Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos da Mula

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos.

Desabafos da Mula

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar e emagrecer (mas não vamos botar pressão nisto!)

Take 3 e 2 quartos

E mais de um mês depois de ter iniciado a toma de florais, iniciei o meu segundo frasquinho, por isso parece-me bem vir cá dar-vos feedback da coisa.

 

Qual era o foco mesmo? Brincadeira! 

 

Propus-me a dois objetivos nesta quarentena: Emagrecer - a minha grande prioridade - e deixar de fumar - a prioridade da minha carteira.

 

Então e como vai isso, Mula?

 

Imagem retirada daqui

 

No que toca a tabaco já estive, quase quase, a deixar de fumar. Já estive a fumar uma quantidade residual por dia, basicamente apenas a seguir às refeições, mas a verdade é que esta quarentena anda-me a trocar as voltas e ainda não consegui deixar totalmente, apesar de já ter passado vários dias sem tocar num único cigarro, sem que isso me causasse ansiedade ou vontade de cortar os pulsos. Os florais funcionam muito bem: sente-se vontade? Coloca-se umas gotinhas na boca e a vontade acalma - quando um floral adequado para o efeito, claramente. No entanto dei por mim a trabalhar horas seguidas sem tirar uma pausa - porque normalmente só paro para fumar ou comer, e tendo em conta que não queria nenhuma das duas coisas... - e como tal nunca larguei totalmente, mas ainda assim não fumo a quantidade que fumava em tempos e não sofro por ansiedade quando termina, ou quando saio de casa sem o maço, contrariamente ao que acontecia antes. Aqui assumo a minha responsabilidade na falência deste objetivo. Com os florais eu neste momento já conseguia ter deixado totalmente de fumar, mas há outras coisas igualmente importantes, como o descanso no trabalho para manter a saúde mental e enquanto não encontrar alternativas mantemo-nos assim. Basicamente fumo por aborrecimento, não por vício.

 

Quanto ao peso... tantantantan (imaginem dito com rufar de tambores):

 

Perdi um total de 5kg, mais 2kg desde o último feedback, e muito volume. Creio até que aumentei a massa muscular e reduzi bastante a massa gorda tendo em conta que acho que perdi demasiado volume para "apenas" 5kg. Muita roupa já me serve novamente, roupa de quando tinha peso inferior a 70kg e ainda estou acima dos 70, por isso vos digo que isto do peso não será muito real, mas ainda assim estou bastante satisfeita com os números da balança. Numa fase inicial os florais faziam-me ir à casa de banho de 15 em 15 minutos como se estivesse a tomar um drenante, o que é espetacular porque só uso umas 4 ou 5 gotinhas umas 6 ou 7 vezes ao dia e os resultados depurativos foram mesmo muito surpreendentes na fase inicial, e agora com o novo floral o mesmo voltou a acontecer, uma vez que tem uma nova fórmula para tratar outros problemas que entretanto se evidenciaram ao longo da terapia.

 

Claro que para emagrecer, e deixem-me fazer-vos esta salvaguarda, não é tomar o floral e sentar no sofá. O floral por si só, não emagrece! O meu floral personalizado tem componentes que me reduzem a vontade de comer, essencialmente a vontade de comer doces e outras porcarias, o resto é feito com o cu fora do sofá, claramente. Muitas caminhadas, treinos intercalados com caminhadas, e algum - bastante - tino a comer. Mas a verdade é que o meu floral tem um desempenho mesmo muito importante no que toda ao controlo da gula, da compulsão alimentar, que como sabem - porque já acompanham a Mula há tantos anos nesta luta - a Mula padece. Tenho inclusive passado por uns problemas pessoais e não estou, felizmente a refugiar-me na comida, e isso seria algo que iria de certeza acontecer se não estivesse em terapia. Tenho um armário cheio de chocolates. Ainda lá estão. Tenho gelados no congelador, contam-se pelos dedos de uma mão os que comi.

 

Por isso é isto.

 

Estou bastante satisfeita com os resultados. Se podiam ser melhores? Podiam, e eu até sei que era capaz de mais e melhor mas, prefiro dar um passo de cada vez, do que me atirar com os dois pés e ainda partir uma perna. Acho que o mais importante foi feito: reconheci um problema - neste caso dois - e encontrei ajuda e os passos, aos poucos, estão a ser dados.

