns dedos de conversa, vá - expliquei-lhe que andava basicamente a ver montras sem grande interesse de comprar, e ele disse-me os seus interesses, algo baralhados. Explicou-me que não tinha interesse num relacionamento, mas que também não queria algo de uma noite mas que procurava algo mais físico. Baralhados? Eu também. Fiquei com a ideia que queria uma fuck buddie mas também não quis explanar o assunto. Continuamos a falar. Fiquei também confusa quanto à continuação da conversa, banal, sem saber se achava que me converteria, ou se apenas não tinha aparecido mais ninguém para falar naquele momento e entre ter nada e nada mais um, que pronto, nada mais um era melhor que nada...

 

Já encontrei também moçoilos que dizem que não procuram essas badalhoquices modernas, provavelmente porque disse primeiro que não era o que eu queria, mas que depois claramente procuram essas badalhoquices modernas. Ai a falta de transparência... Acabaram bloqueados também.

 

Percebem por que é que estou sozinha e por que é que não me aparece ninguém na App? Claramente eu não sou a melhor cliente e posso acabar a avaliar negativamente a dita... Assim levam-me a desistir por livre e espontânea vontade. 

 

Depois há um outro problema, que eu julgava ser um problema meu mas falando com uma amiga percebi que afinal sou mais normal do que aparento. Recuso quer moços pouco bonitos - não querendo dizer feios mas já dizendo... julgamentos em 3...2...1...-, mas também não faço like a moços demasiado bonitos, que o meu esteriótipo leva-me logo para a ideia de que "se é bonito é mal intencionado!" e "se a coisa a avança, vou-me lixar!" É pensar demais? É... Mas sempre ouvi dizer que o seguro morreu de velho... e mais vale precaução... Mas a verdade é que sobram muito poucas opções, e tendo eu já poucas opções na verdade...

 

E a modos que é isto...

 

#foreveralone

 

 

 

P.s.: Isto não está fácil, até numa operação stop com polícias jeitosos, mandaram parar TODOS os carros que iam à minha frente... Todos menos o meu... Nem a polícia quer nada comigo... e eu que já ia toda lançada para dizer "prenda-me, prenda-me e faça-me maldades que eu sou uma má menina e portei-me mal", mas nem eles... nem eles...

Solteirices #2

O preconceito e o estereótipo

É inegável que há algum preconceito ligado às aplicações para conhecer novas pessoas. Preconceito esse com alguma bastante razão de ser. Há quem vá para as aplicações mascarado de boas intenções quando no fundo a intenção é só e apenas uma: a procura de sexo fácil. Ainda que não me parece que a sorte dessas pessoas esteja sempre do seu lado. Acima de tudo acho que deve existir transparência. Não é certo, nem errado, deve é ser-se transparente e encontrar matches com as mesmas intenções e está tudo certo. Quando assim não é, acho errado.

 

Apesar de saber que existem boas pessoas com boas intenções, ou sem qualquer intenção específica - a prova é que eu também lá fui parar... - a verdade é que eu também instalei a dita com algumas reticências e com os dois pés atrás, que só um pé atrás parecia-me pouco.

 

Num dos meus primeiros matches, um moço vem falar comigo e a primeira pergunta a seguir ao típico "olá, tudo bem?" foi "o que é que procuras por aqui?". Confesso que foi inesperado, e até precipitado, mas compreendo que as pessoas pretendam clarificação, a tal transparência de que vos falava. Claro que não imaginei o desfecho, levei logo a situação para o estereótipo que esperava da aplicação e respondi logo na defensiva. Expliquei que não procurava nada em específico, ao estilo do "estou só a ver" quando somos abordados pelos colaboradores das lojas de roupa ou sapatarias... Mas afinal o moço procurava um relacionamento sério e a minha contra informação não foi satisfatória e o moço não quis continuar a conversa. Achei justo. Estranho. Mas justo.

 

E é assim meninos e meninas, tenham cuidado que há quem vos queira pôr um anel no dedo no primeiro minuto de conversa...

 

 

Solteirices #1

Solteira e boa rapariga, decidi instalar uma aplicação para conhecer pessoas. Nada para essas badalhoquices que estão a pensar - ainda que nada contra e não nego que possa eventualmente acontecer - mas essencialmente para falar com pessoas, livremente, sem stresses, descontraidamente. Deixar fluir, aliviar a cabeça, a mente e o resto logo se vê. Conheci o Mulo na internet, ainda que há 20 anos atrás, quando as internetes ainda eram muito diferentes, quem sabe se não volto a encontrar alguém especial? Verdade que a minha disponibilidade atual também é mais reduzida, a paciência nula, e a vontade de falar zero, mas pronto, dizem que temos de contrariar, estou a tentar contrariar.

 

Não é difícil de perceber que as aplicações não são para mim. Para além das razões já enunciadas, descobri também que sou suficientemente exigente para recusar 90% dos possíveis candidatos à primeira triagem ao ponto da aplicação dizer que não tem mais ninguém para me mostrar, há já vários dias... Esgotei o stock de perfis... de portugueses. Agora, quando a aplicação me mostra alguém novo não é português... É espanhol, já a dizer "já que és esquisitinha com os nossos, vê se os de fora são melhores!". Choquem-se, não são. Paletes deles com tudo escrito em espanhol, com ar de espanhol, nome espanhol e localização espanhola. A sabedoria popular diz que: De Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Não que eu ache que vá encontrar um príncipe encantado numa aplicação e contrair matrimónio mas... há que ter algum foco.

 

Outra razão terrível das aplicações é quando nos mostram gente conhecida!

 

Sim, aconteceu, obviamente carreguei logo no X com muita veemência e acendi velinhas para que recusando eu, não apareça como sugestão do outro lado. Já lá encontrei o Mulo, o ex-moço e um colega. É uma alegria.

 

Já eliminei a conta vezes sem conta, instalei e registei-me outras tantas vezes, é que ainda por cima passando a maior parte do tempo sem ter ninguém para ver, a coisa nem divertida é...

 

Pelo pouco tempo que lá passei e pelas poucas pessoas com quem já falei já consigo traçar alguns perfis...

 

De futuro falar-vos-ei do tipo de pessoas com que me cruzei para que se riam comigo. Sim, é para rir!

 

Mas antes pergunto-vos: Quem já andou a explorar este mundo novo, têm histórias engraçadas para contar?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.