 

E vocês, têm dados os passos necessários para os vossos objetivos?

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar (e emagrecer, mas não vamos botar pressão nisto!)

Evolução da coisa

 

Comecei a tomar florais há cerca de uma semana e meia, mais dia menos dia e a verdade é que apesar da Sara dizer que só iria, provavelmente, sentir efeitos após cerca de 15 dias, a verdade é que funcionaram muito bem logo nos primeiros dias e estive inclusive três dias sem fumar e estive bem, sem problemas. Sempre que me apetecia um cigarro lá iam umas gotinhas na língua e a alma amainava e rapidamente deixava de pensar nisso. Não me afligi, não senti stress ou suores frios, talvez só um pouco de irritação, mas a verdade é que não fumando também não tiro pausas no (tele)trabalho, o que origina stress. Preciso de encontrar uma ocupação para as minhas pausas. Trabalhar em casa já é cansativo o suficiente, não preciso de dar horas extras!

 

Apesar de estar a funcionar muito bem, ainda não deixei totalmente de fumar. Os intestinos pararam... Já foi o que me motivou a começar a fumar, sejamos sinceros. A verdade, e por muito estranho que vos possa parecer, o tabaco e o café criam-me uma rotina incrível nos intestinos. Quanto ao café nem vamos falar sobre isso, que o café que existe nesta casa não é passível de ser degustado, por isso não bebo café há exatamente 34 dias! Exatamente o mesmo número de dias que estou "trancada" em casa. Por isso acabar de vez com café e com tabaco foi demais para o meu corpo.

 

Entretanto descobri algumas maneiras de regular o dito, mas é preciso ir às compras e não me está apetecer andar à mercê do vírus. Moro só no 4º concelho mais afetado, o que é isso, não é verdade? Ir às compras é peaners, só que não, realmente. O que torna a aquisição de tabaco algo mais fácil, na bomba de combustível aqui da zona nunca tem muita gente, e o senhor está ali na cabinezita dele, é só encostar o cartão, está pago. Desinfetar o maço e as mãos e está feito! Mas vamos a factos. Fumava 10 a 12 cigarros diariamente, estou neste momento e com a ajuda do floral, a fumar 4 cigarros por dia. Inicialmente reduzi para 6, e agora 4 e a ideia é continuar a reduzir até zero, sem cortar radicalmente como fiz inicialmente.

 

Quanto à dieta...

 

 

Brincadeira!

 

A coisa está a correr bem! A verdade é que não estou a comer compulsivamente como comia, tenho-me controlado imenso e a última TPM nem dei por ela, tirando os 5 litros de água que verti pelos olhos, as cólicas que me fizeram rastejar pelo chão e as dores pneumáticas nos rins, foi fácinho, nem dei por ela. Incrivelmente não comi 2kg de bolachas por hora, e não abri e fechei os armários da cozinha mais do que o necessário.

 

Estou incrivelmente surpreendida, confesso. A Sara fica sempre um pouco aborrecida quando lhe digo que estou surpreendida porque "como é que duvidavas de mim?" e não duvidava efetivamente mas... Eu sou mesmo muito gulosa, não seriam umas gotinhas de plantas - bem gostosas por acaso - que me iriam fazer parar de querer comer este mundo e o outro. Ok! Preciso um pouco de água para ajudar a engolir as minhas palavras. Tudo bem Sara, leva lá a bicicleta, que também não podemos andar lá fora a pedalar...

 

Resultado: - 3kg nesta quarentena!

 

Claro está que proibi a mãe de transformar a cozinha numa padaria e pastelaria e óbviamente que continuo a treinar em casa que nem uma doidaapesar da dor no joelho não passar - que o produto é bom mas não é milagroso. E sim, eu só posso estar doida da cabeça que tenho treinado 5 dias por semana, e eu não fazia isto nem quando ia ao ginásio! Mas suponho que é demasiada energia acumulada por não ver gente, não falar com gente e passar 24h sobre 24h no mesmo espaço - é que estranhamente eu moro numa moradia mas é como se morasse um T0 eu não saio da mesma divisão a não ser para comer, até treinar eu treino no meu pequeno espaço!

 

E pronto é isto, estou surpreendida, estou a ter resultados, agora é continuar no Foco! Esqueçam que com fé já não vamos lá e a força tem de ser relativa que não quero partir candeeiros nem arranhar o flutuante.

 

Projecto da Quarentena: Deixar de fumar (e emagrecer, mas não vamos botar pressão nisto!)

Com ajuda de terapias alternativas: Florais de Bach

Como sabem, porque já vos falei das maravilhas desta terapia, faço Barras de Access com a Sara, e vi vários e bons resultados na minha vida. E quando mais precisava de fazer barras é quando não posso fazer... E esta quarentena não está a ser fácil... Tenho a cabeça a mil! Agora já não há saídas para não pensar nos problemas, já não há as conversas horas a fio com as amigas para esquecer aquilo que não quero enfrentar (ainda que sejam chat's mil no WhatsApp, no Messenger ou no Hangout). Agora não há almoços animadores, ou jantares libertadores. Há eu, e quatro paredes. As noites são fantásticas cheias de pesadelos.

 

O tabaco também está a terminar... E porque não vou arriscar a minha vida por um maço de tabaco (como se um cigarro por si só não fosse já risco suficiente) comecei a botar as mãos à cabeça.

 

Eis que a Sara, como sempre prestável e de uma sensibilidade incrível decidiu ajudar aqui a Mula à distância. Barras estavam fora de questão. Mas "há outra solução", diz-me.

 

Tive com ela uma consulta à distância de um clique no WhatsApp para que me pudesse produzir um floral personalizado com o objetivo de reduzir a minha ansiedade que por sua vez pretende reduzir a neura emocional que me faz recorrer aos doces (a nossa tão querida fome emocional que engorda mais do que qualquer outra fome!) e me faz fumar um cigarro atrás do outro só para passar o tempo e aliviar um pouco a alma e o coração.

 

 

E o que são florais perguntam vocês?

 

Chamam-se Florais de Bach, e são preparados através de 38 essências naturais. Cada floral pode conter até 7 essências diferentes , para atuar em vários pontos/sintomas emocionais dos indivíduos, mediante os problemas de cada um, como o stress, a ansiedade, a falta de vitalidade, entre muitos outros problemas. Estas essências são naturais, suaves, não invasivas e não tóxicas. Ou seja, os Florais de Bach são uma terapia energética, em que cada essência harmoniza um determinado estado emocional negativo - como o medo, a raiva, o desespero - restabelecendo o equilíbrio.

 

E para se chegar ao floral certo de cada indivíduo é necessário perceber o que o atormenta. E é aqui que a Sara entra. A Sara para poder produzir o meu floral personalizado, realizou-me uma consulta de cerca de 1 hora - o tempo pode depender de pessoa para pessoa, porque são exploradas algumas questões pessoais e vai depender da forma como a pessoa se pode expressar ou não - onde me fez várias questões, conduzindo-me aos meus bloqueios mesmo sem eu perceber. Fez questões sobre o meu presente, o meu passado, e a forma como vejo o futuro. Tendo em conta que o meu objetivo é o deixar de fumar e o emagrecimento, explorou os motivos que me levam a comer ou a fumar, e posso já dizer-vos que podemos achar que nos conhecemos muito bem, mas conhecemo-nos zero tantas vezes, e houve tantas questões que realmente eu não soube responder, porque desconheço a origem, mas fez-me pensar sobre as coisas e por si só já é muito positivo. Bem, e após esta consulta e com base no que eu falei a Sara produziu o meu floral.

 

Chegou no final da semana passada! Ei-lo:

 

IMG_20200403_144614.jpg

 

No meu caso: 4 gotinhas 5 ou 6 vezes ao dia, e outras 4 em caso de SOS - sempre que me der uma vontade enorme de fumar, ou de comer um chocolate por exemplo. 

 

Dentro de duas semanas terei uma consulta - online, claro - de acompanhamento, para ver como está a correr, mas a Sara é sempre muito preocupada e tem desde sempre perguntado se estou a fazer tudo direitinho, dá-me na cabeça quando me esqueço.... (ups, se calhar isto não era para dizer!) e tem-me acima de tudo acompanhado. Está sempre à distância de um clique.

 

Se o floral fizer efeito, estarei como na primeira consulta, sentadinha, confortável com um ar relativamente normal - dentro do que me é possível. Se o floral não estiver a funcionar estarei mais ou menos assim:

 

 

Porque a coisa correndo mal já não devo andar com os dois pés no chão!... Esta quarentena vai matar-me os poucos neurónios que tenho!

 

Mas como é que é? Acompanham-me nesta luta? E vamos a apostas: A Mula deixa ou não deixa de fumar de vez? Emagrecer a Mula vai emagrecer, que a comida não dura para sempre não é verdade?... 

 

 

Se quiserem o vosso Floral Personalizado falem com a Sara através do facebook, ou até mesmo através do Instagram e saibam todos os pormenores, posso já adiantar-vos que a consulta é gratuita e pagam apenas pelo floral, por isso 'bora lá explorar o assunto.

 

Em breve dou-vos novidades sobre como isto está a correr!

A minha primeira vez com gongos e taças tibetanas...

... Ou com meditação guiada no geral!

Pode parecer que não, já que a Mula é doida da cabeça, mas... continuamos a falar de saúde mental através de terapias alternativas. Curiosos?

 

tacas-tibetanas-618x385.jpg

Imagem retirada daqui

 

 

A Mula não é boa da cabeça, isso já todos vocês sabem. O que talvez não saibam é que se relaciona com pessoas piores que ela. E foi assim sem perceber muito bem como, que a Mula foi arrastada para uma sessão de meditação com taças e gongos tibetanos a um sábado à noite.

 

O que é isso? Não sei, que eu também não vi, mas olhem que senti... Ó se senti, e só vos tenho a dizer bem. Mas adiante.

 

Duas malucas foram assim meditar para cascos de rolha com coisas que vêm de tão longe, e tenho-vos a dizer que quase foram ouvir uma palestra do Reino de Deus... É que para a Mula Rua, Travessa, Parque é tudo a mesma coisa e fomos parar ao fim do mundo errado. Mas lá demos com aquilo. Chegamos atrasadas, é facto, mas em nossa defesa não fomos as últimas e isso, por si só já me alivia os ombros - convém, já que para relaxar também é preciso relaxar o corpo, nomeadamente os ombros.

 

A verdade é que estou nesta onda da meditação. Já o faço em Pilates - em certa medida - mas não é suficiente. Mais do que estar na onde é mesmo o precisar, tanto que estou a equacionar treinar-me para o conseguir fazer em casa no silêncio do lar - se os gatos permitirem, pois claro, já que somos meros servos da classe felina - e treinar a mente para me auto-acalmar, para relaxar, para ver se não fervilho tanto no dia-a-dia. Isto não está fácil minha gente, não anda mesmo nada fácil. Se eu fosse a pipoca dos blogs, já estava frita, mas daquelas más, que têm o milho na mesma inteiro no interior, sabem? É isso, enfim, não ando na minha melhor fase, e tenho estado interessada em meditação e até já fiz um workshop de mindfullness e tenho lido sobre isso e estado em alerta sobre o tema. Mal também não faz, não é verdade?

 

Assim, e apesar de achar estranho à partida, fui a um concerto meditativo com taças e gongos tibetanos. Não deixa de ser estranho estar numa sala de um edifício que não conhecemos, às nove da noite, com pessoas que não conhecemos, e deitarmo-nos num espaço que não conhecemos com umas mantas e almofadas que não fazemos ideia onde andaram mas... a experiência é brutal. Os sons, as vibrações, tudo tem um efeito incrível no corpo, na mente... Primeiro estranha-se, depois entranha-se.

 

Relaxa, efetivamente aquilo relaxa.

 

Pena que alguém lá no grupo tenha relaxado de mais e aproveitado para tirar um cochilo e tenha roncado como se não dormisse há meses... E aí entornou-se o caldo na Mula, que não há ansiedade que resista ao ressonar de alguém. Acho que nunca vos disse, mas sou altamente sensível a sons, para o bem e para o mal, e se os gongos tibetanos causaram um bem estar único, que nunca imaginei, o ressonar de alguém conseguiu estragar toda a tranquilidade atingida. Apesar desta parte não ter corrido tão bem, tenciono repetir a experiência e recomendo mesmo a experimentarem. Se têm dúvidas... pela personagem que adormeceu podem ter a garantia de que realmente saem da sessão relaxados.

 

Para quem não sabe - eu também desconhecia - as taças tibetanas têm diferentes tamanhos que emitem diferentes vibrações e sons - notas - que tocando determinadas melodias, podem trabalhar diferentes problemas e questões. Na nossa sessão foram trabalhados os medos e a ansiedade e posso dizer que é algo realmente incrível. As taças são usadas à séculos com fins curativos, já que os sons purificam o ambiente despertando o poder curativo do corpo através da terapia do som.

 

De acordo com o que pude investigar a terapia do som tem uma série de benefícios, entre eles: Permitir um estado de relaxamento mais profundo o que potencia um maior domínio sobre os problemas e preocupações pessoais; potenciar o desbloqueio energético devolvendo ao corpo e à mente uma sensação imediata de bem-estar e tranquilidade, o que permite a longo prazo melhorar a estabilidade mental, a concentração e a capacidade de ação e de reagir perante um determinado problema; e como potencia o bem-estar, aumenta a autoconfiança e reduz a ansiedade do dia-a-dia.

 

Como vêm benefícios não faltam e a Mula sobreviveu, por isso mal também não faz.

 

Alguém já experimentou? Alguém que queira partilhar a sua experiência? E meditação no geral?

Barras de Access com Twist

Que é o mesmo que dizer: Com uma massagem incrível

A Mula voltou a ser convidada para uma sessão de barras de access, desta vez com uma massagem bio energética no final.

 

Já vos falei das barras de access aqui, mas para os mais preguiçosos a Mula resume.

 

As barras de access é uma técnica terapêutica energética que através da estimulação de determinados pontos no crânio, liberta energia de forma a potenciar desbloqueios emocionais, pensamentos, limitações psicológicas, entre outros. Quanto à massagem bio energética, é uma massagem que trabalha o corpo todo - quando permitido, e já vos explico porquê - através de manobras de relaxamento muscular e a mente e alma, através da aromaterapia com o objetivo de aumentar a energia vital do corpo e da mente.

 

As barras de access e massagem bio energética no final permitem o verdadeiro equilíbrio entre o corpo e a mente, já que as primeiras podem ser bastante desgastantes para a alma, a segunda permite repor a tranquilidade.

 

(imagem retirada daqui)

 

Desta vez a Mula fez esta terapia conjunta na Hebe Clínica, em Vila Nova de Gaia, com a Sara e com a Susana que são extremamente simpáticas e atenciosas - nem poderia ser de outra maneira tendo em conta o objetivo, porque também é preciso confiar para nos deixarmos levar. Para além das meninas serem espetaculares, o espaço é muito mimoso, e até a maca é aquecida! Uma chiqueza! A Mula habituar-se-ia a fazer desta a sua vida, confesso. A Mula nasceu pobre mas com gostos de rica o que fazer?

 

1574727516696.jpg

Ó! Ólhem pra Mula ali toda pimpona com um robe quentinho, quentinho, quentinho!

 

A Sara eu já conhecia, até porque já foi com ela que fiz a anterior sessão, a Susana conheci durante a sessão e é muito atenciosa e preocupada. Perguntou-me se havia alguma parte do corpo em que não me deveria de tocar, se tinha algum tipo de problema específico e qual o meu maior sentimento dos últimos dias, para poder adaptar o aroma, na parte da aromaterapia. Tudo é pensado ao pormenor.

 

Lembram-se quando eu disse na anterior publicação das barras de access, que a terapia apesar de se focar só na cabeça parecia uma full body massage? Agora imaginem realmente uma full body massage no final! É simplesmente incrível! As barras preparam o corpo para um estado de relaxamento tal, que a massagem flui de uma forma incrível. É realmente um complemento brilhante. Trabalhar corpo e mente de uma vez só.

 

Quanto às barras de access, a Sara foi muito sincera, estou um caco, a vários níveis. Ela que me conhece, diz que me desconheceu totalmente quando me fez as barras. Que estou com problemas a vários níveis e que piorou significativamente desde a primeira sessão. E perguntou-me algo que confesso, que me marcou bastante: Onde está a minha alegria? Fiquei um pouco chocada com a pergunta, confesso, mas olhando bem para mim para os meus últimos meses, a verdade é que tenho andado muito mais rabugenta que o normal, mais stressada, mais apática. Não é realmente positivo. Marquei já uma segunda sessão. Sexta-feira a Sara que me aguarde! Obviamente preciso de ajuda, acho que quando andava mais chorona, mais deprimida, que não reprimia tanto, tudo o que sinto cá dentro e isso claramente não está a resultar. 

 

Mas se foi estranho ver alguém que eu conheço, mas com quem não me relaciono diariamente, falar tantas coisas certas sobre mim apenas com base no meu campo energético, confesso-vos que foi ainda mais assustador ver alguém que nunca me tinha visto na vida, dizer coisas tão acertadas da forma como eu me sinto, da forma como eu estou, e dizer tanto acertado sobre mim, sobre a minha vida, com base apenas numa massagem! Pelos vistos toda a minha ansiedade e problemas se depositam na coluna e pernas e é aí que tenho de investir mais para as trabalhar. Aconselhou-me a fazer mais coisas de que gosto, de que me estou a perder, que preciso de me encontrar e que para isso preciso de fazer o que gosto e voltar a encontrar a minha alegria, a minha paz.

 

Com os óleos no cabelo saí de lá toda descabelada, toda despenteada, mas posso assegurar-vos que no fundo era apenas o reflexo da minha alma.

 

Se é verdade que este tipo de tratamento põe demasiado a minha vida em perspectiva o que me pode deixar um tanto angustiada, a verdade é que saio dele tão, mas tão relaxada e cheia de força, como se tudo se pudesse desmoronar naquele momento que eu me sentiria com forças para aguentar qualquer coisa. Até posso levar com um calhau na testa e estatelar-me no chão. Mas saí com a certeza de que sou forte e que consigo aguentar seja o que for, como de resto sempre aguentei... No fundo.

 

P.S.: Tenho só uma pequena ressalva a fazer... Um pequeno desagrado diria. Gentes fofinhas da Mula, quando quiserem oferecer estas coisas que a Mula adora, avisem-me quando tiver que me despir para eu puder ter a depilação em dia. Grata.

 

P.S.2.: Isto deveria de ser patrocinado pelo estado, feito em parceria com o SNS, obrigatório, portanto, a toda a população. Isto tem tudo a ver com saúde mental - ou falta dela, no caso da vossa Mula.

 

P.S.3.: Se tudo isto não for suficiente para vos convencer a conhecer este tratamento na Hebe Clínica, aceno-vos com comida: Elas têm chá e bolachinhas! Acredito que assim já não preciso de vos dizer mais nada, certo?

 

Todos nós devíamos lutar por uma melhor saúde mental, por uma melhor visão de nós próprios, por uma maior tranquilidade. Essencialmente por uma vida mais feliz. Nada disto faz milagres...  Mas ajuda!

A Mula foi a uma sessão de Barras de Access

A Mula foi convidada a participar numa terapia que utiliza por base a energia e lá foi toda lampeira ver o que era, curiosa que só visto. E antes que comecem já a ficar com o cérebro num nó cego e fechem já a publicação, a Mula explica o que é. Nós cegos no cérebro é tudo o que as Barras de Access não querem!

 

(imagem retirada daqui)

 

As Barras de Access é uma terapia energética que permite através da ativação de determinados pontos no crânio, libertar energia e desbloquear emoções, pensamentos, crenças, limitações psicológicas, entre outras situações. No total são 32 pontos que devidamente estimulados permitem libertação de stress, alívio da ansiedade e outras perturbações do indivíduo que possam impedir o seu bem estar mental e emocional, e até mesmo físico, já que tantas dores são psicossomáticas, ou seja, são físicas, mas têm origens na mente.

 

Têm aqui um esquema dos vários pontos que são trabalhados durante uma sessão de cerca de 1h30.

 

Access_bars_training.jpg

(imagem retirada daqui)

 

Não é preciso ter nenhuma patologia para experimentar esta terapia - olhem aqui a Mula já a salvaguardar-se! - mas poderão ter mais noção do impacto na vossa vida, se tiverem, claramente algum problema que vos possa estar a afetar. 

 

Como sabem, estou a passar por uma fase delicada, que me gera um elevado grau de ansiedade e me prejudica o sono e a concentração, para além de que algumas questões do meu dia-a-dia foram bloqueadas consciente ou inconscientemente. Posso dizer-vos por exemplo que apesar de já estar separada há 4 meses ainda não consegui ir buscar as minhas coisas à que outrora foi minha casa. Isto permite-vos ter noção do meu estado de confusão e angústia. Por isso quando fui convidada a participar numa sessão, claro que aceitei. Mal não haveria de fazer.

 

Mas deixemo-nos de teorias. O que é que eu senti? O que é que a Mula que é assim meia cética meia crente nestas coisas sentiu?

 

É assustador confesso. Em primeiro lugar, durante a sessão senti-me totalmente desativada. Senti o corpo mesmo muito pesado, totalmente relaxado - tão relaxado que vos confesso que volta e meia mexia um dedito dos pés, só para ter a certeza que ainda estava viva e quiçá portadora de todas as minhas faculdades mecânicas -, e apesar de isto parecer assustador acreditem que é libertador. À medida que a moça ia movendo os dedos fui sentindo diferentes sensações: desde arrepios, vibrações, frio, calor...  Basicamente sempre que ela mudava a posição dos dedos e tocava em novas áreas, novas sensações - estranhas - foram aparecendo. E juro-vos que não bebi nada alcoólico antes da sessão, nem fumei nada esquisito. Mais sóbria era impossível. É realmente estranho, mas é incrível!

 

No final da sessão senti-me totalmente relaxada, parecia que tinha recebido uma full-body massage, apesar de todo o tempo ter sido concentrado na minha cabeça. Após a terapia propriamente dita, falamos sobre o que aconteceu e explicou-me os pontos que estavam mais sobrecarregados e bloqueados, que no meu caso são os pontos referentes ao dinheiro e ao controlo. É aqui que concentro as minhas preocupações atuais: no dinheiro - na mouche! - e na vontade que tenho de controlar. Bingo! 1-0 para as Barras de Access. A verdade é que atualmente e parece que cada vez mais, sinto uma vontade enorme de tentar ter o controlo sobre tudo, sobre mim, sobre os outros, sobre as situações e a verdade é que na maior parte das vezes não tenho o controlo de nada e isso causa-me, obviamente, ansiedade.

 

Os resultados posteriores não são fáceis de avaliar, há quem sinta grandes melhorias ao nível do sono, da ansiedade, da compulsão... No meu caso, posso dizer-vos que foi um pouco diferente do esperado, mas tendo em conta o ponto do controlo que foi desbloqueado faz sentido. A verdade é que pela primeira vez em muito tempo permiti-me ficar triste. Ficar em casa, sozinha, triste. Permiti-me chorar, desabar. E apesar de parecer que foi um descontrolo total, a verdade é que é uma coisa boa. Passo o tempo todo a controlar-me, a tentar aparentar estar bem e a sorrir, que desabar foi... Deixem-me dizer-vos: Libertador!

 

A verdade é que não me tenho permitido fazer o luto do fim do meu casamento. A verdade é que tenho tentado manter-me ocupada, entretida, acompanhada, para evitar este confronto com a realidade: Estou sozinha. E parece que esta sessão permitiu-me isso: Ficar só, comigo, triste. Porque estar triste também faz parte, e se varremos demasiado as nossas tristezas para debaixo do tapete não se avizinha um bom futuro. Diz-vos a Mula que já varreu demasiadas tristezas para debaixo do tapete e depois como sabem... Puff!

 

Ao nível do sono, que é terrível, melhorou igualmente. Sinto que tenho um sono mais profundo, e consigo avaliar isso porque estava a passar por uma fase em que sonhava demasiado - e pesadelos então... - e a verdade é que desde a sessão que não voltei nem a sonhar nem a ter pesadelos - pelo menos que me afetem ao ponto de me recordar e de me acordarem a meio da noite como habitual.

 

Dizem que os resultados de uma sessão podem durar 21 dias, ou seja, isto só ainda está a começar, mas estou a gostar do que estou a sentir. Estou acima de tudo a tentar aceitar-me, e a aceitar a minha "nova condição". Sinto, de verdade, que me ajudou.

 

Ficaram curiosos? Experimentem. No Porto recomendo vivamente a Sara. Passem pela sua página de facebook , a menina é muito simpática, tirem com ela quaisquer dúvidas que tenham, que sintam, e marquem uma sessão. O nosso bem estar é o nosso maior tesouro.

 

Já agora questiono-vos: Alguém daqui já experimentou? Se sim, o que sentiram?

Desabafos do quotidiano, por vezes irritados, por vezes enfadonhos, mas sempre desabafos. Mais do que um blog, são pedaços de uma vida.